Planetas da TRAPPIST-1 são compostos 50% por água; e essa não é uma boa notícia

Um novo estudo sugere que alguns dos planetas ao redor da estrela TRAPPIST-1 poderiam ter tanta água, que isto pode não ser necessariamente uma boa notícia. Dois deles chegariam aos 50% da massa compostos por água; outros dois, 15%.

Liderado por Cayman Unterborn, da Universidade Estatal do Arizona, o estudo foi publicado nesta terça-feira (20), na revista Nature Astronomy. Na pesquisa, os cientistas examinaram as densidades de massa dos sete planetas do sistema TRAPPIST-1, a 40 anos-luz da Terra, para determinar a quantidade de água neles.

É importante citar que os astrônomos conseguem saber da existência de determinadas características de exoplanetas (fora do Sistema Solar) observando-os passar, em “trânsito”, na frente da estrela-mãe. Neste caso, a anã vermelha TRAPPIST-1.

Já se sabe que o tamanho de cada planeta é quase o mesmo que o da Terra, mas orbitam tão próximos da estrela quanto Mercúrio orbita o Sol.

Agora, os pesquisadores descobriram que dois dos planetas mais afastados, TRAPPIST-1f e g, provavelmente, são compostos por mais de 50% de água. Os planetas mais próximos, TRAPPIST-1b e c, são provavelmente mais áridos, mas ainda compostos por até 15% de água.

Para se ter uma ideia, a massa da Terra é apenas 0,02% água.

Os astrônomos explicam que os planetas f e g foram, possivelmente, formados além da linha de neve (região para lá da qual o gelo pode se formar num sistema planetário). Depois, “migraram” para a zona habitável da estrela, onde a água em estado líquido pode existir. Já os planetas b e c se formaram, provavelmente, dentro da linha de neve.

“Acreditamos que, em comparação com os planetas do Sistema Solar, também formados dentro da linha de neve, TRAPPIST-1b e c contém centenas de oceanos“, escreveu a equipe no estudo.

Embora toda essa água possa parecer promissor para o surgimento da vida, os planetas podem ter alguns “problemas de umidade”, observa o site especializado em astronomia Space.

Segundo o portal, algumas teorias sugerem que um planeta inteiramente coberto de água, desprovido de qualquer terreno exposto, pode ter dificuldades para desenvolver a vida.

Há também alguns pontos de interrogação sobre as estruturas dos próprios planetas. TRAPPIST-1f, por exemplo, poderia ter uma faixa de água líquida que teria 200 quilômetros de profundidade, 20 vezes a da fossa das Marianas (o ponto mais profundo de qualquer oceano na Terra, com cerca de 10 quilômetros até o solo marítimo, onde pode haver vida).

Abaixo destes 200 quilômetros molhados, haveria uma camada de gelo. Abaixo desta, existiria uma camada de silicato de magnésio. Então, finalmente, se chegaria a um núcleo de ferro líquido. Esta composição não seria eficaz na regulação da temperatura do planeta através de processos geológicos.

“Planetas rochosos, com frações de massa de água maiores do que a nossa, podem não se comportar de forma geoquímica e geofisicamente semelhante à Terra“, escreveu a equipe.

“Sem terrenos expostos, os principais ciclos geoquímicos seriam paralisados, incluindo a retirada de carbono e fósforo da atmosfera para serem depositados nos reservatórios oceânicos (processo possível por causa do clima continental), limitando assim o tamanho da biosfera”, acrescentou.

Os cientistas afirmam ainda que, apesar de parecer habitável, dificilmente encontraremos vida nos planetas do sistema TRAPPIST-1. E essa também pode ser a realidade para outras estrelas anãs vermelhas. Mais que isso: já descobrimos que esse tipo de estrela também é capaz de “matar” seus planetas.

Entretanto, segundo o IFLScience, ainda não sabemos o quanto os terrenos expostos em meio aos oceanos da Terra foi importante para o surgimento da vida por aqui. Mas o estudo sugere que não devemos ficar tão empolgados com TRAPPIST-1 — ainda.

EM, Ciberia // IFLScience

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Plataforma de gelo no Canadá quebra e cria iceberg pouco menor que Vitória, do Espírito Santo

Após um aquecimento de cerca de 9 ºC nas últimas décadas, a Milne, considerada "a última plataforma de gelo completa" no mundo, perdeu uma grande parte, formando um iceberg. Uma das maiores plataformas de gelo no …

Cientistas propõe adicionar drogas psicoativas na água potável

Pesquisadores do Reino Unido propuseram uma idéia radical para reduzir a taxa de suicídios: incluir o medicamento psicoativo lítio — um estabilizador de humor — na água potável da população. Parece uma idéia completamente radical, mas …

Magnata da mídia é preso em Hong Kong

Jimmy Lai, crítico do regime de Pequim e proprietário de jornal pró-democracia, foi detido com base em nova lei de segurança nacional imposta pela China. O empresário Jimmy Lai, uma das figuras mais influentes do movimento …

Twitter entra na briga pela compra do TikTok e pode fundir redes sociais

O banimento do TikTok nos Estados Unidos virou uma verdadeira novela mexicana. O aplicativo chinês, que tem até 45 dias para encontrar uma companhia americana para assumir suas operações no país e não ser bloqueado …

Motoboy é vítima de racismo de homem branco: "Você tem inveja disso aqui [minha cor]"

A manhã de sexta-feira (7) começou com mais um caso de racismo no Brasil. Um vídeo que viralizou no Twitter registra um homem branco fazendo injúrias raciais contra um entregador de delivery. As fortes imagens são …

‘Grande ameaça à saúde pública’: cientistas descobrem mutação resistente a remédio contra a malária

Pesquisadores em Ruanda identificaram uma cepa do parasita causador da malária que é resistente a medicamentos. O estudo, publicado na revista Nature, revelou que os parasitas eram capazes de resistir ao tratamento com a artemisinina, um …

Brasil, um ano no foco da crítica ambiental mundial

Em agosto de 2019, país virou pária ambiental devido a incêndios e aumento do desmatamento. Bolsonaro reagiu com agressividade e insultos. Agora, aumenta a pressão de investidores estrangeiros por uma mudança de rumo. Foi uma catástrofe …

Com medo da Covid-19, Venezuela discrimina venezuelanos que voltam ao país

Várias medidas vêm sendo aplicadas na Venezuela para conter a Covid-19. Um estádio foi transformado em hospital de campanha, blocos de concreto foram colocados nas vias, festas estão proibidas e há um canal de …

Centro Gamalei, desenvolvedor de vacina russa, explica como funciona e se há riscos para o paciente

O diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei falou sobre os testes da vacina, que será registrada oficialmente na quarta-feira (12). As partículas do coronavírus na vacina da COVID-19 não podem prejudicar …

Mistura inusitada de amônia e água cria raios superficiais e granizos em Júpiter

Júpiter, o maior gigante gasoso do Sistema Solar, é um lugar coberto por tempestades estranhas. O que os cientistas ainda não sabiam é que no meio dessas tormentas, existem raios de natureza bem diferente dos …