Trump inicia desconstrução da política ambiental de Obama

O presidente norte-americano, Donald Trump, iniciou ontem (28) a desconstrução do legado de Barack Obama relacionado com o clima, motivado pela vontade expressa de dar um empurrão às energias fósseis, com o carvão à frente, em nome do emprego.

A forma escolhida por Trump para se demarcar da política energética da anterior Administração não podia ser mais simbólica: o presidente norte-americano – que questiona abertamente a realidade do aquecimento global – deslocou-se à sede da Agência norte-americana de Proteção do Ambiente (EPA), a poucas centenas de metros da Casa Branca, para assinar o “decreto sobre a independência energética”.

O decreto contribuirá para garantir que energia seja “acessível e limpa”, de forma a “favorecer o crescimento econômico e a criação de empregos”, de acordo com um resumo adiantado pela Casa Branca, citado pela agência France Press.

O documento assume o objetivo “reduzir obstáculos inúteis” no setor e lança um reexame da bandeira de Obama para a energia: o “Clean Power Plan” (plano nacional de energia limpa).

Este plano de Obama pretendia garantir a transição energética nos Estados Unidos, impondo às centrais térmicas reduções das emissões de CO2 na ordem dos 32% até 2030 face a 2005. Se entrasse em vigor, iria resultar no fechamento de muitas centrais a carvão (as mais antigas e poluentes).

O plano de Obama está entretanto bloqueado pela justiça norte-americana, depois de ter sido alvo de providências cautelares por três dezenas de Estados, na maioria republicanos.

Reexaminar o plano da Administração anterior “levará um certo tempo”, reconheceu a Casa Branca, evocando em particular os procedimentos de consulta do público em vigor na EPA.

Apesar de se encontrar em declínio, o carvão é ainda um setor importante na paisagem energética norte-americana. Centenas de centrais a carvão estão espalhadas pelo país, contribuindo para cerca de um terço da eletricidade produzida no país, a par da eletricidade que é produzida com gás natural e à frente da nuclear e da hidrelétrica.

Trump tem repetido a vontade de relançar a exploração do “maravilhoso carvão limpo” e de, assim, dar emprego a “muitos mineiros”. A maior parte dos especialistas questionam, no entanto, que o decreto assinado ontem resulte na criação líquida de empregos.

“Isso não terá praticamente nenhum impacto“, considerou, de acordo com a AFP, James van Nostrand, um professor da Universidade de Virginia, lembrando que o declínio do carvão está ligado ao aumento dos custos de exploração e à concorrência acrescida do gás natural e das energias renováveis.

“Desmantelar a EPA e livrar-se da regulamentação não fará renascer a indústria do carvão”, sublinhou Van Nostrand.

O número de empregos no setor caiu de 88 mil em 2008 para 66 mil em 2015, de acordo com o Departamento da Energia.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Crivella quer abrir cassino no Rio

Com uma expansão em mente para atrair ainda mais turistas ao Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella começou a trabalhar para abrir um cassino na cidade. A era de ouro dos cassinos no Brasil durou de …

Jovem com síndrome de Down será a primeira no país a tirar carteira de motorista

A chef de cozinha de 22 anos, Maria Clara de Carvalho será primeira brasileira com síndrome de Down a conseguir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Maria Clara é casada, faz aula de teatro, dança …

Superterra gelada vizinha do nosso planeta pode abrigar vida primitiva

Edward Guinan e Scott Engle, cientistas da Universidade de Villanova, no estado norte-americano da Pensilvânia, anunciaram que pode existir vida primitiva em GJ 699b, a Superterra gelada que orbita a estrela de Barnard, localizada a apenas …

China faz história: pela primeira vez, nasce uma semente de algodão na Lua

A missão espacial chinesa conseguiu fazer brotar uma semente de algodão na Lua, informou nesta terça-feira (15) a imprensa estatal, em um feito inédito, alcançado pelo Chang'e 4, a primeira sonda a pousar no lado …

Submarinos russos serão equipados com “torpedos do Juízo Final”

Os submarinos das frotas do Norte e do Pacífico da Marinha russa deverão brevemente contar com 32 drones nucleares Poseidon, conhecidos como “torpedos do Juízo Final”, capazes de destruir completamente cidades costeiras. Segundo revela o portal Russkoe …

Universidade egípcia expulsa aluna por abraçar o noivo (fora do campus)

A aluna abraçou o noivo quando o rapaz a pediu em casamento, mas o gesto, que não aconteceu no interior do campus, foi o suficiente para a jovem ser expulsa pela universidade. A universidade egípcia de Al …

Escultura “McJesus” provoca protestos em Israel

Uma escultura representando a figura de Ronald McDonald (da cadeia de fast food McDonald’s) crucificado, em uma exposição de arte em Israel, está provocando protestos da minoria cristã árabe no país. Centenas de cristãos árabes pediram …

Há uma espiral misteriosa na atmosfera de Vênus

A nave espacial não tripulada Akatsuki, do Japão, encontrou gigantescas estruturas espirais na atmosfera de Vênus, formadas por ventos polares e pela rápida rotação do planeta. A atmosfera de Vênus ganha atenção de astrônomos há quase …

Tem “barriga de cerveja”? Seu cérebro pode estar encolhendo

Uma equipe de pesquisadores britânicos concluiu que quem acumula mais gordura na zona do abdômen apresenta uma maior probabilidade de redução do cérebro e de aparecimento de demência. Com a linha da cintura em expansão, surgem …

Até os antigos egípcios faziam tarefa de casa

Uma tarefa de casa, escrita por uma criança do Antigo Egito, ficou preservada desde o segundo século a.C. – e as palavras podem parecer familiares até nos dias de hoje. Uma lição antiga preservada em uma …