Parentes de vítimas dos Ataques de 11 de Setembro processam Arábia Saudita

Joshua Siniscal / Flickr

Luzes lembram a posição das torres destruídas nos ataques terroristas de 11 de Setembro em Nova York

Luzes lembram a posição das torres destruídas nos ataques terroristas de 11 de Setembro em Nova York

Familiares de 800 vítimas dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 entraram ontem (20) com um processo no tribunal federal de Manhattan, em Nova York (EUA), contra a Arábia Saudita, país ao qual acusam de cumplicidade nos atentados, confirmaram à Agência Efe fontes judiciais.

O processo cobra indenização para as vítimas e seus parentes e acusa vários funcionários públicos da Arábia Saudita de estarem envolvidos no ataque, alegando que teriam ajudado alguns dos terroristas que sequestraram os aviões comerciais utilizados nos atentados.

O documento, apresentado pelo escritório de advocacia Kreindler & Kreindler, afirma que estes funcionários, de embaixadas sauditas, apoiaram os sequestradores Salem al-Hazmi e Khalid Al-Mihdhar um ano e meio antes dos ataques em vários aspectos.

Entre as ajudas alegadas, estão a facilitação de “dinheiro, proteção, conselhos, contatos, transporte, assistência com o idioma e a cultura dos EUA, identificação e o acesso a cursos de treinamento de pilotos”.

Além disso, a denúncia apresenta provas de que empregados da embaixada saudita na Alemanha apoiaram o líder do grupo de sequestradores, Mohammed Atta, e aponta que outro funcionário do governo da Arábia Saudita estava no mesmo hotel que vários dos terroristas no estado da Virgínia na noite anterior aos ataques.

Dos 19 sequestradores, 15 eram de nacionalidade saudita, e 3 tinham trabalhado para o governo do país.

Além disso, o processo diz que a família real saudita estava ciente de que fundos de várias organizações de caridade acabavam em poder da rede terrorista Al Qaeda, o que ela supostamente permitia para contar com o apoio de muçulmanos extremistas do país e permanecer assim no poder.

“Durante a década anterior ao 11 de setembro de 2001, a Arábia Saudita foi a responsável pelo financiamento substancial da Al Qaeda, que era vital para as operações da organização terrorista e seus preparativos para a materialização dos ataques de 11/9”.

A denúncia aponta ainda que os oficiais da Arábia Saudita ouvidos pelas autoridades americanas depois do atentado mentiram repetidamente “negando estar em contato ou ter informações sobre assistência material que prestaram aos sequestradores e à Al Qaeda”.

O escritório de advocacia que apresentou o processo civil trabalha no caso há vários anos e é especializado em defender vítimas de acidentes aéreos. Grande parte das acusações que constam na denúncia foram tiradas das investigações realizadas pelo FBI sobre o caso.

Os ex-presidentes George W. Bush e Barack Obama afirmaram em várias ocasiões que não há provas suficientes para ligar os ataques de 11/9 com a Arábia Saudita, mas os familiares das vítimas esperam uma possível mudança de postura com Donald Trump no poder.

A Arábia Saudita é um importante aliado dos EUA frente ao Irã, e onde Washington tem grandes interesses ligados ao petróleo.

Os familiares das vítimas apresentaram o processo poucos meses após a aprovação, no Congresso americano, da lei de “Justiça Contra os Patrocinadores do Terrorismo” (JASTA, na sigla em inglês).

A legislação permite às cortes federais americanas julgar outras nações pela ajuda em ações terroristas contra os EUA, independentemente de se o país acusado faz parte de sua lista oficial de Estados que apoiam o terrorismo.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …