Possíveis sinais de vida encontrados quilômetros abaixo do fundo do mar

(dr) Oliver Plümper / Utrecht University

-

Uma equipe internacional de pesquisadores encontrou possíveis evidências de vida dez quilômetros abaixo do fundo do mar na fossa das Marianas.

Em seu artigo, publicado na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences”, a equipe descreve amostras de serpentina coletadas em respiradouros hidrotermais e o material encontrado mostra evidências de seres vivos habitando mais abaixo da superfície do que se pensava.

A fossa das Marianas é a parte mais profunda de qualquer um dos oceanos do mundo. Seu ponto mais baixo fica aproximadamente 11 quilômetros abaixo do nível do mar. A região fica a sudoeste do Japão e tem sido explorada constantemente desde o desenvolvimento do veículo submarino remoto ROV, remotely operated vehicle.

Pesquisas anteriores mostraram que a fossa se formou devido à Placa Tectônica do Pacífico deslizar sob a Placa das Filipinas, tornando-a uma zona de subducção.

Nesta última expedição, os pesquisadores, liderados por Oliver Plümper, da Universidade de Utrecht, usaram um ROV para extrair 46 amostras de serpentina do fundo do oceano perto do vulcão de lama Chamorro do Sul e as trouxeram ao laboratório para estudos.

Sinais de vida

Serpentina é um mineral que se forma quando olivina no manto superior encontra a água empurrada para cima a partir de uma zona de subducção. Essas reações produzem gás metano e hidrogênio, o que, observam os pesquisadores, poderia ser usado como fonte de alimento por micróbios.

A serpentina é empurrada do fundo do mar para a superfície por respiradouros hidrotermais, onde os cientistas descobriram as amostras usadas na pesquisa.

Após o exame das amostras, os pesquisadores encontraram vestígios de material orgânico que era muito semelhante ao produzido por micróbios que vivem em lugares mais acessíveis.

Segundo a equipe, é possível que as amostras de serpentina sejam evidências de vida vivendo bem abaixo da superfície.

Dados de estudos prévios foram utilizados para calcular quão abaixo do fundo do mar a serpentina foi formada, o que possibilitou estimar até que ponto os possíveis micróbios poderiam viver – aproximadamente dez quilômetros abaixo do fundo do mar.

Essa distância, somada à profundidade da fossa das Marianas, colocaria esses sinais de vida 20 quilômetros abaixo do fundo do mar!

A equipe reconhece que suas descobertas não são prova de vida abaixo do fundo do mar; sabe-se que outros processos produzem tanto a serpentina como a matéria orgânica. Porém, de acordo com os cientistas, sua descoberta sugere que encontrar vida num lugar tão profundo é possível.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Startup ajuda pequenas empresas a monitorarem vacinação dos funcionários

A startup brasileira White Tents lançou uma versão em formato freemium — isto é, gratuita mas com alguns recursos pagos — de sua plataforma digital para pequenas empresas que queiram monitorar a vacinação de até …

Argentina vacinará brasileiros na região de fronteira e turistas estrangeiros menores de 18 anos

O governo argentino anunciou uma nova flexibilização para a entrada de estrangeiros no país, a vacinação de turistas menores de 18 anos e de cidadãos de países vizinhos que atravessarem a fronteira por via …

CPI da Pandemia conclui trabalhos e pede o indiciamento de Bolsonaro

Senadores aprovam relatório sobre atuação do governo na crise do coronavírus que propõe punição de 78 pessoas e duas empresas, após seis meses de depoimentos, coleta de provas e repercussão na mídia. A CPI da Pandemia …

Sinais de possível 1º exoplaneta fora da Via Láctea são detectados

Pela primeira vez na história, é possível que os cientistas tenham descoberto um planeta em outra galáxia. O possível exoplaneta recebeu o nome de M51-ULS-1 e se encontra a 28 milhões de anos-luz de distância na …

China vai vacinar crianças a partir de três anos contra a covid-19

Imunizantes aprovados são das farmacêuticas chinesas Sinopharm e Sinovac, fabricante da Coronavac. País será um dos primeiros a começar a vacinar essa faixa etária. No total, China já vacinou 76% da população. Ao menos cinco províncias …

"Bolsonaro ignora todas as necessidades culturais dos brasileiros", diz Gilberto Gil à revista Télérama

A imprensa francesa desta segunda-feira (25) destaca o show de Gilberto Gil nesta noite na Filarmônica de Paris. O músico brasileiro conversou com o jornal Le Monde e com a revista Télérama. "Gilberto Gil", embaixador …

"Peças extraordinárias" achadas na Indonésia podem ser da lendária "ilha do Ouro"

Tesouros no valor de milhões de dólares encontrados nos últimos cinco anos ao longo do rio Musi podem ser do antigo império malaio Serivijaia, na ilha de Sumatra, que por 300 anos dominou as rotas …

Pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", diz diretor da OMS

A pandemia de Covid-19 vai acabar "quando o mundo decidir acabar com ela", disse neste domingo (24) o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus. O representante da ONU discursou na abertura …

Google está “criando Deus”, alerta ex executivo da Google

Segundo um ex-executivo do Google, a singularidade está chegando. E, segundo ele isso representa uma grande ameaça para a humanidade. Mo Gawdat, ex-diretor de negócios da organização moonshot do Google, que na época se chamava Google …

Pandemia causa a maior redução na expectativa de vida desde a Segunda Guerra

Desde a descoberta do coronavírus SARS-CoV-2, mais de 4,9 milhões de pessoas morreram oficialmente em consequência da infecção, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Nesse cenário, a pandemia da covid-19 reduziu a expectativa de vida …