Produção de petróleo pode ser afetada por semanas depois de ataque a refinarias sauditas

A produção de petróleo saudita foi reduzida pela metade e pode demorar semanas para ser normalizada depois dos ataques deste sábado (14), que atingiram duas instalações estratégicas da companhia nacional de petróleo Aramco.

As explosões foram provocadas por drones teleguiados enviados pelos rebeldes hutis, do Iêmen, e geraram incêndios nas refinarias em Abqaiq, a maior usina de processamento de bruto do mundo, e Khurais. Os locais bombardeados ficam a mais de 1.000 quilômetros da região do noroeste do país que estão sob controle dos hutis.

Dentro de 48 horas, a Aramco deve reavaliar a situação. De acordo com o ministro da Energia, o príncipe Abdoulaziz ben Salman, cerca de 5,7 milhões de barris produzidos diariamente foram afetados pela interrupção parcial. Isso representa metade da produção saudita, ou 5% do comércio mundial do petróleo.

Os ataques foram reivindicados pelos rebeldes iemenitas hutis, que apoiam o Irã e são alvo de ofensivas militares da Arábia Saudita e de outros aliados sunitas, desde 2015. Em um contexto de tensões no Golfo, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, acusou o Irã de ter organizado os ataques.

O governo iraniano reagiu, acusando Washington der buscar pretextos para desencadear uma guerra. “Os Estados Unidos perderam força no Iêmen acreditando que a superioridade militar conduz à vitória. Acusar o Irã não colocará um fim a esse desastre“, disse o chefe da diplomacia iraniana, Mohammad Java.

Em entrevista à RFI, o analista francês Pierre Terzian, diretor da revista Petrostratégie, disse que a grande novidade é que agora os sauditas estão diretamente na mira dos iemenitas. “Quando os Estados Unidos se retiraram do acordo nuclear iraniano todos os olhares se voltaram para o estreito de Ormuz”, diz.

“A questão era se os iranianos tentariam bloquear o estreito de Ormuz se suas exportações de petróleo caíssem demais. Mas os ataques iemenistas agora envolvem diretamente as instalações da Arábia Saudita”, analisa. “É uma guerra descentralizada, onde potências como os Estados Unidos e outras da região, como a Arábia Saudita, estão sendo pegas desprevenidas”, conclui.

Segundo ele, os ataques devem afetar a exportações, mas os sauditas têm 200 milhões de barris em estoque e podem utilizá-los durante 33 dias. Usar esse petróleo, entretanto, é arriscado, “porque é necessário ter uma margem para dar continuidade às operações”, ressalta Terzian. A França condenou os ataques, “que agravam as tensões e os riscos de conflito na região”, reafirmando sua solidariedade à Árabia Saudita.

Por conta das explosões, a bolsa de Ryad abriu em baixa de 2,3% neste domingo, mas já reduziu uma parte de suas perdas. Os analistas esperam que o preço do petróleo cresça entre US$ 3 e US$ 5 na abertura da bolsa de valores.

// RFI BR

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …