20 milhões de pessoas podem morrer de fome nos próximos 6 meses

Wikimedia

-

A ONU alerta que “se nada for feito, cerca de 20 milhões de pessoas podem morrer de fome nos próximos seis meses”. Um “número assustador” que evidencia a crise humanitária que se vive na África por causa da seca e da guerra.

Em um apelo à ação das nações mundiais, o diretor-geral da ONU para a Agricultura e a Alimentação (FAO), José Graziano da Silva, alerta que “se nada for feito, cerca de 20 milhões de pessoas podem morrer de fome nos próximos seis meses”.

Um aviso lançado na abertura do Conselho da FAO para a necessidade de agir para salvar as vidas de milhões de pessoas que estão à beira de morrer de fome em países como o Sudão do Sul, a Somália, a Nigéria e o Iêmen.

“A fome não mata apenas pessoas, contribui para a instabilidade social e também perpetua o ciclo de pobreza e a dependência de ajuda que subsiste durante décadas”, salienta ainda Graziano da Silva.

O diretor da FAO destaca que em algumas comunidades rurais, de certos países africanos, vivem-se situações “desesperadas”, devido às secas provocadas pelas mudanças climáticas.

Além dos casos de seca extrema, há também zonas com conflitos armados que subsistem há vários anos no Sudão do Sul, na Somália e na Nigéria, levando milhares de refugiados a se deslocarem para países próximos. Estas pessoas ficam, assim, dependentes de ajuda alimentar.

A falta de resposta da comunidade internacional tem mantido estes conflitos ativos e o fluxo de refugiados em constante crescimento.

O responsável pela Organização Não Governamental (ONG) Handicap International, Xavier Duvauchelle, destaca que em 2011 a crise de comida provocou a morte de 271 mil pessoas na África. Mas ele alerta que estamos agora enfrentando “um desastre muito maior”.

“Sem uma intervenção drástica, vamos testemunhar um nível de sofrimento humano como nunca vimos nos últimos 70 anos”, aponta Duvauchelle, realçando que “20 milhões de pessoas no Sudão do Sul, na Somália, no Iêmen e na Nigéria enfrentam níveis críticos de insegurança de comida”.

“Todos os dias, durante meses, cada uma destas 20 milhões de pessoas tem tentado encontrar comida suficiente para se sustentar e aos seus entes queridos. Tragicamente, em algumas áreas, as pessoas já morrem de fome e de doenças relacionadas“, aponta o responsável da ONG.

Trata-se de “um número assustador”, constituindo “um terço da população da França”, conforme destaca Duvauchelle.

O dirigente da Handicap International cita o exemplo dos refugiados do Sudão do Sul que têm chegado à Uganda e à Etiópia nos últimos meses, destacando que há uma “preocupação” particular com “o número de crianças com menos de 5 anos que estão chegando a um estado de má nutrição severa e aguda“.

Duvauchelle frisa que estas crianças enfrentam um “risco extremamente elevado de infecção”, além de que o seu “desenvolvimento cognitivo e o crescimento” podem ser afetados. Assim, apela à importância de destinar fundos de emergência para o combate à fome e à guerra na África.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Pesquisadores se deparam com '1º colar' humano de 160.000 anos

Fósseis de conchas de amêijoas de 160 mil anos encontradas em cavernas de Israel são os primeiros exemplares de conchas usadas como adorno no corpo humano, defendem pesquisadores. Há cerca de 160 mil a 120 mil …

A China diz ter identificado uma nova doença muito mais mortal do que o Covid-19

A embaixada da China no Cazaquistão alertou sobre uma nova pneumonia desconhecida que seria ainda mais mortífera do que o coronavírus (Sars-CoV-2) causador Covid-19, de acordo com o South China Morning Post (SCMP). “A taxa de …

The Sims ganhará reality show para premiar jogadores em US$ 100 mil

A longeva franquia The Sims, onde gamers gerenciam todos os aspectos da vida de avatares virtuais, vai ganhar um reality show. Veiculado pela emissora norte-americana CBS, a atração se chamará “Spark’d” e deve ir ao ar …

Nudes de 100 anos encontrados dentro de parede são avaliados em milhares de dólares

O senso comum sugere que as gerações passadas eram mais conservadoras que as atuais, especialmente no que diz respeito à sexualidade. Basta escavarmos um pouco a memória – ou as paredes de nossas casas – para …

Presidente interina da Bolívia testa positivo para covid-19

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, revelou nesta quinta-feira (09/07) que foi infectada pelo novo coronavírus e que iniciará um período de quarentena. "Junto com toda a minha equipe, temos trabalhado pelas famílias bolivianas durante …

Após Bolsonaro tirar máscara em entrevista, ABI entra com ação contra presidente no STF

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) apresentou nesta quinta-feira (9) uma queixa criminal ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro, depois que ele tirou a máscara em uma entrevista em que anunciou …

A quantidade de nitrogênio emitida pela pecuária já ultrapassou os limites seguros

A quantidade de nitrogênio emitida pela criação de animais para abate é superior ao que o planeta pode aguentar. Cientistas alertam que é necessário diminuir o consumo de carne e laticínios. As principais fontes de nitrogênio …

França vai adotar teste de saliva nos aeroportos para evitar 2ª onda de Covid-19

O governo francês anunciou nesta sexta-feira (10) a implementação de testes a base de saliva em seus aeroportos. A medida, que tem como objetivo evitar uma segunda onda de contaminação pelo coronavírus, visa principalmente os …

De 4.200 anos? Arqueólogos desvendam em Israel 'emoji' mais antigo do mundo

Arqueólogos israelenses encontraram evidências de arte rupestre sem precedentes em dólmens de 4.200 anos. O novo projeto de pesquisa faz parte de um estudo de dólmens (monumentos megalíticos tumulares construídos por humanos) na Alta Galileia e …

Governo remarca Enem para janeiro e fevereiro de 2021

O Ministério da Educação anunciou nesta quarta-feira (08/07) as novas datas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020, adiado em razão da epidemia de covid-19. As provas em papel serão aplicadas em 17 …