6 anos após independência, 2 milhões de crianças no Sudão ainda esperam a paz

USAID Africa Bureau

-

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, chamou a situação no país de “catástrofe para crianças”. Mais de 2 milhões de menores fugiram de suas casas para fugir dos combates.

Na véspera do sexto aniversário da independência do Sudão do Sul, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, lamentou que as esperanças e sonhos das crianças da jovem nação ainda não tenham se materializado.

A agência chamou a situação no Sudão do Sul de “uma catástrofe para crianças“. Segundo o Unicef, são elas que continuam a suportar o peso do conflito e do colapso de serviços essenciais.

O representante do Unicef no Sudão do Sul, Mahimbo Mdoe, chamou atenção para as “dificuldades impensáveis” enfrentadas pelos menores sul-sudaneses e os obstáculos em áreas como educação, nutrição e saúde.

Mdoe afirmou que mais de 2 milhões de crianças fugiram de suas casas para fugir dos combates. Mais de 2 mil foram mortas ou feridas e muitas outras testemunharam “violência horrível”. No mês passado, o número de menores refugiados chegou a 1 milhão.

Segundo o Unicef, em quase todos os aspectos de suas vidas, as crianças estão tendo sua infância negada no Sudão do Sul.

Cerca de 2,2 milhões não estão na escola. O país tem a maior proporção de menores fora das salas de aula, mais de 70%. Um terço de todas as escolas foram atacadas por grupos armados.

Mais da metade da população sul-sudanesa, ou 6 milhões de pessoas, está em situação de insegurança alimentar. Estimativas são de que 1,1 milhão de crianças estejam intensamente desnutridas, 290 mil delas de forma grave.

A agência também alertou que o quase colapso dos sistemas de água e saneamento no país expôs crianças a vírus mortais como o do sarampo e a doenças como cólera.

O atual surto da doença é o mais longo e difundido na história do Sudão do Sul. Desde o início da epidemia há um ano, mais de 10 mil casos foram registrados, 51% deles em crianças.

Pelo menos 2,5 mil crianças foram mortas ou feridas desde a eclosão do conflito em dezembro de 2013. Mais de 17 mil estão atualmente nas fileiras das forças armadas ou de grupos armados, e o recrutamento continua.

Em meio às circunstâncias extremamente difíceis, neste ano o Unicef e seus parceiros forneceram tratamento a mais de 293 mil crianças com menos de cinco anos para doenças como malária, pneumonia e diarreia e também para mais de 5 mil casos de cólera.

As agências também forneceram água potável a 500 mil pessoas, instalações de saneamento a outras 200 mil e trataram 80 mil crianças com desnutrição grave.

Além disso, o Unicef forneceu acesso à educação a 184 mil menores, reuniu 434 crianças com suas famílias. Menores que haviam sido associados a grupos armados receberam serviços de reintegração.

A agência continua a aumentar sua resposta de emergência para chegar às pessoas que mais precisam e o representante no país reiterou: “atores humanitários precisam de acesso pleno e seguro e crianças do Sudão do Sul precisam de paz”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sem capacidade para reciclar, Malásia devolve lixo para países desenvolvidos

A Malásia devolveu 150 contêineres de lixo ilegal para seus países de origem. Entre eles estão os Estados Unidos, a França, o Reino Unido e o Canadá, anunciaram as autoridades nesta segunda-feira (20). Segundo …

Defesa de Trump diz que processo de impeachment é ilegal

Em primeira manifestação formal desde o início do julgamento do presidente, defesa acusa oposição democrata de tentar interferir nas eleições de 2020. Os advogados do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disseram neste sábado que o …

Cidade de interior de SP inicia tarifa zero no transporte público

Enquanto diversas capitais ao redor do país aumentam o valor das passagens no transporte público, algumas outras cidades pensam diferente. Se o transporte coletivo gratuito parece um sonho inalcançável e utópico, algumas administrações públicas buscam maneiras …

Quantos anos de vida saudável os ricos ganham em relação aos pobres?

Um novo estudo europeu e americano descobriu que os ricos possuem cerca de nove anos de vida saudável a mais do que os pobres. A pesquisa foi bastante abrangente – os cientistas analisaram dados de mais …

O país sul-americano que deve crescer 14 vezes mais que a China neste ano

A Guiana ganhou na loteria e está prestes a resgatar o prêmio. Seus vizinhos, especialmente a Venezuela, aguardam intrigados para saber em que ela vai gastar. De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a economia …

Portugal supera marca histórica de 500 mil imigrantes residindo no país; brasileiros são a maioria

Portugal atingiu um número recorde de imigrantes vivendo no país. O anúncio foi feito pelo governo nesta quarta-feira (15), durante debate no Parlamento sobre o Orçamento de Estado para 2020. "Os dados preliminares levam a dizer …

Papa Francisco nomeia primeira mulher para cargo de alto escalão no Vaticano

Pela primeira vez, uma mulher ocupará um cargo de alto nível no Vaticano. O Papa Francisco nomeou Francesca Di Giovanni para a função de vice-ministra da Secretaria de Estado da Santa Sé, órgão equivalente ao …

Khamenei chama Trump de "palhaço" e exalta ataque a bases dos EUA

Em primeiro sermão desde 2012, líder supremo do Irã afirma que Trump finge apoio ao povo iraniano e pede união após dizer que queda de avião foi "acidente trágico". EUA admitem que militares ficaram feridos. O …

Uma desconhecida explosão de ondas gravitacionais foi detectada na Terra

Os detectores de ondas gravitacionais da Terra, os observatórios LIGO e Virgo, identificaram uma misteriosa “explosão” de ondas gravitacionais não prevista na última terça-feira, 14 de janeiro. As ondas gravitacionais detectadas até hoje foram resultado de …

Twitter pede desculpas por permitir anúncios direcionados a neonazistas

O Twitter emitiu hoje (16), um pedido de desculpas público, logo após a BBC fazer uma denúncia de que a plataforma de anúncios da empresa estava permitindo o direcionamento de conteúdo para neonazistas e outros …