TikTok pode sair da China para se afastar de polêmicas envolvendo privacidade

Febre durante a pandemia do novo coronavírus, nos últimos dias o TikTok tem virado notícia não pelo sucesso dos vídeos compartilhados na rede social, mas sim pelas sérias acusações de violação à privacidade dos usuários após ser flagrado espionando dados da área de transferência do usuário.

Inflamando essa situação, no início desta semana, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, revelou em entrevista à Fox News que o governo Trump estuda barrar alguns aplicativos chineses, entre eles a rede social que pertence à ByteDance, sediada na China.

Conforme divulgado pelo The New York Times, a Amazon, solicitou que seus colaboradores removessem o TikTok de qualquer dispositivo que “acesse o e-mail da Amazon” por conta dos “riscos à segurança” que a plataforma de vídeos curtos e engraçados oferece.

Após a publicação da matéria, a gigante do comércio eletrônico se retratou dizendo que a mensagem foi “enviada por engano” e que “não há mudanças em nossas políticas no momento em relação ao TikTok”.

Com todas as tensões políticas e econômicas envolvendo os Estados Unidos e China, a ByteDance, segundo informações do Wall Street Journal, está considerando retirar sua sede do país asiático. Além disso, a gigante de tecnologia também planeja criar um novo conselho de administração para o pequeno aplicativo de vídeo, tudo isso para mostrar ao mundo que é o TikTok é um aplicativo global e que não mantém relações com o governo chinês.

Em virtude dessas acusações, o TikTok segue bloqueado na Índia e outros países como a Austrália, por exemplo, também estudam a possibilidade de banir o app por conta de suas raízes chinesas.

Vale ressaltar que essa expansão global não chega a ser uma novidade, visto que em maio, por exemplo, a companhia contratou Kevin Mayer, ex-executivo da Disney, para liderar as operações internacionais do aplicativo.

TikTok tenta se mostrar transparente

Em busca de mostrar que não contribui para disseminação de fake news e, inclusive, coopera com o governo americano contra isso, na última semana a rede social divulgou um relatório de transparência. Segundo o documento, o TikTok removeu mais de 49 milhões de vídeos que violaram suas políticas durante o segundo semestre de 2019 (julho a dezembro).

Mais de 16 milhões desses vídeos vieram da Índia (no topo da lista), seguidos pelos EUA, com 4,6 milhões de remoções. O relatório mencionou também que o TikTok recebeu 45 pedidos para remover vídeos de 10 países, entre eles os Estados Unidos.

“A tecnologia hoje não é tão avançada que podemos confiar apenas nela para impor nossas políticas”, revela trecho do relatório, destacando que há uma equipe de moderadores humanos treinados que revisam o conteúdo publicado na plataforma.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …