Secularismo e tolerância a minorias predizem a prosperidade de um país

Pesquisadores da Universidade de Bristol e Universidade do Tennesse analisaram dados de quase 500 mil pessoas de 109 países e concluíram que mudanças na cultura geralmente vêm antes da melhora na riqueza, educação e democracia.

Os cientistas sociais frisaram que os três ótimos indicadores são consequência direta da tolerância, e não o contrário. Eles utilizaram dados globais para mostrar que o secularismo e abertura em relação a minorias pode ser usado estatisticamente para prever o Produto Interno Bruto per capita, nível de educação e democratização.

O resultado mostra que valores culturais pré-existentes são fatores de previsão de níveis de crescimento econômico e prosperidade. Uma das conclusões da análise é que o planejamento de desenvolvimento de um país também deve levar em consideração os valores culturais.

Por exemplo, para promover a democracia em um país, é necessário não só realizar mudanças econômicas e de regime, mas também promover abertura e tolerância a minorias.

Os primeiros locais a observarem aumento dramático em riqueza, saúde, educação e democracia foram os países Ocidentais. É importante notar que neste estudo, são considerados Ocidentais os países da Europa, os Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, ou seja, países desenvolvidos e com alfabeto romano.

Quanto mais avermelhados, mais seculares são os países; quanto mais amarelos ou brancos, menos seculares são. O artigo chamado “Pré-requisitos culturais para o desenvolvimento socioeconômico” detalha a pesquisa e está disponível em inglês no portal da Royal Society.

“Esta pesquisa mostra que – pelo menos no século XX – locais que tiveram as principais melhoras também tenderam a ter culturas seculares e tolerantes pré-existentes”, diz nota da Universidade sobre o estudo.

O estatístico do estudo, Daniel Lawson, da Escola de Matemática da Universidade de Bristol, afirma que o método utilizado permitiu a eles apreender valores culturais a partir dos dados e compará-los com estatísticas históricas.

“Com acesso a bancos de dados gigantescos, a história está se tornando ciência. Nossa análise guiada por dados apoia a noção que uma ‘boa’ sociedade – que valoriza diversidade, tolerância e abertura – pode também ser uma sociedade ‘produtiva’, o que é motivo para se ter esperança sobre o futuro”, diz ele.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista

Apesar do registro de mais de um milhão de infectados à escala mundial, a doença poderia ser suplantada por patologias bem mais perigosas. Comparando com as doenças que poderiam reaparecer como resultado do aquecimento global, o …

Pesquisadores portugueses revelam que os neandertais foram pioneiros na exploração de recursos marinhos

Um novo estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Lisboa (Portugal) descobriu que a familiaridade dos hominídeos com o mar e os seus recursos é muito mais antiga do que se pensava – ao que …

Filipinas: presidente Duterte diz que polícia deve matar quem perturbar confinamento

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, disse que as forças de ordem podem abater qualquer pessoa que provoque “transtornos” nas regiões onde o confinamento da população foi decretado. As autoridades do país tentaram minimizar as declarações …

Evangélicos fazem coro com Bolsonaro e negam riscos do coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro gosta de copiar o seu ídolo americano, Donald Trump – da suposta inofensividade do coronavírus até os poderes de cura de medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina, passando pela teoria da conspiração …

'Estamos em guerra': França confiscou 1 milhão de máscaras destinadas à Espanha e Itália

Os dois países se envolveram em uma disputa diplomática depois que parte das máscaras com destino a outros países vindas da China foram retidas em cidades francesas. As autoridades francesas apreenderam milhões de máscaras que uma …

Sobrevivente da 2ª Guerra e Gripe Espanhola se cura do coronavírus ao 104 anos

Depois da Segunda Guerra Mundial e da pandemia de gripe espanhola, a nova inimiga do soldado aposentado William ‘Bill’ Lapschies, nascido em Salem em 1916, foi a Covid-19 – e ele venceu a batalha! Aos 104 …

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

UE teme que política autoritária adotada na Hungria por causa do coronavírus tenha efeito dominó no bloco

Em nome da luta contra o novo coronavírus, a Hungria estabeleceu estado de emergência e concedeu poderes ilimitados ao governo de Viktor Orbán. A Europa condena o uso político da pandemia da Covid-19 e …

Grécia põe campo de refugiados em quarentena após infeção

Autoridades confirmam ao menos 20 infecções, todas sem sintomas. Exames foram feitos após uma mulher que deu à luz ter testado positivo para o novo coronavírus no hospital. A Grécia colocou em quarentena o campo de …

Bactérias em rochas a 6 km de profundidade no Pacífico reacendem esperanças de vida em Marte

Bactérias unicelulares recém-descobertas nas profundezas marinhas deram aos investigadores pistas sobre como podem encontrar vida em Marte. A novidade científica foi anunciada hoje (2) no portal SciTechDaily em um artigo da Universidade de Tóquio, Japão. Estas …