A Al Qaeda já sonha com o próximo grande atentado

tsevis / Flickr

Osama Bin Laden por Charis Tsevis para a revista Shortlist (detalhe)

Osama Bin Laden por Charis Tsevis para a revista Shortlist (detalhe)

A Al Qaeda tem estado calada, mas não está morta. Os serviços de Inteligência e Informação europeus e anglo-saxônicos se perguntam há anos o que a organização anda preparando.

Abi Mohamed Ayman al Zawahiri pode não ser um nome muito conhecido, pelo menos para a maioria. E Bin Laden? Pois al Zawahiri é o nome que sucedeu Osama Bin Laden, depois da morte do então líder da organização terrorista em 2011.

Al Zawahiri tem 65 anos e as autoridades versadas no assunto discutem que carta o terrorista teria na manga para sair da sombra que o Estado Islâmico (EI) tem posto sobre a Al Qaeda com a criação do califado na Síria e no Iraque e a recente cadeia de atentados pela Europa.

Onde, quando e como vai ser o regresso da Al Qaeda? Relatórios de vários serviços antiterroristas avaliam a capacidade da atual organização de formas diferentes, mas se há coisa em que todas concordam é que o regresso da agora calada Al Qaeda será “barulhento”. Isto se quiser despojar o EI do número um no que toca a cometer atrocidades.

Os relatórios também concordam em outro ponto: o maior “sonho” da organização terrorista desde a sua criação é a guerra química, bacteriológica, ataques massivos com venenos que provoquem a morte de milhares de pessoas, são armas testadas na década de noventa nos campos afegãos e das quais há vídeos chocantes. É com isto que sonham à noite – e de dia também – os terroristas da organização.

E foi a isto que a Al Qaeda chamou a nova jihad. Foi essa a ordem que em 2011 o sírio Mustafá Setmarian, que plantou a “semente” do jihadismo na Espanha – e fundou a Al Qaeda na Espanha –, recebeu quando se despediu com “beijos e abraços” de Bin Laden nas grutas de Tora Bora, no Afeganistão, segundo relato do próprio.

Felizmente, a ordem não foi cumprida: Setmarian foi capturado pelos Estados Unidos no Paquistão e entregue ao regime de Bashar al Assad, o presidente da Síria. Até hoje, continua desaparecido e muitos desconfiam que provavelmente tenha morrido na prisão.

Agora, a nova jihad que a Al Qaeda sonhava é protagonizada por “lobos solitários” que atropelam a multidão com caminhões, em Nice, ou esfaqueiam pessoas nas ruas de Londres, Bruxelas ou Paris – uma obra que podia ser do terrorista, já que ele sempre quis converter sua lta em uma “jihad urbana”.

O sonho de um ataque, a roçar o apocalíptico que superasse os 3 mil mortos dos atentados de 11 de setembro nos EUA, continua vivo e para Al Zawahiri a sua execução é agora mais necessária do que nunca, especialmente quando o Estado Islâmico está mais perto da derrota final.

O pior deste sonho, que aos poucos vai se tornando em pesadelo, é que nada disto é suposição: o jihadista egípcio Sharif al Masri, que foi preso no Paquistão em 2004, confessou ao FBI e à CIA – as autoridades que o interrogaram – que a Al Qaeda tinha na sua posse uma bomba “suja”, ou seja, um artigo nuclear caseiro, no qual trabalham há anos.

A confissão está em um relatório secreto de 15 páginas elaborado em setembro de 2008 pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos sobre Abu Faraj al Libi, considerado um dos presos mais valiosos de Guantánamo.

Hamid Mir / Wikimedia

Ayman al-Zawahiri, atual líder da Al-Qaeda, com Osama Bin Laden

Ayman al-Zawahiri, atual líder da Al-Qaeda, com Osama Bin Laden

Abu Faraj al Libi é o homem a quem outros jihadistas presos ligam com relatos de experiências de guerra nuclear, química e bacteriológica, um personagem importante que foi nomeado chefe de operações da Al Qaeda depois da detenção de Jalid Seij Mohamed, em 2002, o “cérebro” por trás do 11 de setembro, também preso em Guantánamo.

Mas Sharif al Masri revelou mais detalhes: a suposta bomba se encontra na Europa, mas tem havido dificuldade em mudá-la de local. Se conseguirem movê-la até ao ponto definido “encontraria operacionais para explodi-la. Os operacionais seriam europeus, ou descendentes de árabes ou asiáticos”, lê-se no relatório.

A existência da bomba não pôde ser comprovada pelos serviços de inteligência, mas todos acreditam que os homens de Al Zawahiri têm trabalhado nela.

Um responsável do serviço espanhol lembra que “não podemos esquecer da Al Qaeda. Eles estão se aproveitando do ‘brilho’ do Estado Islâmico, mas têm sobrevivido a muitas crises e a qualquer momento podem reaparecer em força“. “Sobre a ameaça da bomba ‘suja’, acreditamos que há métodos mais econômicos e rentáveis, por exemplo, ataques químicos mais convencionais, que prefiro não dar precisão”, conclui.

Em 2001, uma célula salafista – movimento muçulmano – tentou envenenar as águas da via Veneto, em Roma. Também já se desmantelaram vários ataques que poderiam contaminar o metrô de Londres. O aluguel de vários caminhões de tamanhos industriais para carregar substâncias venenosas é também uma preocupação das autoridades.

Um responsável da Comissão Geral de Informação da Polícia Nacional espanhola duvida da capacidade nuclear da Al Qaeda: “Descarto a possibilidade de que a Al Qaeda possa levar a cabo um ataque nuclear porque para isso eles precisariam ter acesso a fontes nucleares, o que é muito difícil. Mas sabemos que a organização não morreu e não descartamos no entanto um grande atentado para recuperar visibilidade”.

“No entanto, há muitos grupos que são fiéis a Al Qaeda na África, nas Filipinas, na Indonésia, no Paquistão e no Afeganistão. Se o Estado Islâmico sofrer uma derrota e Al Baghdadi desaparecer, Al Zawahiri terá que disputar a liderança da jihad mundial. Mas a verdade é que hoje Al Baghdadi está presente e Al Zawahiri não“, concluiu.

John Brennan, conselheiro de segurança dos Estados Unidos, se enganou quando previu que o médico pediatra Al Zawahiri não sucederia Bin Laden, devido à sua “falta de carisma” e envolvimento na guerra do Afeganistão.

Hamza bin Laden, filho de Osama bin Laden

Hamza bin Laden, filho de Osama bin Laden

O egípcio continua livre há já 20 anos, escondido na sua toca e, de acordo com serviços antiterroristas ocidentais, dirige uma organização capaz de provocar danos maiores do que os provocados até agora pelo Estado Islâmico.

A Newsweek, por sua vez, diz que Hamza Bin Laden, filho de Bin Laden, é quem prepara o regresso da Al Qaeda.

“Hoje, pode parecer que o Estado Islâmico é forte, com seus seguidores atacando e a matando inocentes em Londres e Manchester. Mas seu poder está diminuindo, pois estão perdendo homens e territórios no Iraque e na Síria graças a um ataque das forças iraquianas, curdas e americanas. Enquanto isso, a história de Hamza – filho de Bin Laden – mostra como a “organização mãe” do Estado Islâmico, a Al Qaeda, está regressando e com consequências potencialmente mortais para o Ocidente e para o resto do mundo”, denuncia a revista.

Parte do retorno da Al Qaeda envolve a forte diferenciação estratégica entre a organização e o Estado Islâmico, que nasceu de uma dissidência do grupo original de Osama bin Laden. Ao que tudo indica, a abordagem dos dois grupos deve servir de alerta ao Ocidente.

De acordo com a Newsweek, o papel de Al Zawahiri não foi o de preparar o regresso da Al Qaeda, mas o de preparar o filho de Bin Laden. Certo é que o sonho de um ataque de dimensões apocalípticas continua a povoar a mente dos terroristas que fazem parte da Al Qaeda.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

IA sincronizada com música cria rostos falsos, o resultado pode se aterrorizante

As pessoas ainda aprendem a melhor forma de empregar as redes neurais artificiais, aprendizado de máquina e avanços em inteligência artificial. Entre as pesquisas práticas há a busca por empregar essas técnicas de forma a …

Coronavírus: 92% das mães nas favelas dizem que faltará comida após um mês de isolamento

"Muitas pessoas entraram na linha de pobreza da noite para o dia. O casal que trabalhava no shopping na semana retrasada, que recebia por semana, fez a compra da semana passada e nesta semana já …

Dois anos após mortes de Marielle e Anderson, Anistia Internacional cobra identificação de mandantes

Dois anos após os assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março de 2018, o crime permanece sem solução e ilustra a impunidade no combate à violência …

Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista

Apesar do registro de mais de um milhão de infectados à escala mundial, a doença poderia ser suplantada por patologias bem mais perigosas. Comparando com as doenças que poderiam reaparecer como resultado do aquecimento global, o …

Pesquisadores portugueses revelam que os neandertais foram pioneiros na exploração de recursos marinhos

Um novo estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Lisboa (Portugal) descobriu que a familiaridade dos hominídeos com o mar e os seus recursos é muito mais antiga do que se pensava – ao que …

Filipinas: presidente Duterte diz que polícia deve matar quem perturbar confinamento

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, disse que as forças de ordem podem abater qualquer pessoa que provoque “transtornos” nas regiões onde o confinamento da população foi decretado. As autoridades do país tentaram minimizar as declarações …

Evangélicos fazem coro com Bolsonaro e negam riscos do coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro gosta de copiar o seu ídolo americano, Donald Trump – da suposta inofensividade do coronavírus até os poderes de cura de medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina, passando pela teoria da conspiração …

'Estamos em guerra': França confiscou 1 milhão de máscaras destinadas à Espanha e Itália

Os dois países se envolveram em uma disputa diplomática depois que parte das máscaras com destino a outros países vindas da China foram retidas em cidades francesas. As autoridades francesas apreenderam milhões de máscaras que uma …

Sobrevivente da 2ª Guerra e Gripe Espanhola se cura do coronavírus ao 104 anos

Depois da Segunda Guerra Mundial e da pandemia de gripe espanhola, a nova inimiga do soldado aposentado William ‘Bill’ Lapschies, nascido em Salem em 1916, foi a Covid-19 – e ele venceu a batalha! Aos 104 …