Uber diz estar trabalhando em mudança cultural após acusações de assédio sexual

Fernanda Carvalho / Fotos Públicas

-

A Uber realizou esta semana uma reunião extraordinária para se defender das recentes acusações de sexismo, assédio sexual e estupro que vêm sofrendo e dizer que está tomando providências para mudar a cultura da empresa.

Arianna Huffington, membro do conselho da companhia, foi a responsável por conduzir a reunião e por falar em nome do CEO Travis Kalanick. De acordo com ela, a companhia assume total responsabilidade sobre o que foi classificado de “problemas culturais” e que está trabalhando em medidas para “consertar o que há de errado“.

Recentemente a engenheira da computação Susan Fowler descreveu como foi trabalhar um ano na Uber e detalhou enfrentamentos de sexismo e assédio sexual que teria sofrido na empresa durante o período.

Apesar de ter se reportado os problemas diretamente ao departamento de Recursos Humanos e a gestão superior, Fowler diz que ela e outras mulheres funcionárias da companhia foram ignoradas.

Além disso, no começo deste mês de março vazou um relatório interno que diz que a Uber recebeu milhares de reclamações de clientes em todo o mundo sobre casos de assédio sexual e estupro. Oficialmente, a empresa havia admitido apenas cinco alegações de estupro e 170 de assédio entre dezembro de 2012 e agosto de 2015 ao invés de milhares.

Esses e outros problemas, inclusive, levaram o presidente Jeff Jones a pedir demissão do posto no início desta semana, colocando a empresa em ainda mais apuros.

Para apagar o incêndio, a empresa convocou a reunião extraordináriana terça-feira (21) numa tentativa de mostrar que as mulheres que lá trabalham estão satisfeitas e empenhadas em tornar o ambiente corporativo menos segregado e machista.

Para tanto, Huffington e as demais executivas disseram que Kalanick teria lhes dado “carta branca” para resolver quaisquer problemas organizacionais ou de cultura que possam haver.

A diretora de Recursos Humanos Liane Hornsey disse já ter conduzido “mais de 100 entrevistas” com as funcionárias da Uber a fim de rastrear e estabelecer o que deve ser melhorado. Segundo a executiva, há uma clara necessidade de mais “diversidade e inclusão”.

Ela também disse que a empresa reviu 1.500 ofertas de emprego e editou suas descrições para “garantir que estejam livres de qualquer tipo de discriminação“. Agora, o foco da empresa é tornar a remuneração por desempenho “mais justa e igualitária” e ensinar seus funcionários o porquê de a diversidade ser importante.

Explicando a ausência do presidente executivo na reunião, Huffington disse que ele continuava a trabalhar na busca por um novo chefe de operações (COO) e garantiu que ela e outras executivas de alto escalão já haviam sido entrevistadas para o posto.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …