Professor estima que apenas 110 pessoas seriam suficientes para colonizar Marte

MarsOneProject / Facebook

Nesta quinta-feira (30), a NASA lançou a missão Mars 2020, com a qual enviou o rover Perseverance e o helicóptero Ingenuity ao Planeta Vermelho em busca de bioassinaturas.

E como, no futuro, a agência espacial planeja enviar humanos para lá, fica o questionamento: afinal, quantos humanos seriam necessários para criar uma colônia marciana?

O professor Jean-Marc Salotti buscou uma resposta em seu artigo Minimum Number of Settlers for Survival on Another Planet (“A quantidade mínima de colonos para sobrevivência em outro planeta”, em tradução livre), publicado na revista Nature.

Para chegar a uma estimativa razoável, o professor trabalhou com um modelo matemático que permitiu determinar a quantidade mínima de colonos, junto do estilo de vida que eles deveriam adotar em Marte. Assim, ele chegou ao número aproximado de 110 pessoas.

Em seus cálculos, Salotti considerou a capacidade de um grupo de colonos manter sua sobrevivência se o envio de cargas da Terra fosse interrompido por motivos diversos, como a ocorrência uma grande guerra em nosso planeta ou custos tão elevados nos transportes espaciais que poderiam tornar essa operação inviável, por exemplo.

O professor considerou, ainda, que os colonos teriam que produzir, lá mesmo, metais, cerâmicas, roupas e outros artigos essenciais para a sobrevivência.

Assim, o grupo precisaria se adaptar para reduzir a necessidade de usar objetos mais complexos, que não pudessem ser impressos em 3D ou confeccionados por lá mesmo, e deveria viver sob uma redoma, além de cultivar vegetais em estufas, obter água a partir de depósitos de gelo, entre outras atividades básicas do que seria um dia a dia em Marte.

Observe também que, neste cenário, o compartilhamento seria essencial para a sobrevivência: os colonos teriam que dividir água, comida, ferramentas, trajes, veículos e tudo mais que mais fosse necessário.

E embora este cenário apresente uma comunidade formada por poucos indivíduos, ela correria o risco de colapso por razões como infertilidade, acidentes, brigas entre os integrantes ou falta de recursos. “Isso seria especialmente verdadeiro no início da colônia, onde qualquer acidente poderia reduzir dramaticamente a capacidade de produção”, explica Salotti. Para ele, começar com grandes quantidades de recursos e poupar o que fosse possível seria uma forma de reduzir esses riscos.

Entretanto, Salotti ressalta que, ao lidarem com essas condições iniciais duras para acumular recursos, seria possível desenvolverem novas bases e indústrias ao longo do tempo que, após alguns séculos, estabeleceria uma sociedade.

“Se esse número relativamente baixo se confirmar, a sobrevivência em outro planeta pode ser mais simples do que esperávamos”, finaliza.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sinais de possível 1º exoplaneta fora da Via Láctea são detectados

Pela primeira vez na história, é possível que os cientistas tenham descoberto um planeta em outra galáxia. O possível exoplaneta recebeu o nome de M51-ULS-1 e se encontra a 28 milhões de anos-luz de distância na …

China vai vacinar crianças a partir de três anos contra a covid-19

Imunizantes aprovados são das farmacêuticas chinesas Sinopharm e Sinovac, fabricante da Coronavac. País será um dos primeiros a começar a vacinar essa faixa etária. No total, China já vacinou 76% da população. Ao menos cinco províncias …

"Bolsonaro ignora todas as necessidades culturais dos brasileiros", diz Gilberto Gil à revista Télérama

A imprensa francesa desta segunda-feira (25) destaca o show de Gilberto Gil nesta noite na Filarmônica de Paris. O músico brasileiro conversou com o jornal Le Monde e com a revista Télérama. "Gilberto Gil", embaixador …

"Peças extraordinárias" achadas na Indonésia podem ser da lendária "ilha do Ouro"

Tesouros no valor de milhões de dólares encontrados nos últimos cinco anos ao longo do rio Musi podem ser do antigo império malaio Serivijaia, na ilha de Sumatra, que por 300 anos dominou as rotas …

Pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", diz diretor da OMS

A pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", disse neste domingo (24) o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus. O representante da ONU discursou na abertura …

Google está “criando Deus”, alerta ex executivo da Google

Segundo um ex-executivo do Google, a singularidade está chegando. E, segundo ele isso representa uma grande ameaça para a humanidade. Mo Gawdat, ex-diretor de negócios da organização moonshot do Google, que na época se chamava Google …

Pandemia causa a maior redução na expectativa de vida desde a Segunda Guerra

Desde a descoberta do coronavírus SARS-CoV-2, mais de 4,9 milhões de pessoas morreram oficialmente em consequência da infecção, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Nesse cenário, a pandemia da covid-19 reduziu a expectativa de vida …

Forças Armadas da Noruega assinam contrato bilionário de mísseis para caças F-35

Noruega tem sido um parceiro ativo no programa de caças dos EUA F-35, tendo em conta que 18 empresas deste país nórdico são parceiros diretos. Subsequentemente, a Noruega decidiu adquirir 52 caças F-35 para substituir …

Brasil fez lobby para mudar relatório climático, diz Greenpeace

Vários países, entre eles o Brasil, tentaram fazer mudanças em um crucial relatório da ONU sobre como combater o aquecimento global, afirmou o Greenpeace nesta quinta-feira (21/10), citando um grande vazamento de documentos. Os documentos aos …

Site da Coreia do Sul é usado para hospedar vírus e distribuí-lo via torrents

Uma campanha de distribuição de malwares na Coreia do Sul está disfarçando cavalos de troia de acesso remoto como um jogo para o público adulto, compartilhado via serviço de hospedagem de arquivos, como o WebHard, …