6 anos após independência, 2 milhões de crianças no Sudão ainda esperam a paz

USAID Africa Bureau

-

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, chamou a situação no país de “catástrofe para crianças”. Mais de 2 milhões de menores fugiram de suas casas para fugir dos combates.

Na véspera do sexto aniversário da independência do Sudão do Sul, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, lamentou que as esperanças e sonhos das crianças da jovem nação ainda não tenham se materializado.

A agência chamou a situação no Sudão do Sul de “uma catástrofe para crianças“. Segundo o Unicef, são elas que continuam a suportar o peso do conflito e do colapso de serviços essenciais.

O representante do Unicef no Sudão do Sul, Mahimbo Mdoe, chamou atenção para as “dificuldades impensáveis” enfrentadas pelos menores sul-sudaneses e os obstáculos em áreas como educação, nutrição e saúde.

Mdoe afirmou que mais de 2 milhões de crianças fugiram de suas casas para fugir dos combates. Mais de 2 mil foram mortas ou feridas e muitas outras testemunharam “violência horrível”. No mês passado, o número de menores refugiados chegou a 1 milhão.

Segundo o Unicef, em quase todos os aspectos de suas vidas, as crianças estão tendo sua infância negada no Sudão do Sul.

Cerca de 2,2 milhões não estão na escola. O país tem a maior proporção de menores fora das salas de aula, mais de 70%. Um terço de todas as escolas foram atacadas por grupos armados.

Mais da metade da população sul-sudanesa, ou 6 milhões de pessoas, está em situação de insegurança alimentar. Estimativas são de que 1,1 milhão de crianças estejam intensamente desnutridas, 290 mil delas de forma grave.

A agência também alertou que o quase colapso dos sistemas de água e saneamento no país expôs crianças a vírus mortais como o do sarampo e a doenças como cólera.

O atual surto da doença é o mais longo e difundido na história do Sudão do Sul. Desde o início da epidemia há um ano, mais de 10 mil casos foram registrados, 51% deles em crianças.

Pelo menos 2,5 mil crianças foram mortas ou feridas desde a eclosão do conflito em dezembro de 2013. Mais de 17 mil estão atualmente nas fileiras das forças armadas ou de grupos armados, e o recrutamento continua.

Em meio às circunstâncias extremamente difíceis, neste ano o Unicef e seus parceiros forneceram tratamento a mais de 293 mil crianças com menos de cinco anos para doenças como malária, pneumonia e diarreia e também para mais de 5 mil casos de cólera.

As agências também forneceram água potável a 500 mil pessoas, instalações de saneamento a outras 200 mil e trataram 80 mil crianças com desnutrição grave.

Além disso, o Unicef forneceu acesso à educação a 184 mil menores, reuniu 434 crianças com suas famílias. Menores que haviam sido associados a grupos armados receberam serviços de reintegração.

A agência continua a aumentar sua resposta de emergência para chegar às pessoas que mais precisam e o representante no país reiterou: “atores humanitários precisam de acesso pleno e seguro e crianças do Sudão do Sul precisam de paz”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

'Ela tinha medo do coronavírus': exame confirma que mulher morreu por covid-19 após festa

Um exame confirmou que a aposentada Maria Salete Vieira, de 60 anos, morreu em decorrência da covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Ela começou a apresentar sintomas dias após participar de uma festa em família …

Solução? Cientistas criam vírus que poderia ser capaz de combater a COVID-19

Cientistas dos EUA realizam experimentos com ratos infectados com o coronavírus MERS que permitiriam obter solução eficiente no combate à COVID-19. Até o momento não existe uma vacina que possa proteger as pessoas de infecções provocadas …

Bernie Sanders desiste de concorrer à presidência dos EUA

Senador abandona disputa pela indicação democrata à Casa Branca após série de derrotas nas primárias. Decisão abre caminho para que o ex-vice-presidente Joe Biden seja adversário de Trump nas eleições de novembro. O senador Bernie Sanders …

Antártida: geleira está se tornando o cânion mais profundo do mundo e isso é péssimo

Recentemente cientistas anunciaram a descoberta de algo absolutamente desconhecido e sem precedentes: um cânion de gelo com 3,5 quilômetros abaixo do nível do mar, confirmado como nada menos que o ponto mais profundo da superfície …

OMC prevê cenário sombrio para o comércio global e Brasil será bastante atingido

Sob o impacto da pandemia do novo coronavírus, a Organização Mundial de Comércio (OMC) prevê um cenário sombrio para o comércio global este ano. A expectativa é de uma queda vertiginosa que pode chegar …

COVID-19 deve ter pico no Brasil em abril e maio, dizem Mandetta e especialistas

A previsão de disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no país não é nada animadora para os próximos meses. Isso porque ainda estamos em uma fase intermediária da infecção, que deve ter seus momentos de pico em …

Esse novo tratamento alivia a depressão em 90% dos pacientes

De acordo com uma nova pesquisa americana, um tratamento com estimulação magnética transcraniana pode ser muito eficaz para pessoas com depressão severa: em um experimento, foi capaz de aliviar os sintomas em 90% dos pacientes. Normalmente, …

Israel: ministro que definiu Covid-19 como ‘castigo divino a gays’ está com coronavírus

Aos 71 anos, Yaakov Litzman, ministro da Saúde de Israel e também líder do partido ultra-ortodoxo “Judaísmo Unido da Torá”, testou positivo para Covid-19. O diagnóstico foi divulgado nesta terça-feira (7) pela imprensa local e chamou …

Saúde de Boris Johnson preocupa britânicos, mas governo garante que premiê passa bem

O Reino Unido acompanha com preocupação a degradação do estado de saúde do primeiro-ministro Boris Johnson, que anunciou publicamente ter sido contaminado pelo novo coronavírus há dez dias. Depois de ser hospitalizado no domingo (5), …

Cortes na ciência comprometem resposta à covid-19 no Brasil

A fila de 16 mil testes para covid-19 no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, expõe a vulnerabilidade de um país que escolheu não investir em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) nos últimos anos. A …