Vacina “made in Cuba” contra covid-19 pode estar a caminho

USACE Europe District / Flickr

Até agora, Cuba tem se saído bem na contenção da pandemia do coronavírus. Há alguns dias, porém, o país caribenho relata um número crescente de infecções, levando o governo a impor um novo regime de confinamento em Havana.

Restaurantes e bares voltaram a ser fechados, transportes públicos foram suspensos e praias, bloqueadas. A solução, agora, provavelmente só virá na forma de uma vacina eficaz contra a covid-19. Quando isso vai acontecer, é o que também se perguntam muitos cubanos.

Vários países estão pesquisando uma vacina contra o coronavírus, entre eles Rússia, China, Estados Unidos e Reino Unido, apontou nesta terça-feira (18/08) o epidemiologista-chefe de Cuba, Francisco Durán, em sua coletiva de imprensa diária, acrescentando: “Nosso país também está trabalhando nisso.”

Por sua vez, Eduardo Martínez, presidente da empresa cubana de biotecnologia BioCubaFarma, tuitou: “Conseguir uma vacina eficaz contra a covid-19 é uma prioridade para todo o nosso sistema de ciência e inovação. Hoje, nós do Instituto Finlay vemos um progresso sólido e rápido neste projeto.”

Experiência no desenvolvimento e produção de vacinas

O Instituto Finlay é um centro governamental de ciência sediado em Havana, dedicado à pesquisa e fabricação de vacinas. Lá, no Centro de Imunologia Molecular e no Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB), cientistas cubanos trabalham atualmente em quatro possíveis vacinas, uma das quais já está bem avançada nos testes, segundo a imprensa estatal.

“À luz da pandemia de coronavírus, temos duas prioridades: a capacidade de realizar testes rápidos e em massa, que possibilitem o monitoramento epidemiológico e o desenvolvimento de vacinas específicas que ajudarão a combater a doença em nosso país”, anunciou, sem dar detalhes, Rolando Pérez, diretor de Ciência e Inovação da BioCubaFarma, num programa especial na TV cubana.

A pesquisa cubana se concentra nas “vacinas baseadas em partículas semelhantes a vírus, que apresentam vantagens em termos de capacidade de fortalecer e ativar o sistema imunológico” e são um ponto forte da pesquisa de vacinação cubana, disse Gerardo Guillén, diretor de pesquisa biomédica do CIGB, em entrevista coletiva concedida em junho.

Estas incluem as que são administradas por via nasal, como, por exemplo, a vacina terapêutica contra a hepatite B crônica desenvolvida em Cuba, a primeira no mundo a ser administrada por via nasal contra uma doença infecciosa crônica.

“E agora, já que estamos lidando com uma doença respiratória, acreditamos que ter uma plataforma de imunização através da mucosa terá logicamente um impacto maior na obtenção de uma resposta funcional e eficaz contra este vírus.” Segundo Guillén, existem projetos de pesquisa em parceria com a União Europeia e a China.

Ao contrário de muitos outros países em desenvolvimento, Cuba possui uma poderosa divisão de biotecnologia e seus próprios laboratórios. A experiência da biotecnologia cubana no desenvolvimento de vacinas é útil na luta contra o vírus Sars-Cov-2. E isso torna o país interessante para projetos comunitários.

“Cuba produz quase 80% das vacinas do Programa Nacional de Imunizações. Tal é a capacidade do país de fabricar vacinas. Tem o Instituto Finlay e tem uma grande área de inovação tecnológica”, diz o diretor cubano da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), o chileno José Moya.

“Temos que ser realistas”

Segundo relatos, Cuba é um dos países que poderiam produzir a vacina Sputnik V em parceria com cientistas russos. O anúncio da vacina russa causou sensação, sendo recebido com muito ceticismo e críticas, já que, para a aprovação, a fase 3 dos testes clínicos foi simplesmente ignorada. Não se espera, porém, que Cuba pule as etapas de aprovação, pois Havana costuma seguir estritamente as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Cuba tem uma excelente capacidade para fabricação de vacinas. Estamos discutindo o início da produção com várias empresas cubanas. Acreditamos que Cuba possa se tornar um dos centros mais importantes para a produção de vacinas”, declarou, em videoconferência, Kirill Dmitriev, diretor do fundo estatal russo Direct Investment Fund (RDIF), que financiou o projeto de vacinação da Rússia. Segundo ele, a produção da vacina russa em Cuba pode começar em novembro “se trabalharmos bem com o governo e as empresas cubanas”. Os detalhes, no entanto, ainda não foram divulgados.

Apesar do anúncio de uma vacina russa e de todos os avanços na pesquisa, não haverá uma vacina produzida em massa e em funcionamento tão cedo, adverte Durán. “Nós temos que ser realistas”: atualmente, a única proteção eficaz contra a infecção é “usar máscara e cumprir as regras de higiene e distanciamento”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China consegue pousar veículo não tripulado em Marte

A China conseguiu neste sábado pousar um veículo autônomo não tripulado em Marte. A fase final da operação Tianwen-1 aconteceu sem falhas, informou a TV estatal chinesa, que transmitiu um programa especial chamado Alo …

Lewandowski permite que Pazuello fique em silêncio na CPI

Ex-ministro da Saúde será obrigado a comparecer ao depoimento, mas não precisará responder perguntas que possam incriminá-lo. No entanto, será obrigado a falar a verdade em fatos e questões relacionados a terceiros. O ministro do Supremo …

Como o coronavírus afeta o fígado

O SARS-CoV-2, vírus causador da covid-19, mudou completamente a cara do mundo que conhecíamos até então. Ele afetou praticamente todos os aspectos da vida cotidiana e causou mudanças substanciais nas ciências da saúde e, portanto, na …

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …

Putin: Rússia reagirá de maneira devida às ameaças perto de suas fronteiras

Durante reunião com membros do Conselho de Segurança da Rússia nesta sexta-feira (14), o presidente da Rússia pediu que lhe fosse reportado sobre o agravamento do conflito israelo-palestino, que toca diretamente os interesses de segurança …

Covid: 16 mil pessoas foram imunizadas com doses de vacina trocadas no Brasil

Um levantamento de dados da Folha de São Paulo com informações do DataSUS, base de dados do Ministério da Saúde, mostrou que pelo menos 16 mil pessoas receberam doses de vacinas diferentes em seu processo …

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro no Brasil

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica. E essa necessidade se …

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos já fez mais de 100 mortos

O conflito entre israelitas e palestinianos subiu de tom na madrugada de hoje, com o Exército israelita a bombardear a faixa de Gaza. Desde segunda-feira já morreram 119 palestinianos nestes ataques, entre eles 31 …