Reino Unido denuncia ação do Irã no Estreito de Ormuz

(dv) Agência Petrobras

Marinha Real britânica afirma que fragata que acompanhava petroleiro no Golfo Pérsico teve de intervir para impedir aproximação de embarcações paramilitares iranianas. Teerã nega, mas não descarta ação futura.

A Marinha do Reino Unido disse ter evitado que três embarcações paramilitares iranianas impedissem a passagem de um petroleiro britânico no Estreito de Ormuz nesta quinta-feira (11/07).

O episódio ocorreu no dia seguinte a um alerta feito pelo presidente iraniano, Hassan Rohani, sobre consequências após o Reino Unido aprender um petroleiro do país em Gibraltar na semana passada. O navio iraniano Grace 1, que navegava com bandeira panamenha, era suspeito de transportar petróleo para a Síria em violação a sanções impostas pela União Europeia (UE).

A Guarda Revolucionária do Irã negou ter investido contra o petroleiro britânico e afirmou que se tivesse recebido ordens para apreender algum navio, o teria feito imediatamente.

O governo britânico afirmou em comunicado que a fragata HMS Montrose acompanhava o petroleiro British Heritage durante a passagem pelo estreito de Ormuz, quando teve de se posicionar entre as embarcações iranianas e o navio e “lançar alertas verbais” aos barcos, que acabaram se afastando.

Estamos preocupados com essa ação e continuamos a pedir às autoridades iranianas por uma desescalada da situação na região”, afirmou um porta-voz da primeira-ministra britânica, Theresa May.

O ministro iraniano do Exterior, Mohammad Javad Zarif, disse que as alegações britânicas não têm valor, dizendo que “estão sendo feitas para criar tensões“, segundo a agência de notícias Fars.

Em junho, dois navios petroleiros foram atingidos por explosões no estreito de Ormuz. Os Estados Unidos culparam o Irã, que negou envolvimento.

Dias depois, um drone americano foi abatido sobre o território iraniano, acirrando ainda mais a crise. O presidente americano, Donald Trump, disse que cancelou de última hora um bombardeio a alvos iranianos em represália à derrubada da aeronave não tripulada.

As tensões entre o Irã e o Ocidente se agravaram ainda mais nos últimos dias, após Teerã confirmar o enriquecimento de urânio acima dos níveis permitidos pelo acordo nuclear de 2015. A medida seria uma forma de pressionar os parceiros europeus signatários do pacto a defender o país das sanções impostas pelos Estados Unidos, que deixaram o acordo no ano passado.

O vice-comandante da Guarda Revolucionária do Irã disse que o Reino Unido e os EUA se arrependerão de terem apreendido o petroleiro Grace 1 em Gibraltar. “Uma ação que não requer habilidade, mas sim alguma estupidez, foi realizada por eles”, disse o almirante Ali Fadavi. “O governo americano e e a Inglaterra não deveriam ter agido se tivessem feito o menor dos cálculos.”

“Alugamos esse navio e estávamos transportando a carga. A ação deles foi bastante tola, e eles certamente se arrependerão. Nossa ação recíproca ainda será anunciada”, ameaçou Fadavi.

O HMS Motrose realiza uma missão de três anos na base de apoio da Marinha britânica no Bahrein, que é o centro das operações navais do país a leste do Canal de Suez. O petroleiro British Heritage é operado pela empresa petrolífera British Petroleum (BP) e registrado na ilha britânica de Man.

A publicação Lloyd’s List, especializada em assuntos náuticos, disse que o navio desviou de sua rota para levar 140 toneladas de petróleo bruto para Basra, no Iraque, no dia 4 de julho, quando o petroleiro iraniano foi apreendido em Gibraltar. A embarcação britânica teria permanecido por vários dias em águas territoriais da Arábia Saudita.

Em nota, a BP agradeceu à Marinha Real Britânica pelo apoio e disse que sua prioridade é “a segurança de nossas tripulações e navios“.

Em torno de 20% de todo o petróleo comercializado em todo o mundo passa pelo Estreito de Ormuz, vindo de países produtores do Oriente Médio. O Irã já ameaçou em diversas ocasiões fechar o estreito caso as sanções americanas impeçam o país de exportar petróleo, o que já vem ocorrendo em consequência das sanções.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, trabalha para criar uma coalizão com os países aliados na região, como a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, pedindo que esses países contribuam financeiramente e militarmente para uma estratégia que Washington batizou de Programa Sentinela. O objetivo seria garantir a livre circulação e a segurança marítima no Golfo Pérsico, mantendo o Irã sob vigia.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Holanda apresenta primeira usina de energia solar flutuante do planeta

A partir de 2022, a Holanda deverá ter a primeira usina de energia solar flutuante em funcionamento no mundo. Construída na água, a estação de energia limpa deverá se chamar Zon-op-Zee (“Sol no Mar”, em …

Novo vírus infecto-contagioso explode na China e outros países já estão em alerta

O misterioso vírus que surgiu na China nos últimos dias de 2019 acaba de chegar aos Estados Unidos. As autoridades americanas confirmaram que um homem vindo da China está infectado com o vírus, que é …

Davos assiste choque entre Greta Thunberg e Trump sobre o clima

A 50ª edição do Fórum Econômico Mundial de Davos começou nesta terça-feira (21) na Suíça dominada pelos debates sobre as mudanças climáticas. Pelo segundo ano consecutivo, a jovem ativista sueca Greta Thunberg foi convidada a …

China proibirá plástico não biodegradável

País asiático quer reduzir o uso de produtos como talheres e sacolas descartáveis em 30% até 2025. Plano prevê proibições escalonadas em hotéis, restaurantes e serviços de entrega do comércio eletrônico em áreas urbanas. As autoridades …

Inteligência artificial está sendo usada para combater extinção de pinguins

Uma tecnologia de inteligência artificial está sendo determinante no combate à extinção de pinguins no mundo. A ferramenta está sendo utilizada pela Gramener, empresa membro Intel AI Builder, que, a partir de imagens de regiões …

Criaram um escape room baseado em La Casa de Papel

As empresas Fever Originals, Atresmedia e Enigma Exprés criaram um escape room na Espanha baseado em “La Casa de Papel“. Mais de 80 mil pessoas participaram da primeira temporada do desafio. Vestidos com os uniformes e …

Guaidó desafia proibição de deixar Venezuela e inicia giro internacional em busca de apoio

O opositor venezuelano Juan Guaidó voltou a desafiar a proibição de deixar o país. O autoproclamado presidente interino viajou para a Colômbia, antes de seguir para Bélgica e Suíça. Ele pretende participar do Fórum …

FMI prevê melhora para economia brasileira, apesar da redução do crescimento mundial

O Fundo Monetário Internacional reduziu nesta segunda-feira (20) sua expectativa de crescimento global para este ano. A instituição é mais otimista sobre a situação do Brasil, que deve crescer nos próximos anos. O FMI disse …

Harry diz estar triste por deixar deveres reais

O príncipe Harry falou neste domingo (19/01) de sua tristeza por ser obrigado a desistir de seus deveres reais em um acordo com a família real britânica, dizendo não haver outra opção se ele e …

Ultrassom destrói células cancerosas

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia e do Instituto de Pesquisa Beckman da Cidade da Esperança desenvolveram uma técnica de ultrassom direcionado de baixa intensidade que mata células cancerígenas sem afetar as células saudáveis …