Aprender um instrumento pode melhorar notas em matemática, ciência e línguas

Um estudo publicado pela Associação Americana de Psicologia descobriu que estudantes do ensino médio que fazem aulas de música se saem melhor em outras disciplinas, tendo notas maiores em matemática, ciência e inglês do que os colegas que não estudam música.

Os resultados são tão consistentes que os pesquisadores fizeram um apelo para que governantes, pais e professores invistam mais em artes, justamente para aprimorar o desempenho acadêmico dos alunos.

“Nos sistemas de educação pública na América do Norte, cursos de artes, incluindo cursos de música, são comumente mal financiados em comparação com o que são frequentemente chamados de cursos acadêmicos, incluindo matemática, ciências e inglês”, esclareceu um dos autores do estudo, Peter Gouzouasis, da Universidade da Colúmbia Britânica.

A ideia era de que o tempo escolar seria melhor gasto em aulas de matemática, ciências e línguas do que em aulas de música, o que poderia levar a um desempenho inferior nas demais disciplinas. A recente pesquisa, no entanto, sugere exatamente o contrário.

“Frequentemente, os recursos para educação musical – incluindo a contratação de professores especializados e treinados e compra de instrumentos de banda e orquestra – são cortados ou não estão disponíveis nas escolas de ensino fundamental e médio. O argumento é de que todo o dinheiro é preciso para nos concentrarmos em matemática, ciência e inglês. A ironia é que a educação musical – vários anos de aprendizado instrumental de alta qualidade e tocando em uma banda ou orquestra ou cantando em um coral em um nível avançado – pode ser justamente aquilo que melhora o desempenho acadêmico geral e uma maneira ideal dos alunos aprenderem mais holisticamente nas escolas”, resumiu Gouzouasis ao portal The Medical Xpress.

Metodologia

Mais de 112.000 estudantes canadenses foram incluídos no estudo. Os cientistas compararam o histórico dos alunos entre 2000 e 2003, tendo todos completado o ensino médio. Para participar da pesquisa, era preciso que o estudante tivesse realizado pelo menos um teste padrão de inglês, ciência ou matemática.

Além disso, foram coletadas informações sobre gênero, etnia e status socioeconômico de todos os estudantes.

Do total, 13% dos estudantes tinham feito pelo menos um curso de música durante o ensino médio. Só foram incluídos alunos que fizeram aulas muito qualificadas, por exemplo, de instrumentos de orquestra ou banda de jazz, piano, ou vocal para consertos de coral e jazz. Aulas de violão que não requeriam nenhum conhecimento prévio não foram abrangidas, por exemplo.

Os estudantes de música tiveram melhor desempenho em todas as disciplinas em comparação com os estudantes que não faziam aulas rigorosas de música. As associações foram mais destacadas nos estudantes instrumentais em relação aos vocais.

“Em média, as crianças que aprenderam a tocar um instrumento musical por muitos anos, e agora tocavam em banda e orquestra de ensino médio, estavam o equivalente a cerca de um ano acadêmico à frente de seus colegas em suas habilidades de inglês, matemática e ciências, conforme medido por suas notas nos exames”, afirmou Gouzouasis.

Os resultados se mantiveram verdadeiros mesmo quando os pesquisadores levaram em conta os fatores demográficos de controle, como gênero, etnia e status socioeconômico.

E por que será que alunos que estudam música se saem melhor em outras disciplinas? Os cientistas têm algumas ideias. Gouzouasis, por exemplo, crê que certas habilidades necessárias nas aulas de música podem ser aproveitadas de maneira mais geral na aprendizagem dos adolescentes na escola.

“Aprender a tocar um instrumento musical e tocar em um conjunto é algo muito exigente. O aluno tem que aprender a ler notação musical, desenvolver coordenação olho-mão-mente, desenvolver habilidades de escuta, desenvolver habilidades de equipe e desenvolver disciplina. Praticar todas essas experiências de aprendizagem desempenha um papel na melhoria das capacidades cognitivas das crianças e na sua autoeficácia”, disse.

“Achamos que os efeitos que vemos são em parte resultado do fato de que as crianças que participam de música escolar durante muitos anos recebem instrução musical de qualidade e precisam dominar as altas expectativas de se apresentar em nível de banda ou de orquestra. Vimos os efeitos mais fortes em altos níveis de engajamento musical”, concluiu.

Um artigo com as descobertas da pesquisa foi publicado na revista científica Journal of Educational Psychology.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Ter um cachorro pode te ajudar a viver mais, aponta estudo

Nos últimos anos diversas pesquisas apontaram as vantagens de se ter um cachorro em casa. Nossos fiéis amigos de quatro patas são muito mais do que companheiros, mas podem nos ajudar a viver mais. É …

Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência

Em um artigo publicado na terça-feira (15) na revista Scientific American, Gilbert Levin, um ex-engenheiro da NASA que trabalhou nas missões Viking, faz uma afirmação polêmica: a de que, desde a década de 1970, a …

Brexit: União Europeia e Reino Unido anunciam um acordo em Bruxelas

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson anunciou na manhã desta quinta-feira (17) que encontrou um "excelente novo acordo" para o Brexit com a União Europeia, a poucas horas da cúpula da UE para selar a saída …

Câmara dos EUA condena retirada militar do norte da Síria

Por 354 votos a 60, deputados rejeitaram decisão de Trump de abandonar forças curdas que lutavam ao lado dos EUA. Resolução contou com apoio de mais da metade da bancada republicana. A Câmara de Representantes dos …

Vacina contra o câncer de mama pode estar disponível em 8 anos, diz a Clínica Mayo

Pesquisadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o câncer ovário e de mama que poderia estar disponível dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes a …

Líder de Hong Kong abandona discurso no Parlamento após protestos

Parlamentares pró-democracia forçam Carrie Lam a interromper pronunciamento anual. Sem conseguir completar fala, chefe do Executivo faz discurso sobre futuro político da região administrativa especial da China em vídeo. A chefe do Executivo de Hong Kong, …

Barcelona se prepara para novos protestos, depois de noite tensa em aeroporto

A Catalunha se prepara para um novo dia de indignação, depois que milhares de ativistas pela independência cercaram o aeroporto de Barcelona, na segunda e terça-feira, para denunciar a condenação de seus líderes a sentenças …

Erdogan acusa militares sírios de bombardear posições turcas

Dois soldados turcos foram mortos na área de Manbij pelo Exército do governo sírio, disse o presidente turco Recep Tayyip Erdogan. No dia anterior foi noticiada a morte de mais dois soldados turcos durante um ataque …

Operação da PF amplia briga interna no PSL

A disputa pública pelo comando do PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro, ganhou um novo capítulo nesta terça-feira (15/10) quando agentes da Polícia Federal (PF) realizaram uma operação de busca e apreensão na casa …

Cidade na Itália proíbe Google Maps porque pessoas 'se perdem' o tempo todo

Serviços de emergência de Baunei já tiveram que resgatar 144 perdidos em dois anos devido ao Google Maps. O prefeito da cidade italiana de Baunei, Salvatore Corrias, proibiu o uso do aplicativo de localização geográfica Google …