Cientistas inserem com sucesso sensações “falsas” no cérebro

Uma equipe de cientistas conseguiu modificar a atividade de vários neurônios ao mesmo tempo com um dispositivo que permitirá, no futuro, moldar a memória, suprimir a dor e introduzir imagens no nosso cérebro.

Uma técnica desenvolvida para “editar” as sensações sentidas pelo nosso cérebro por cientistas da Universidade de Berkeley abre caminho a equipamentos capazes de eliminar a dor, inserir padrões de atividade cerebral e adicionar aspectos inexistentes às nossas memórias.

O “modulador cerebral holográfico“, descrito na Nature Neuroscience, usa projeções para ativar ou, pelo contrário, suprimir neurônios específicos. O objetivo da equipe é conseguir, desta forma, modificar a atividade do cérebro e inserir falsas sensações.

Uma potencial aplicação, apontada pelos cientistas, é o uso desta tecnologia para ajudar o paciente a controlar um membro prostético.

“Essa tecnologia tem um grande potencial para próteses neurais, já que tem a precisão necessária para o cérebro interpretar o padrão de ativação”, destaca Alan Mardinly, professor assistente de biologia molecular e celular na Universidade de Berkeley.

“Esse é um dos primeiros passos em um longo caminho para desenvolver uma tecnologia que poderia ser uma espécie de implante cerebral virtual com sentidos adicionais ou sentidos aprimorados”, explica ainda.

No entanto, o modulador está ainda em uma fase inicial. No estudo, os cientistas estudaram em particular uma pequena parte do cérebro de um rato, composta por cerca de 2 a 3 mil neurônios.

Através da optogenética, os neurônios foram equipados com uma proteína, usando um vírus geneticamente modificado, o que significava que a célula poderia ser ligada ou desligada com um flash de luz.

Para fazer com que essa luz atingisse apenas alguns neurônios, a equipe usou a holografia gerada por computador, que permitiu a criação de um holograma 3D de pontos de luz, que era projetado através de uma camada de tecido na superfície do córtex somatossensorial dos ratinhos.

“O principal avanço dessa experiência é a capacidade de controlar neurônios no espaço e no tempo”, afirmou o coautor do estudo Nicolas Pégard.

Os cientistas não notaram nenhuma mudança comportamental. Aliás, a atividade cerebral dos animais foi semelhante ao que seria esperado se os ratos respondessem a estímulos sensoriais reais.

O próximo passo da pesquisa passa por melhorar a tecnologia, de modo a que consiga trabalhar também com a camada externa do cérebro. Além disso, o tamanho do equipamento precisa ser reduzido. O objetivo dos cientistas é que caiba em uma mochila.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Especialista pode ter encontrado a resposta para estátuas egípcias com nariz quebrado

Na arte e na simbologia religiosa do antigo Egito, a representação da figura humana era celebrada como possível receptáculo de nossas almas ou mesmo de um Deus, em estátuas que possuíam profunda função ritualística. Passados alguns …

Estrela massiva desapareceu sem deixar traços

Um objeto espacial integrante da galáxia anã Kinman desapareceu de nossas vistas, de acordo com uma pesquisa publicada na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. Essa estrela excepcionalmente grande foi descrita em 2001 …

Vacina da covid-19 produzida no Brasil será distribuída em dezembro, se aprovada

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) pode começar a distribuir a vacina contra a COVID-19 em dezembro deste ano, caso os testes finais se mostrem efetivos para evitar a propagação da doença. A vacina vem sendo …

Hong Kong: um dia após adoção da lei de segurança nacional, polícia prende 180 manifestantes

Um homem que carregava uma bandeira a favor da independência de Hong Kong se tornou nesta quarta-feira (1°) a primeira pessoa presa com base na nova lei de segurança do território, promulgada na véspera …

Brasil tem 1.280 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas

A contagem das vítimas da epidemia do novo coronavírus no Brasil, divulgada pelo painel do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pelo Ministério da Saúde, voltou a registrar mais de mil mortes pela …

Google compra startup de óculos inteligentes

Após um fim de semana de boatos, o Google confirmou na terça-feira (30) que é o novo proprietário da North. A startup canadense ficou conhecida por seus óculos de realidade aumentada Focals, que mais parecem …

Cientistas trazem à tona explicação por que chovem diamantes em Netuno

Uma equipe de cientistas teorizou que diamantes podem se formar através de metano em planetas como Netuno e Urano, que possuem temperaturas maiores que as esperadas em seus centros. As profundezas dos planetas mais afastados do …

França se despede de Fessenheim, sua mais antiga central nuclear

Após 43 anos de funcionamento, na noite desta segunda-feira (29) para terça-feira (30), a central nuclear francesa de Fessenheim, localizada no nordeste do país, deixará definitivamente de operar, antes de ser desmontada. Uma vitória para …

Inteligência artificial: robô real está sendo treinado para estrelar filme de ficção científica

Uma robô japonesa chamada Erica foi escalada para ser a protagonista de um filme de ficção científica chamado “b”. Criada por cientistas japoneses, a atriz não humana recebeu aulas de atuação seguindo o clássico método …

Ministro da Educação distorceu experiência acadêmica na Alemanha

O professor Carlos Decotteli mal havia sido anunciado como novo ministro da Educação quando passou a ter suas credenciais acadêmicas contestadas. Primeiro, foi revelado que ele nunca havia completado seu doutorado, ao contrário do que …