Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente 319 milhões de doses em todo o mundo. Outros laboratórios que participam da luta contra a epidemia de coronavírus também publicaram bons resultados.

As vendas da AstraZeneca representaram US $ 572 milhões na Europa e US $ 455 milhões em países emergentes, de acordo com um comunicado à imprensa publicado pelo grupo sueco-britânico.

Enquanto isso, o laboratório americano Pfizer planeja vender este ano US $ 33,5 bilhões em vacinas contra a Covid-19, desenvolvidas em parceria com a alemã BioNTech. O valor supera os US $ 26 bilhões que o grupo havia previsto, em maio, e os US $ 15 bilhões estimados, em fevereiro.

O laboratório Moderna, que também desenvolveu uma vacina contra o coronavírus, previu, em maio, vendas anuais de US $ 19,2 bilhões.

Já o grupo farmacêutico americano Johnson & Johnson estima uma receita de US $ 2,5 bilhões com seu imunizante, este ano.

Pfizer tem mais margem de manobra em preços

O lucro maior da Pfizer tem explicação. Além do sucesso retumbante da aliança com a alemã BioNTech, o laboratório americano só vende seus produtos a preço de custo para países pobres, enquanto seus concorrentes, Johnson & Johnson e AstraZeneca, se comprometeram a fazer isso para todos os clientes, durante a pandemia.

“A velocidade e eficácia de nossos esforços com a BioNTech para ajudar a vacinar o mundo contra a Covid-19 é sem precedentes, agora com mais de um bilhão de doses entregues globalmente”, afirmou o CEO do grupo, Albert Bourla, nesta quarta-feira (28), quando foram divulgados os resultados financeiros do segundo trimestre.

Considerando todas as atividades da empresa, a Pfizer alcançou vendas de US $ 18,9 bilhões no período, quase o dobro do ano anterior (+ 92%) e acima das expectativas dos analistas, que esperavam 18,45 bilhões. O lucro líquido trimestral aumentou 59%, para US $ 5,5 bilhões.

Com vendas crescentes, a empresa aumentou suas previsões de faturamento e lucros anuais. A estimativa de faturamento em 2021 está entre US $ 78 bilhões e US $ 80 bilhões, contra US $ 70,5 bilhões a US $ 72,5 bilhões anunciados em maio. As vendas de vacinas anticovid são o carro-chefe do grupo, tendo arrecadado US$ 11,3 bilhões, no primeiro semestre.

Terceira dose

Graças às campanhas de vacinação que estão sendo implementadas em todo o mundo, a Pfizer está aumentando o número de contratos, para 2,1 bilhões de doses, no total. Um dos pedidos mais recentes é o dos EUA, de 200 milhões de doses adicionais, elevando as vendas para o mercado interno americano para 500 milhões de doses.

Esse volume pode crescer ainda mais. Pfizer/BioNTech recomendam uma terceira dose de sua vacina a fim de torná-la mais eficaz diante da variante Delta que causa surtos epidêmicos na Ásia e na África e eleva o número de casos na Europa e nos Estados Unidos.

“Novos estudos mostram que uma terceira dose tem efeitos neutralizantes contra a variante Delta cinco vezes maior em jovens e mais de onze vezes em idosos”, informa a empresa. Inicialmente originária da Índia, essa variante é a mais contagiosa detectada desde o início da pandemia, que já matou mais de 4,17 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com o relatório da agência AFP desta quarta-feira.

Os laboratórios Pfizer/BioNTech também podem solicitar uma autorização emergencial da vacina para crianças de 5 a 11 anos, até o fim de setembro, se for “necessária” e se os resultados de testes estiverem disponíveis até então. Os estudos em crianças de 6 meses a 5 anos ainda estão em andamento.

A vacina já foi autorizada a partir dos 12 anos nos Estados Unidos, Canadá e 27 países da União Europeia.

Com relação a uma vacina potencial que visa especificamente a variante Delta, a Pfizer informa que começará testes clínicos em agosto.

Francesa Sanofi: vendas em alta

Após um segundo trimestre sólido, a gigante farmacêutica francesa Sanofi revisou, nesta quinta-feira (28) sua previsão de resultados para 2021. O lucro líquido da empresa deve cair em consequência de sua separação da parceira americana Regeneron, no ano passado, mas as vendas serão dinâmicas.

A Sanofi registrou um lucro líquido de € 1,2 bilhão no segundo trimestre, contra um lucro de € 7,6 bilhões um ano antes, quando o grupo havia colhido os ganhos da venda de suas ações da Regeneron.

O volume de negócios aumentou 6,5%, para 8,7 bilhões de euros, valor em linha com as expectativas de analistas de mercado. Com base nesses resultados, o laboratório, que está desenvolvendo duas vacinas contra a Covid-19, revisou para cima suas perspectivas para 2021. O lucro líquido por ação (EPS), um indicador-chave para a Sanofi, deve crescer 12%.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Por que as drogas psicodélicas estão mais perto do mercado convencional

O aumento da permissão de uso de psicodélicos como terapia promete transformar a forma como vemos o extraordinário. Foi em 1971 que Rick Doblin usou LSD pela primeira vez. Era uma tarde de sábado na Flórida, em …

Covid-19: EUA autorizam 3ª dose da vacina da Pfizer para idosos e grupos de risco

Os Estados Unidos autorizaram nesta quarta-feira a aplicação de uma terceira dose da vacina contra a covid-19 da Pfizer para maiores de 65 anos, pessoas com alto risco de contrair uma forma grave da …

Ministério da Saúde recua e volta a recomendar vacinação de adolescentes

O Ministério da Saúde recuou nesta quarta-feira (22/09) e voltou a recomendar a vacinação de adolescentes sem comorbidades contra a covid-19, uma semana após ter recomendado a suspensão. "Concluímos que os benefícios da vacinação de adolescentes …

Queiroga testa positivo para covid-19 e fica em Nova York

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para covid-19 durante a viagem a Nova York, na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, e ficará em isolamento na cidade, comunicou nesta quarta-feira (21/09) a Presidência da …

Vulcão em erupção nas Canárias: o cenário 'desolador' enfrentado por moradores afetados pelo Cumbre Vieja

Juan Vicente Rodríguez ainda não chegou às lágrimas, mas ele garante que no final "todos vão acabar chorando". Morador da ilha canária La Palma, Rodríguez observa nas redondezas os rios de lava do vulcão Cumbre Vieja …

Anistia Internacional acusa empresas farmacêuticas de deixar países pobres sem vacinas anticovid

A ONG Anistia Internacional divulgou um relatório nesta quarta-feira acusando os grandes grupos farmacêuticos que produzem vacinas contra a Covid-19 de alimentar uma crise de direitos humanos sem precedentes. Por essa razão, a entidade …

Descobrem na Espanha dezenas de pegadas de espécie extinta de elefantes

Paleontólogos descobriram em Huevla, na Espanha, em um sítio da época do Pleistoceno Superior, trilhas e rastros de elefantes recém-nascidos e juvenis atribuídos a elefantes de presas retas (Palaeoloxodon antiquus). Os elefantes de presas retas são …

Na ONU, Bolsonaro defende ineficaz "tratamento precoce"

O presidente Jair Bolsonaro usou nesta terça-feira (21/09) seu discurso de abertura da 76ª Assembleia-Geral das Nações Unidas para defender o desacreditado "tratamento precoce" promovido pelo seu governo, que consiste num coquetel de drogas ineficazes …

Turismo em reservas naturais federais no Brasil triplica em 13 anos

Cerca de 15 milhões de turistas visitaram reservas ambientais federais no Brasil em 2019, uma alta de 300% nos últimos 13 anos. Se por um lado esse aumento reflete um maior interesse dos brasileiros em …

Presidente do Conselho da UE acusa EUA de "falta de lealdade" após ruptura de contrato com a França

O presidente do Conselho da União Europeia, Charles Michel, acusou nesta segunda-feira (20) os Estados Unidos de falta de lealdade depois que a Austrália cancelou um amplo contrato com a França para comprar submarinos …