Razan al-Najjar só queria salvar vidas; e acabou perdendo a sua em Gaza

(dr)

Razan al-Najjar, a médica palestina assassinada a tiros na Faixa de Gaza

Uma médica palestina de 21 anos foi assassinada a tiros enquanto socorria os feridos na Faixa de Gaza. As autoridades israelenses, acusadas da morte, já garantiram que vão investigar o acontecido.

Razan al-Najjar era uma paramédica palestina com presença assídua nos protestos na Faixa de Gaza, junto à fronteira com Israel. “Era” porque, na sexta-feira (1º), a jovem foi supostamente assassinada a tiros por um militar israelense quando socorria vários feridos.

No sábado (2), milhares de pessoas se reuniram no funeral da médica de 21 anos. Profissionais de saúde, vestidos com seus uniformes brancos, marcharam na procissão, segurando bandeiras palestinas e fotografias da colega. Segundo o Washington Post, o pai também esteve presente, com seu uniforme nas mãos, antes branco e agora manchado de vermelho com sangue da filha.

De acordo com o jornal norte-americano, as fotografias do local imediatamente depois de a paramédica ter sido assassinada mostram um grupo de homens carregando a voluntária. Testemunhas afirmam que a jovem foi morta com um tiro no peito.

No dia do funeral, as autoridades israelenses asseguraram que vão investigar a morte, mas defenderam que o Exército trabalha “de acordo com os procedimentos operacionais”.

“As IDF (Forças de Defesa Israelenses) trabalham constantemente para designar operações e reduzir o número de baixas na faixa de segurança de Gaza”, afirmam em comunicado, citado pelo jornal. “Infelizmente, a organização terrorista Hamas deliberada e metodicamente coloca civis em perigo“, acrescentam.

No mês passado, o New York Times entrevistou a paramédica em Gaza, uma das únicas profissionais do sexo feminino que entrava em ação nas emergências durante os protestos. “Nós só temos um objetivo: salvar vidas e evacuar as pessoas”, afirmava. “E enviar uma mensagem ao mundo: sem armas, podemos fazer qualquer coisa“.

Na mesma entrevista, Razan acrescentou que Gaza precisava de mais médicas como ela. “A força que mostrei como socorrista no primeiro dia dos protestos, eu os desafio a encontrar outra pessoa assim”.

Depois da morte, outro voluntário médico, Izzat Shatat, contou à Associated Press que os dois planejavam anunciar seu noivado no fim do Ramadã. Após ter sido levada para o hospital, Razan acabou falecendo na sala de operações.

Mais de 115 pessoas morreram desde que começaram os protestos na Faixa de Gaza, tendo se intensificado, em maio passado, quando os EUA mudaram sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém.

No dia da inauguração da embaixada, morreram 60 pessoas, naquele que foi o dia mais sangrento em Gaza, desde a operação militar israelense “Margen Protector“, em que morreram mais de 2 mil palestinos em 50 dias.

O enviado especial da ONU ao território palestino, Michael Lynk, chegou a acusar Israel de ter levado a cabo uma “chacina intencional”.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …