TikTok pode sair da China para se afastar de polêmicas envolvendo privacidade

Febre durante a pandemia do novo coronavírus, nos últimos dias o TikTok tem virado notícia não pelo sucesso dos vídeos compartilhados na rede social, mas sim pelas sérias acusações de violação à privacidade dos usuários após ser flagrado espionando dados da área de transferência do usuário.

Inflamando essa situação, no início desta semana, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, revelou em entrevista à Fox News que o governo Trump estuda barrar alguns aplicativos chineses, entre eles a rede social que pertence à ByteDance, sediada na China.

Conforme divulgado pelo The New York Times, a Amazon, solicitou que seus colaboradores removessem o TikTok de qualquer dispositivo que “acesse o e-mail da Amazon” por conta dos “riscos à segurança” que a plataforma de vídeos curtos e engraçados oferece.

Após a publicação da matéria, a gigante do comércio eletrônico se retratou dizendo que a mensagem foi “enviada por engano” e que “não há mudanças em nossas políticas no momento em relação ao TikTok”.

Com todas as tensões políticas e econômicas envolvendo os Estados Unidos e China, a ByteDance, segundo informações do Wall Street Journal, está considerando retirar sua sede do país asiático. Além disso, a gigante de tecnologia também planeja criar um novo conselho de administração para o pequeno aplicativo de vídeo, tudo isso para mostrar ao mundo que é o TikTok é um aplicativo global e que não mantém relações com o governo chinês.

Em virtude dessas acusações, o TikTok segue bloqueado na Índia e outros países como a Austrália, por exemplo, também estudam a possibilidade de banir o app por conta de suas raízes chinesas.

Vale ressaltar que essa expansão global não chega a ser uma novidade, visto que em maio, por exemplo, a companhia contratou Kevin Mayer, ex-executivo da Disney, para liderar as operações internacionais do aplicativo.

TikTok tenta se mostrar transparente

Em busca de mostrar que não contribui para disseminação de fake news e, inclusive, coopera com o governo americano contra isso, na última semana a rede social divulgou um relatório de transparência. Segundo o documento, o TikTok removeu mais de 49 milhões de vídeos que violaram suas políticas durante o segundo semestre de 2019 (julho a dezembro).

Mais de 16 milhões desses vídeos vieram da Índia (no topo da lista), seguidos pelos EUA, com 4,6 milhões de remoções. O relatório mencionou também que o TikTok recebeu 45 pedidos para remover vídeos de 10 países, entre eles os Estados Unidos.

“A tecnologia hoje não é tão avançada que podemos confiar apenas nela para impor nossas políticas”, revela trecho do relatório, destacando que há uma equipe de moderadores humanos treinados que revisam o conteúdo publicado na plataforma.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e aposentar as baterias no futuro

O mundo já conhece os benefícios da tecnologia 5G como a alta velocidade na transmissão de dados e baixa latência. Agora, os cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA, descobriram que essas redes …

Covid: como evitar a trágica marca de 5 mil mortes por dia no Brasil?

No dia 19 de maio de 2020, o Brasil atingiu pela primeira vez a marca das mil mortes diárias por covid-19. Esse número permaneceu relativamente estável, em um patamar considerado alto, durante todo o segundo semestre …

Físicos afirmam que o universo é um computador de aprendizado de máquina

Físicos teóricos que trabalham com a Microsoft lançaram um artigo na sexta-feira afirmando que o universo é essencialmente um computador de aprendizagem de máquina (machine learning, em inglês). Os pesquisadores, vários afiliados à Microsoft, pré-publicaram um …

Mundo ainda tem países sem uma única dose de vacina

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 600 milhões de doses de vacina contra a covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo. Mas a discrepância entre países é alta: enquanto, …

Covid: site calcula quando você será vacinado. Resultados não animam

Um grupo de voluntários chamado CoronavirusBra desenvolveu uma plataforma para calcular quando você será vacinado contra a covid-19. O ‘Quando vou ser vacinado?’ utiliza dados públicos como a média de imunizados com o número de pessoas …

Rússia inicia desenvolvimento de mais uma vacina contra COVID-19

Sendo o primeiro país a registrar uma vacina contra a COVID-19, a Rússia anunciou o início do desenvolvimento de mais uma vacina contra o coronavírus. A criação do novo medicamento estará a cargo do Instituto Smorodintsev …

Especialista chinês: ascensão da China faz EUA entrarem em pânico e ficarem nervosos

O desenvolvimento econômico e a ascensão do país asiático fazem os EUA ficarem nervosos e entrarem em pânico, mas este medo se origina em seus preconceitos, disse em entrevista à Sputnik um especialista chinês. Li Junru, …

Interação de múons, a nova força da natureza que cientistas acreditam ter descoberto

Desde colar um ímã na porta de uma geladeira até jogar uma bola em uma cesta de basquete, as forças da física funcionam em todos os momentos de nossas vidas. Todas as forças que experimentamos todos …

Receita afirma que "só rico lê" e reforça preconceito de classe brasileiro

A Receita Federal deseja manter o projeto que cobra impostos sobre livros. Através da mesclagem entre PIS e Cofins, a nova CBS (Contribuição sobre bens e serviços), uma espécie de imposto sobre valor agregado, o …

Tribunal europeu dá aval a vacinação obrigatória

Corte de direitos humanos diz que medida pode ser necessária em sociedades democráticas e abre precedente no combate à covid-19. Tribunal julgava ação de famílias tchecas que se recusaram a vacinar os filhos. O Tribunal Europeu …