Bebês guardam conhecimento de língua que ouvem no começo da vida

Kenny Louie / Wikimedia

-

O estudo da Universidade Hanyang, na Coreia do Sul, mostra que a língua nativa é um conhecimento que nunca se perde completamente

Os bebês constroem o conhecimento sobre o seu idioma já nos primeiros meses de vida. Por isso, mesmo que uma pessoa mude de país e esqueça a sua língua nativa, ainda assim será capaz de voltar a falá-la rapidamente, dizem os cientistas.

Uma pesquisa feita com adultos sul-coreanos que tinham sido adotados quando bebês por casais holandeses mostrou que estes superaram as expectativas na pronúncia de sua língua natal após receberem treinamento.

Os cientistas afirmam que os pais devem conversar o máximo possível com os bebês desde os primeiros meses.

A pesquisa foi chefiada pela dra. Jiyoun Choi, investigadora da Universidade Hanyang, de Seul, na Coreia do Sul.

Conhecimento precoce

Ela explica que o estudo é o primeiro a mostrar que o contato precoce de crianças adotadas com a sua língua nativa será importante décadas depois, mesmo quando elas acreditarem ter esquecido aquele idioma.

“Esta descoberta indica que o conhecimento da linguagem é armazenado nos primeiros meses de vida, ficando preservado mesmo quando não é usado e podendo ser revelado quando se reaprende a língua”, disse Choi à BBC.

No estudo, adultos sul-coreanos com idades em torno de 30 anos e que foram adotados ainda bebês por famílias holandesas, tiveram que pronunciar consoantes em coreano depois de fazer um curso rápido do idioma.

Em coreano, as consoantes são totalmente diferentes das existentes em holandês.

O grupo analisado foi comparado com adultos que não haviam tido qualquer contato com o idioma coreano na infância e ambos foram avaliados por coreanos nativos.

Antes de fazerem o curso rápido da língua, os dois grupos tiveram o mesmo desempenho. Mas, depois das aulas, os adultos que haviam sido adotados apresentaram resultados surpreendentes ao falar coreano.

Processo abstrato

Não houve diferenças entre as pessoas adotadas com menos de seis meses – ou seja, antes de aprenderem a falar – e as adotadas a partir de um ano e meio, quando já haviam aprendido a falar.

Isso indica que o conhecimento da linguagem é mais de natureza abstrata, em vez de depender apenas da experiência prática, segundo os cientistas. A Dra. Jiyoun Choi diz que o estudo traz ensinamentos práticos para os pais.

”Por favor, lembrem-se que o processo de aprendizado da linguagem começa muito cedo e que o conhecimento prático da linguagem é armazenado nos primeiros meses de vida, como mostra o nosso estudo”, afirma.

”Tente falar com o seu bebê sempre, porque ele está absorvendo e digerindo o que você está dizendo”.

O processo de aquisição da linguagem começa extremamente cedo, ainda quando o bebê está na barriga da mãe. Ao nascer, os bebês já conhecem a voz materna.

Há muito sabe-se que a base para falar e ouvir uma língua nativa é estabelecida muito cedo. Mas o que não se sabia até agora era que a aquisição precoce da linguagem é um processo abstrato.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Biden anuncia pacote de estímulo de quase US$ 2 trilhões

Para revitalizar a maior economia do mundo em meio à pandemia, "Plano de resgate americano" apresentado pelo presidente eleito inclui auxílio a desempregados e escolas e investimento na vacinação. O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe …

Coronavírus: Reino Unido proíbe entrada de viajantes vindos da América do Sul e de Portugal por variante encontrada no Brasil

Chegadas ao Reino Unido da América do Sul e Portugal serão proibidas a partir de sexta-feira (15/01) devido a preocupações com a variante brasileira do coronavírus. O secretário de transportes, Grant Shapps, disse que a mudança …

Vacinação nacional contra a COVID-19 começa no dia 20, às 10h

Ao que tudo indica o Brasil já tem uma data oficial para o início da vacinação, em massa, contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Nesta quinta-feira (14), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que a …

"Futuro assustador de extinção em massa" nos espera, elite dos cientistas alerta

O planeta enfrenta um “futuro assustador de extinção em massa, declínio da saúde e distúrbios climáticos” que ameaçam a sobrevivência humana por causa da ignorância e da inação, de acordo com um grupo internacional de …

Oferta de perfuração do Ártico tem fracasso histórico por falta de interessados

O recente leilão que oferecia arrendamentos de perfuração de petróleo no Ártico foi um fracasso. Esperava-se que a chamada atraísse muitos interessados em explorar a área no Alasca, mas a realidade foi outra. A notícia é …

Palácio mais antigo da China de 5.300 anos é descoberto perto de antiga capital

Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem cerca de 5.300 anos, sendo possivelmente a …

Variante da Covid-19 no Brasil faz Reino Unido banir viajantes da América Latina e Portugal

O governo britânico proibiu, nesta quinta-feira, as chegadas de todos os países da América do Sul e do Panamá, além de Portugal, em resposta à nova variante da Covid-19, descoberta no Brasil. A decisão …

CEO do Twitter defende banimento de Trump da rede social

Jack Dorsey diz que medida resulta do “fracasso” da plataforma em mediar diálogo saudável e admite que pode abrir “precedente perigoso”. Proibição veio após presidente dos EUA insuflar apoiadores que invadiram Capitólio. O CEO da rede …

O zumbido de fundo do universo pode ter sido ouvido pela primeira vez

Baseado no que sabemos sobre ondas gravitacionais, o Universo deve estar cheio delas. Cada par de buracos negros ou estrelas de nêutrons e colisão, cada supernova com núcleo em colapso — até mesmo o próprio …

Monocultura da soja destruiu mais de 30% do cerrado brasileiro entre 2004 e 2017, alerta WWF

Os 24 principais focos de desmatamento no mundo provocaram a perda de uma superfície equivalente ao tamanho do Paraguai em menos de uma década, aponta um relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na …