Reino Unido denuncia ação do Irã no Estreito de Ormuz

(dv) Agência Petrobras

Marinha Real britânica afirma que fragata que acompanhava petroleiro no Golfo Pérsico teve de intervir para impedir aproximação de embarcações paramilitares iranianas. Teerã nega, mas não descarta ação futura.

A Marinha do Reino Unido disse ter evitado que três embarcações paramilitares iranianas impedissem a passagem de um petroleiro britânico no Estreito de Ormuz nesta quinta-feira (11/07).

O episódio ocorreu no dia seguinte a um alerta feito pelo presidente iraniano, Hassan Rohani, sobre consequências após o Reino Unido aprender um petroleiro do país em Gibraltar na semana passada. O navio iraniano Grace 1, que navegava com bandeira panamenha, era suspeito de transportar petróleo para a Síria em violação a sanções impostas pela União Europeia (UE).

A Guarda Revolucionária do Irã negou ter investido contra o petroleiro britânico e afirmou que se tivesse recebido ordens para apreender algum navio, o teria feito imediatamente.

O governo britânico afirmou em comunicado que a fragata HMS Montrose acompanhava o petroleiro British Heritage durante a passagem pelo estreito de Ormuz, quando teve de se posicionar entre as embarcações iranianas e o navio e “lançar alertas verbais” aos barcos, que acabaram se afastando.

Estamos preocupados com essa ação e continuamos a pedir às autoridades iranianas por uma desescalada da situação na região”, afirmou um porta-voz da primeira-ministra britânica, Theresa May.

O ministro iraniano do Exterior, Mohammad Javad Zarif, disse que as alegações britânicas não têm valor, dizendo que “estão sendo feitas para criar tensões“, segundo a agência de notícias Fars.

Em junho, dois navios petroleiros foram atingidos por explosões no estreito de Ormuz. Os Estados Unidos culparam o Irã, que negou envolvimento.

Dias depois, um drone americano foi abatido sobre o território iraniano, acirrando ainda mais a crise. O presidente americano, Donald Trump, disse que cancelou de última hora um bombardeio a alvos iranianos em represália à derrubada da aeronave não tripulada.

As tensões entre o Irã e o Ocidente se agravaram ainda mais nos últimos dias, após Teerã confirmar o enriquecimento de urânio acima dos níveis permitidos pelo acordo nuclear de 2015. A medida seria uma forma de pressionar os parceiros europeus signatários do pacto a defender o país das sanções impostas pelos Estados Unidos, que deixaram o acordo no ano passado.

O vice-comandante da Guarda Revolucionária do Irã disse que o Reino Unido e os EUA se arrependerão de terem apreendido o petroleiro Grace 1 em Gibraltar. “Uma ação que não requer habilidade, mas sim alguma estupidez, foi realizada por eles”, disse o almirante Ali Fadavi. “O governo americano e e a Inglaterra não deveriam ter agido se tivessem feito o menor dos cálculos.”

“Alugamos esse navio e estávamos transportando a carga. A ação deles foi bastante tola, e eles certamente se arrependerão. Nossa ação recíproca ainda será anunciada”, ameaçou Fadavi.

O HMS Motrose realiza uma missão de três anos na base de apoio da Marinha britânica no Bahrein, que é o centro das operações navais do país a leste do Canal de Suez. O petroleiro British Heritage é operado pela empresa petrolífera British Petroleum (BP) e registrado na ilha britânica de Man.

A publicação Lloyd’s List, especializada em assuntos náuticos, disse que o navio desviou de sua rota para levar 140 toneladas de petróleo bruto para Basra, no Iraque, no dia 4 de julho, quando o petroleiro iraniano foi apreendido em Gibraltar. A embarcação britânica teria permanecido por vários dias em águas territoriais da Arábia Saudita.

Em nota, a BP agradeceu à Marinha Real Britânica pelo apoio e disse que sua prioridade é “a segurança de nossas tripulações e navios“.

Em torno de 20% de todo o petróleo comercializado em todo o mundo passa pelo Estreito de Ormuz, vindo de países produtores do Oriente Médio. O Irã já ameaçou em diversas ocasiões fechar o estreito caso as sanções americanas impeçam o país de exportar petróleo, o que já vem ocorrendo em consequência das sanções.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, trabalha para criar uma coalizão com os países aliados na região, como a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, pedindo que esses países contribuam financeiramente e militarmente para uma estratégia que Washington batizou de Programa Sentinela. O objetivo seria garantir a livre circulação e a segurança marítima no Golfo Pérsico, mantendo o Irã sob vigia.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Quentin Tarantino diz que seu Star Trek será um “Pulp Fiction no espaço”

O cineasta ainda não sabe se ele fará o filme, mas se diz empolgado com o material. Se o projeto for produzido, terá classificação indicativa para maiores, e será um Pulp Fiction no espaço. As …

EUA dizem ter abatido drone iraniano no Estreito de Ormuz

Trump afirma que navio americano adotou medida defensiva após ser ameaçado por aeronave não tripulada iraniana. Teerã nega e sugere que americanos podem ter derrubado um de seus próprios drones. O presidente dos Estados Unidos, Donald …

Netflix lança jogo com a 3ª temporada de Stranger Things e expande universo da série

A Netflix estreou, no início de julho, a 3ª temporada do bem-sucedido seriado Stranger Things. Com temas e referências dos anos 80 e 90, a produção é um dos maiores sucessos de audiência que a …

Alemanha aprova obrigatoriedade de vacina contra sarampo

Governo dá luz verde para lei que prevê multa de até 2,5 mil euros para pais que não vacinarem filhos em idade escolar contra sarampo. Obrigatoriedade se estende a adultos que trabalham em creches e …

Trump sugere que congressistas "extremistas" deixem os EUA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elevou o tom de suas críticas a quatro congressistas liberais do Partido Democrata, menosprezando a repercussão negativa da série de comentários considerados racistas feitos por ele nos últimos …

Nanodispositivo controlará qualidade da comida e melhorará diagnóstico médico

Uma equipe composta por cientistas de três países criou um novo tipo de sensor que pode revolucionar uma série de áreas da atividade humana, principalmente a biomedicina. No artigo, publicado na revista Advanced Functional Materials, os …

Bióloga da vida selvagem observa água-viva do tamanho de um ser humano

Durante um mergulho na costa de Cornwall, na Inglaterra, a bióloga Lizzie Daly e o operador de câmera subaquático Dan Abbott se depararam com uma inacreditável água-viva gigante, da espécie Rhizostoma pulmo. Daly e Abbott avistaram …

Elon Musk revela seus planos para hackear cérebros humanos

Uma das empresas do multi-empresário Elon Musk, a Neuralink, está trabalhando em uma tecnologia inovadora baseada em “fios” ou eletrodos que serão implantados no cérebro humano. O objetivo de tal tecnologia? Conectar nossos cérebros a potenciais …

Procuradoria francesa acusa Air France por queda de avião em 2009

Dez anos após a queda do voo AF447, que partiu do Rio de Janeiro com destino a Paris, a Procuradoria da capital francesa acusou a companhia aérea Air France pelo acidente, que provocou a morte …

OMS declara emergência internacional no Congo devido a ebola

Caso registrado numa das maiores cidades do país acende alerta da Organização Mundial de Saúde. Epidemia já deixou mais de 1,6 mil mortos em menos de um ano. A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou nesta …