“Impossível” quebra-cabeça químico do ouro é finalmente resolvido

Uma equipe de cientistas russos e alemães conseguiu decifrar o segredo da estabilidade da estrutura cristalina da calaverite – um raro mineral metálico também conhecido como telureto de ouro.

A descoberta, publicada semana passada nos Proceedings of the National Academy of Sciences, era até agora considerada como um quebra-cabeças químico impossível de desvendar. Com a pesquisa, surge ainda a possibilidade de existir um novo composto de ouro até agora desconhecido pela Ciência.

A calaverite (AuTe2) é um mineral com proporções semelhantes de ouro e telúrio, na qual 3% da concentração de ouro é substituída por prata (Ag), sendo possível extrair ouro a partir da separação dos seus elementos. Tem uma estrutura cristalina com uma organização altamente imensurável no que diz respeito à posição dos átomos de ouro e telúrio dos seus cristais.

A estrutura “impossível” de medir significa que a rede cristalina da calaverite não pode ser explicada pela lei do mineralogista francês René Just Haüy (1743-1822) – que descreve a geometria dos cristais para a maioria dos minerais. Por tudo isso, o mineral e os demais cristais imensuráveis têm sido um mistério para os cientistas.

A lei René prevê que uma mudança na forma de um cristal combinado com um outro não altera seu grau de simetria. Dessa forma, a estrutura particular da calaverite não pode ser medida através dessa lei geométrica, uma vez que tem simetria em uma direção particular.

Para explicar a estranha natureza desse mineral, na década de 70, os cientistas descobriram uma nova forma de descrever as estruturas cristalinas, recorrendo ao espaço 4D em vez do habitual 3D. Ainda assim, continuaram sem qualquer pista sobre o estranho comportamento dos cristais de calaverite – até agora.

(dr) S. V. Streltsov

Formação dos dímeros de Te-Te devido à desproporção de carga nos sítios de Au

Uma união “impossível”

Agora, uma equipe multidisciplinar de cientistas russos e alemães conseguiu finalmente resolver o mistério dos cristais imensuráveis da calaverite, obtendo informações sobre seus espectros eletrônicos e sua capacidade supercondutora criada através de pressão ou de aditivos.

Para a descoberta, os cientistas recorreram ao sistema USPEX – um avançado algoritmo desenvolvido pela equipe – para explicar a complexa estrutura cristalina.

Recorrendo à ferramenta, os pesquisadores analisaram primeiro as ligações químicas da silvanite, (Ag,Au)Te2 – mineral semelhante à calaverite composto por ouro, prata e telúrio – que usaram como padrão, e substituíram os átomos de prata por átomos de ouro, tendo descoberto que a calaverite inclui átomos de ouro com uma oxidação de +1 e +3 distribuídos pela sua estrutura.

“O raciocínio simples sugere que o ouro deve ser divalente neste composto, da mesma forma que o ferro é no FeS2, conhecido como o ‘ouro dos tolos’”, explicou o químico Sergey Streltsov, um dos autores do estudo.

“Qualquer químico entende que o ouro bivalente é extremamente instável e tende a se tornar monovalente e trivalente, mas aí surge o atrito: em primeiro lugar, 3+ é uma valência muito alta.

Além disso, não há forma de colocar ouro monovalente ou trivalente – imaginando que exista mesmo – na rede triangular da calaverite com o padrão se repetindo em todos os sentidos”, sustenta o pesquisador.

Na Química, a valência é um número que indica a capacidade que um átomo de um determinado elemento tem de se combinar com outros átomos, capacidade medida pelo número de elétrons que um átomo pode dar, receber, ou partilhar de forma a construir uma ligação química.

Esse modelo admite a possibilidade de outra união “impossível” entre o ouro e o telúrio, expressa pela fórmula química AuTe, ao contrário do união AuTe2 conhecida até agora.

É a natureza que determina o arranjo, alterando suavemente a valência do ouro no cristal. O ambiente do telúrio responde à mudança e isso origina estruturas cristalinas bizarras”, conclui Sergey Streltsov.

Novas descobertas, novos mistérios

“Há toda uma grande história por trás da calaverite” que, além de “ter influenciado a chamada ‘Febre do Ouro’, foi uma enorme dor de cabeça e um paradoxo para os especialistas em cristalografia”, explicou Ogánov, outro dos pesquisadores. Até porque, “quanto mais profundamente os especialistas questionavam, mais perguntas geravam”.

Segundo Ogánov, e graças aos novos resultados agora publicados, “os pesquisadores poderão agora ir à procura do AuTe” – o novo composto previsto pelo algoritmo – que, sugere o cientista, “será certamente cheio de novos enigmas”, concluiu.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Secularismo e tolerância a minorias predizem a prosperidade de um país

Pesquisadores da Universidade de Bristol e Universidade do Tennesse analisaram dados de quase 500 mil pessoas de 109 países e concluíram que mudanças na cultura geralmente vêm antes da melhora na riqueza, educação e democracia. Os …

Estudo: declínio de abelhas se aproxima da extinção em massa

De acordo com um novo estudo liderado por cientistas da Universidade de Ottawa (Canadá), a probabilidade de uma população de abelhas sobreviver em qualquer lugar diminuiu 30% no curso de uma geração humana. Os pesquisadores sugerem …

Pesquisador diz ter descoberto droga capaz de apagar memória ruim de separação amorosa

Um pesquisador de Montreal, no Canadá, diz ter encontrado uma maneira de acabar com o sofrimento causado por uma separação traumática — ele "edita" as memórias dolorosas usando um betabloqueador e sessões de terapia. Alain Brunet …

Documento revela que Facebook poderia ter virado uma "Wikipédia da vida privada"

Steven Levy, conhecido editor da Wired, conseguiu colocar as mãos em algo que ele talvez nunca imaginou encontrar: um diário de Mark Zuckerberg, CEO e fundador do Facebook, datado de 2006 e que mostra algumas …

Missão suicida: satélite queimará na atmosfera da Terra, mas por uma boa causa

Na próxima semana, a Agência Espacial Europeia (ESA) vai destruir um satélite, lançando-o em direção à atmosfera da Terra, só para vê-lo queimar durante a reentrada. Sim, tudo de propósito. Trata-se de um experimento muito …

Pé Grande vagueia pelo Reino Unido enquanto centenas de relatos são registrados

Apesar de a lenda do Pé Grande ser tipicamente americana, centenas de pessoas relataram ter visto a enigmática criatura em diversas localidades do Reino Unido. Se por um lado o Reino Unido é um país relativamente …

Um terço de todas as espécies de animais e plantas pode desaparecer em 50 anos

Um novo estudo da Universidade do Arizona (EUA) estimou que um terço de todas as espécies de plantas e animais do planeta pode ser extinta em até 50 anos devido aos efeitos da mudança climática. Para …

Huawei ataca governo dos EUA e lembra caso Snowden

Em comunicado publicado nesta quinta-feira (13), a Huawei voltou a se defender dos ataques feitos pelos Estados Unidos nesta semana, afirmando que, se tem alguém envolvido com espionagem internacional, esse alguém é justamente o governo …

Os efeitos políticos e religiosos do encontro entre Lula e o papa

Reunião no Vaticano vai além de troca de gentilezas entre dois líderes sul-americanos. Para especialistas, audiência tem repercussões para o ex-presidente, o PT e a própria Igreja Católica, que vive disputa de poder. A reunião entre …

Candidato de Macron à prefeitura de Paris renuncia devido a escândalo sexual

Reviravolta na campanha pelas eleições municipais em Paris a apenas um mês da votação. O candidato do partido presidencial, Benjamin Griveaux, renunciou nesta sexta-feira (14) à corrida pela prefeitura da capital. A decisão foi anunciada …