Resolvido mistério da longevidade da primeira civilização na Terra

Sara jilani / Wikimedia

Sítio arqueológico de Harappa, berço da civilização Harapeana, no Vale do Indo

Uma equipe de arqueólogos revelou a causa pela qual a conhecida Civilização Indiana existiu por muitos milênios e conseguiu se adaptar durante as secas periódicas que abalavam o Vale do Indo.

“A sobrevivência da maioria das civilizações antigas dependia de um fator crucial — o acesso à água”, diz Cameron Petrie, pesquisador da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e autor de um novo estudo publicado na revista Current Anthropology.

“O estudo da forma como seus habitantes dispunham da água e a utilizavam ajuda a entender como a humanidade se adapta às novas situações e por que razão muitas pessoas continuam a praticar a economia natural mesmo sem ter necessidade disso”, acrescenta o antropólogo.

A Civilização Indiana, ou, em outras palavras, a Harapeana, é uma das civilizações mais antigas, ao lado da Egípcia e da Suméria. Ela nasceu por volta de 5 mil anos atrás no Vale do rio Indo, na fronteira entre os Estados contemporâneos da Índia e do Paquistão e atingiu seu auge no século XXIII a.C.

Naquela época, formou-se o sistema de comércio urbano e “internacional”, a planificação das povoações municipais, surgiram as instalações sanitárias, foram padronizados as medições e os pesos, e, consequentemente, a influência da Civilização Indiana se espalhou por todo o continente.

Após o ano 1900 a.C. ela começou a cair em declínio, algo que os cientistas até agora atribuíram a mudanças climáticas, ou seja, o clima virou mais frio e seco devido à atenuação das monções.

Por outro lado, os dados mais recentes em relação ao clima da Terra ao longo dos últimos 10 mil anos demonstram claramente que o clima do Indostão, o subcontinente indiano, mudou de modo brusco nas épocas anteriores a esta, o que leva os cientistas a discutir por que é que a Civilização Indiana não morreu antes.

Petrie e seus colegas decidiram investigar como é que as civilizações do Vale do Indo conseguiam sobreviver durante as secas. Para isso, os cientistas foram efetuar escavações nas margens de um lago seco que se situa perto de um dos centros da Civilização Indiana, Rakhigarhi.

(dr) Cameron Petrie

Escavações no sítio arqueológico de Masudpur I, Haryana, India

Escavações no sítio arqueológico de Masudpur I, Haryana, India

Petrie e seus colegas descobriram vestígios de um sistema peculiar de cultivação de produtos agrícolas que indicava que os habitantes da região produziam vários tipos de legumes e cereais ao mesmo tempo. Isto fez os cientistas concluir que, deste modo, os habitantes de Rakhigarhi e dos arredores se salvaram das secas.

Depois de analisar os dados recolhidos ao longo destas escavações e os dados sobre o então clima no Indostão, os cientistas repararam em um traço comum próprio de todas as cidades e comunidades da Civilização Indiana — todas elas ficavam em zonas climáticas onde as temporadas de chuva no Inverno e no Verão se sucediam.

Foi graças a isso que os agricultores da época conseguiam aguentar as secas periódicas, já que uma má safra no Verão poderia ser compensada por uma safra melhor de um cereal de inverno.

Nos séculos seguintes, as precipitações se reduziram muito e se mantiveram assim ao longo de quase 300 anos, o que levou à seca completa do lago e, segundo afirmam os pesquisadores, ao despovoamento das cidades nas suas margens.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Viagem tripulada a Marte seria melhor com passagem por Vênus, afirmam astrônomos

De acordo com cientistas norte-americanos, cálculos das órbitas entre a Terra e Marte os levaram a concluir que tais viagens seriam mais rápidas, eficientes, e permitiriam estudar os dois planetas. Uma viagem da Terra a Marte …

EUA: Suprema corte autoriza a divulgação de documentos financeiros de Trump

A Suprema Corte dos Estados Unidos impôs uma grande derrota a Donald Trump, ao decidir que um procurador de Nova York tem direito de acesso a vários documentos financeiros do presidente, incluindo declarações de …

O fenômeno "água morta", observado a mais de cem anos, é finalmente explicado

Finamente uma equipe com especialistas de múltiplas áreas CNRS e da Universidade de Poitiers, ambas na França, decifrou a misteriosa ocorrência pela primeira vez. O estranho é fenômeno que desacelera navios ou faz que eles parem …

Pode mesmo haver vida nas nuvens de Vênus, dizem cientistas

Quem gosta de astronomia não deve saber que Vênus não é o mais habitável dos planetas. Com temperaturas em torno de 470ºC e com uma atmosfera formada por dióxido de carbono e nitrogênio noventa vezes …

Cientistas rebatem decisão da China de coletar DNA de homens e meninos

Um relatório que revelou que a China está coletando DNA de milhões de pessoas para ajudar a solucionar crimes. Essa informação tem levantado preocupações entre os pesquisadores sobre privacidade e consentimento, sob o argumento de que …

China revela análise de substância estranha encontrada na Lua em 2019

Em julho de 2019, a equipe da missão chinesa Chang'e 4 encontrou uma substância estranha na Lua. A descoberta foi anunciada em agosto do mesmo ano, chamando a atenção da comunidade científica, mas nada foi …

Cientistas alertam OMS para transmissão aérea do coronavírus além de dois metros

A transmissão aérea do novo coronavírus interpela os especialistas desde o início da pandemia. Nessa segunda-feira, um grupo de 239 cientistas alertou as autoridades de saúde do mundo inteiro, e em particular a OMS, …

Governo tem que tirar garimpeiros de terras yanomami em 15 dias para começar a enfrentar covid-19 em áreas indígenas

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou que o Governo Federal deveria retirar os garimpeiros das terras yanomami de Roraima como medida para conter o avanço do novo coronavírus nos territórios indígenas. A decisão liminar …

Encontrada a origem da vida no universo

Uma estrela morre por segundo no universo. Mas esses objetos estelares não somem totalmente, algo sempre fica para trás. Certas estrelas entram em supernova, que geram um buraco negro ou uma estrela de nêutrons, enquanto a …

Bolsonaro afirma que está com covid-19

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (07/07) que seu exame para detectar a covid-19 teve resultado positivo. Bolsonaro, de 65 anos, se submeteu ao exame na segunda-feira, após dizer que estava sentindo sintomas leves da …