Na Rússia da Copa, uma viatura cheia de olhos digitais está atrás de bandidos

Em Ryazan, região a cerca de 200 quilômetros de Moscou, um novo carro de polícia está entrando em operação e mostrando até que ponto a tecnologia vai tornar a vida de procurados pela Justiça bem mais difícil.

A viatura, que acaba de ser apresentada pelo Ministério do Interior da Rússia, foi batizada de MBC, sigla para Complexo Biométrico Móvel.

O seu funcionamento é quase simples: trata-se de um automóvel dotado de uma poderosa câmera panorâmica com zoom, automatizada e móvel, e ainda conectado a outras 10 câmeras de vigilância externas.

Mas o segredo está em um servidor de computador instalado na viatura. Nele roda um sofisticado software baseado em redes neurais, criado pela startup russa NtechLab, para reconhecimento facial de vídeo em tempo real.

As câmeras externas podem estar em qualquer lugar – no caso de Ryazan, elas foram localizadas junto a esquadrias móveis de detectores de metais usados em shows, festivais e grandes eventos esportivos. As imagens de quem entra, sai ou circula nos locais de eventos são enviadas à viatura e processadas instantaneamente.

Um operador a bordo do carro pode ver o que está se passando nas 11 câmeras por meio de telas, mas o trabalho duro é mesmo da Inteligência Artificial embarcada no software da NtechLab. Ela observa os rostos captados nos vídeos e os compara com uma base de dados faciais de criminosos ou de procurados pela Justiça.

O sistema permite que, alertado pela inteligência artificial, o agente a bordo da viatura identifique um criminoso em eventos de massa e envie um alerta na hora aos policiais de área, incluindo foto da pessoa e resumo do crime cometido.

Além da eficácia em termos de segurança para o público, o sistema ajuda a diminuir filas em pontos de controle de acesso de grandes eventos.

“Uma característica incrível é a interação entre pontos de verificação estacionários e móveis, o que dá aos agentes de segurança controle de todo o perímetro do evento e permite que ainda façam verificações pontuais de suspeitos”, diz Ivan Bakhilov, vice-chefe de polícia departamental do Ministério do Interior russo.

A mobilidade extra que Bakhilov cita decorre de que, além das câmeras, um gadget pode ser usado por agentes de campo para registrar foto de um suspeito ou de alguém que esteja aprontando alguma malandragem no entorno.

A imagem é processada também instantaneamente pelo software, que verifica se o registro bate com a imagem do banco de dados policial.

O sistema ainda não está sendo usado nos jogos da Copa, diz o CEO da NtechLab, Mikhail Ivanov, mas bem que poderia. “É tudo muito novo. O complexo biométrico móvel de Ryazan é o primeiro em funcionamento na Rússia e acaba de ser implantado”, diz Ivanov.

“Mas a biometria facial é uma tecnologia fascinante: o algoritmo, além de analisar enormes fluxos de vídeo de pessoas sem incomodá-las, leva menos de um segundo para localizar um rosto no banco de dados.”

Essa velocidade foi um dos fatores que levou o governo russo a optar pela tecnologia da startup sediada em Moscou e fundada há pouco mais de dois anos.

Segundo Bakhilov, do Ministério do Interior, a tecnologia de reconhecimento facial da NtechLab já em testes prévios se mostrou como “a mais rápida e precisa” para controle de acesso em eventos de massa.

Para ele, depois de novos testes práticos de outras de suas características, o sistema deve ser implantando também em outras regiões do país. Pelo que tudo indica, os olhos digitais do MBC prometem estar em outros grandes jogos, como os da Copa, que sejam realizados na Rússia – ou em outros países.

Ciberia //

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas revelam nova razão que explica dependência do álcool

De acordo com um novo estudo, a dependência do álcool tem uma relação direta com as mudanças climáticas: quanto mais frio é o clima e menos incidência de sol, mais as pessoas tendem a consumir …

Cientistas encontraram pássaro que é três espécies em uma só

Cientistas encontraram um pássaro incomum na Pensilvânia, que guarda um incrível segredo genético: a toutinegra é o híbrido de três espécies diferentes de pássaros. Uma equipe de cientistas encontrou um pássaro incomum na Pensilvânia, cuja mãe …

Hitler abraçou uma menina judia; 85 anos depois, a foto foi a leilão

Uma foto de 1933 mostra o ditador nazista ao lado de uma menina de seis anos de idade cuja avó era judia. A imagem, com uma dedicatória assinada por Hitler, foi arrematada em leilão por …

No deserto mais seco do mundo, a chuva mata

No deserto mais seco e mais antigo da Terra, as coisas não funcionam da mesma maneira que em outros lugares. A água, por exemplo, não é uma bênção. No deserto do Atacama, no Chile, as …

CIA pensou em usar “soro da verdade” nos interrogatórios do 11 de setembro

O “Projeto Medicação” foi posto de lado em 2003, mas, até lá, os médicos da CIA estudaram a hipótese de substituir as violentas técnicas de interrogatório pelo uso de um “soro da verdade” que fizesse …

Distração de professora provoca ferimentos em 40 crianças na China

A distração de uma professora que se esqueceu de apagar uma luz ultravioleta em uma escola de Tianjin, perto de Pequim, causou ferimentos e queimaduras em mais de 40 crianças, informou nesta sexta-feira a imprensa …

Hábito diário pode ajudar a prever morte prematura

A velocidade com que caminhamos fornece muitas pistas sobre o nosso estado de saúde e pode mesmo ajudar a prever uma morte prematura.  Segundo um novo estudo, realizado o por cientistas da Universidade do Sul …

Assassino de John Lennon sente “mais vergonha” a cada dia que passa

Mark David Chapman, que assassinou John Lennon em 1980, disse a um conselho de condicional que se sente “mais e mais envergonhado” a cada ano que passa por ter assassinado o ex-Beatle. “Há 30 anos, eu …

Submarino argentino ARA San Juan é achado um ano após ter desaparecido com 44 tripulantes

A carcaça do submarino argentino Ara San Juan, desaparecido desde 15 de novembro de 2017 com 44 tripulantes a bordo, foi localizada no fundo do oceano Atlântico, a 800 metros de profundidade, a leste da …

Cientistas determinam qual foi o pior período na história da humanidade

Cientistas americanos chegaram à conclusão de que em 536 d.C., "um dos períodos mais terríveis" começou na história da humanidade. Segundo o historiador medieval Michael McCormick, arqueólogo da Universidade de Harvard, um "nevoeiro misterioso" caiu sobre a …