Sob comando Talibã, Afeganistão volta a ter música como tabu e artistas silenciados

Nawid Tanha / Lusa

Em outubro de 1996, quando os soldados do Talibã tomaram o poder de Cabul, o grupo extremista impôs uma longa lista de interditos: mulheres estavam proibidas de ir à escola ou trabalhar, era proibido não frequentar a mesquita, cortar a barba era proibido, assistir a filmes também estava proibido, assim como jogar xadrez ou brincar de pipa, enumera Bruno Philip, correspondente do jornal francês Le Monde à época. Escutar música era outro “haram”, palavra árabe para definir o que é proibido.

De volta ao poder no Afeganistão há uma semana, os líderes Talibãs dizem à comunidade internacional que o novo governo será diferente dos anos de terror entre 1996 e 2001. Os relatos que chegam de Cabul, no entanto, contam história diferente. Em sete dias, a música foi silenciada na capital afegã.

“No momento, os combatentes do Talibã já estão reprimindo violentamente qualquer atividade musical. Eles começaram a impedir as pessoas de escutar música, e as lojas que vendem música ou instrumentos foram destruídas”, conta à RFI Ahmad Naser Sarmast, diretor do Instituto Nacional Afegão de Música.

O instituto está fechado por causa da situação de insegurança nas ruas da cidade, tomadas pelos soldados talibãs armados. “Ninguém está seguro nas ruas de Cabul”, diz Sarmast.

O etnomusicólogo teme pelo futuro da escola e de todos os artistas sob o regime do grupo extremista.

“É de cortar o coração ver todo o trabalho e o sacrifício de tantas pessoas virarem fumaça de um dia para o outro. Traz lembranças de 1996, quando os Talibãs destruíram todos os instrumentos musicais, quando os penduraram nas árvores, quando silenciaram todos os músicos. Ninguém no Afeganistão estava autorizado a tocar instrumentos. Temo que o povo afegão seja novamente amordaçado e privado de seu direito de tocar e ouvir música”, desabafa.

Instrumentos escondidos

O instituto tem 400 alunos, que agora escondem seus instrumentos. “Eles temem por sua segurança. Sabemos que os Talibãs estão indo de casa em casa, e meus alunos têm medo de que se um instrumento for encontrado na casa, eles serão punidos.”

Além de não confiar nos discursos dos líderes talibãs, Sarmast destaca que o exército do grupo é indisciplinado, e segue regras distintas.

“Eles prometeram respeitar os direitos humanos, a diversidade, as culturas. Mas quando se trata de colocar em prática estas promessas, nada acontece. E no terreno, os líderes parecem não ter nenhum controle sobre seus soldados: cada grupo armado parece ter sua própria agenda”, afirma.

Artistas buscam exílio

O receio de perseguição é compartilhado por muitos artistas. Nesta semana, a cantora Aryana Sayeed, uma das maiores estrelas do país, fugiu do Afeganistão para o Qatar.

A cantora de 36 anos era considerada um dos alvos do grupo extremista por cantar músicas sobre a liberdade e o direito das mulheres.

Aryana fazia parte do júri do programa “The Voice Afeganistão”. Ela e o marido vão se refugiar na Turquia.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …