Afinal, aprender inglês desde cedo não é tão positivo como se pensava

As crianças que começam a aprender inglês no primeiro ano da Escola Primária alcançam resultados piores do que aquelas que só começam a estudar o idioma no terceiro ano. Esta é a conclusão de um novo estudo científico realizado na Alemanha.

Pesquisadores da Universidade Ruhr (RUB), em Bochum, e da Universidade Técnica de Dortmund, ambas na Alemanha, analisaram dados recolhidos em um estudo de grande escala, realizado no país entre 2010 e 2014, e concluíram que começar, desde cedo, a aprender uma língua estrangeira na escola, como o inglês, pode não acarretar tantos resultados positivos como o esperado.

“Começar aulas de língua estrangeira em idade prematura é, muitas vezes, muito elogiado, embora quase nenhuma pesquisa suporte este mito“, destaca o pesquisador Nils Jakel, professor de Língua Inglesa na RUB e um dos autores do estudo, citado em comunicado sobre a pesquisa divulgado pela Universidade.

Foi com essa ideia em mente que os pesquisadores alemães analisaram informações de 5.130 estudantes de 31 escolas secundárias, comparando os dados dos que começaram a estudar inglês na primeira série com os daqueles que só iniciaram o ensino da língua no terceiro ano.

Os autores analisaram especialmente a capacidade de escrita e de audição em inglês nos quinto e sétimo anos, respectivamente, conforme se atesta no artigo científico publicado no jornal Language Learning.

“No quinto ano, as crianças que tiveram suas primeiras aulas de inglês muito cedo, na Escola Primária, alcançaram melhores resultados no que respeita a proficiência de leitura e de audição”, concluíram os pesquisadores.

Mas a realidade mudou no sétimo ano, época em que “as crianças que só começaram a aprender inglês a partir da terceira série foram melhores”.

“Nosso estudo confirmou resultados de outros países, por exemplo a Espanha, que mostram que aulas prematuras de inglês, com uma ou duas horas por semana, na Escola Primária, não são muito eficazes a alcançar competências linguísticas a longo prazo”, explica Nils Jakel.

Os pesquisadores vão, agora, avaliar resultados alusivos ao nono ano, com o intuito de apurar se o mesmo cenário se confirma ou não.

Nils Jakel acredita que os resultados do estudo refletem o fato de as aulas serem pouco extensivas. Com “uma maior imersão” no inglês poderiam se alcançar “resultados sustentáveis” a longo prazo, sustenta o pesquisador que, assim, sugere a introdução de mais aulas por semana a partir do terceiro ano.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

A descoberta sobre o sistema imunológico que pode ajudar a combater todos os tipos de câncer

Uma recente descoberta sobre o nosso sistema imunológico pode se tornar uma arma para tratar todos os tipos de câncer. Uma equipe de cientistas da Universidade de Cardiff, no País de Gales, desenvolveu um método em …

Holanda apresenta primeira usina de energia solar flutuante do planeta

A partir de 2022, a Holanda deverá ter a primeira usina de energia solar flutuante em funcionamento no mundo. Construída na água, a estação de energia limpa deverá se chamar Zon-op-Zee (“Sol no Mar”, em …

Novo vírus infecto-contagioso explode na China e outros países já estão em alerta

O misterioso vírus que surgiu na China nos últimos dias de 2019 acaba de chegar aos Estados Unidos. As autoridades americanas confirmaram que um homem vindo da China está infectado com o vírus, que é …

Davos assiste choque entre Greta Thunberg e Trump sobre o clima

A 50ª edição do Fórum Econômico Mundial de Davos começou nesta terça-feira (21) na Suíça dominada pelos debates sobre as mudanças climáticas. Pelo segundo ano consecutivo, a jovem ativista sueca Greta Thunberg foi convidada a …

China proibirá plástico não biodegradável

País asiático quer reduzir o uso de produtos como talheres e sacolas descartáveis em 30% até 2025. Plano prevê proibições escalonadas em hotéis, restaurantes e serviços de entrega do comércio eletrônico em áreas urbanas. As autoridades …

Inteligência artificial está sendo usada para combater extinção de pinguins

Uma tecnologia de inteligência artificial está sendo determinante no combate à extinção de pinguins no mundo. A ferramenta está sendo utilizada pela Gramener, empresa membro Intel AI Builder, que, a partir de imagens de regiões …

Criaram um escape room baseado em La Casa de Papel

As empresas Fever Originals, Atresmedia e Enigma Exprés criaram um escape room na Espanha baseado em “La Casa de Papel“. Mais de 80 mil pessoas participaram da primeira temporada do desafio. Vestidos com os uniformes e …

Guaidó desafia proibição de deixar Venezuela e inicia giro internacional em busca de apoio

O opositor venezuelano Juan Guaidó voltou a desafiar a proibição de deixar o país. O autoproclamado presidente interino viajou para a Colômbia, antes de seguir para Bélgica e Suíça. Ele pretende participar do Fórum …

FMI prevê melhora para economia brasileira, apesar da redução do crescimento mundial

O Fundo Monetário Internacional reduziu nesta segunda-feira (20) sua expectativa de crescimento global para este ano. A instituição é mais otimista sobre a situação do Brasil, que deve crescer nos próximos anos. O FMI disse …

Harry diz estar triste por deixar deveres reais

O príncipe Harry falou neste domingo (19/01) de sua tristeza por ser obrigado a desistir de seus deveres reais em um acordo com a família real britânica, dizendo não haver outra opção se ele e …