Alemanha multará em 50 milhões de euros redes sociais com posts de ódio

Apelidada de “Lei do Facebook”, uma novidade que entrará em vigor em outubro na Alemanha exigirá que as redes sociais removam conteúdos com discurso de ódio em um prazo de 24 horas. Do contrário, os serviços serão multados em 50 milhões de euros.

Os parlamentares alemães aprovaram a nova legislação nesta sexta (30), e considera como redes sociais não somente o Facebook, mas também Twitter, YouTube e qualquer outro site que possua mais de dois milhões de usuários nativos da Alemanha.

Quando alguém denunciar um conteúdo por conter discurso de ódio, caso comprovado, terá apenas um dia para removê-lo. Já caso o conteúdo não seja flagrantemente agressivo, essa análise poderá ser feita em até sete dias.

Além da multa de 50 milhões de euros caso haja o descumprimento do prazo previsto pela nova lei, as empresas poderão, ainda, ser penalizadas em até 50 milhões de euros. Tudo vai depender de cada caso, de acordo com o que as postagens estão exibindo e da postura das empresas.

Mas já há grupos defensores da liberdade na internet se declarando contra a medida.

Esses grupos estão argumentando que o tempo para analisar um conteúdo não deve ser limitado, o que pode gerar uma onda de censura acidental, já que as redes sociais preferirão simplesmente retirar qualquer conteúdo denunciado do ar, do que se dar ao trabalho de analisar caso a caso minuciosamente.

O Facebook já se manifestou sobre o assunto, dizendo que “as melhores soluções serão encontradas quando o governo, sociedade civil e indústria trabalharem juntos”. Sobre a nova lei, a companhia de Mark Zuckerberg declarou que “essa lei, colocada como está, não vai melhorar os esforços para combater esse importante problema social”.

A empresa dona da maior rede social do mundo também disse acreditar “que a alta de escrutínio e de consulta não fazem justiça à importância desse assunto”, explicando que continuarão “fazendo tudo o que podemos para garantir a segurança para as pessoas em nossa plataforma”.

Contudo, o ministro da Justiça da Alemanha crê que, sem uma punição severa, as empresas como o Facebook não se comprometeriam tanto quanto é necessário para coibir discursos de ódio em suas redes.

“A experiência mostrou que, sem pressão política, os grandes operadores das plataformas não cumprirão suas obrigações, e essa lei é imperativa”. Nos últimos dois anos, os crimes de ódio aumentaram em quase 300% na rede somente no país europeu.

A nova lei surge depois que o governo alemão criticou a postura das redes sociais quanto às suas posturas com relação à remoção de publicações odiosas, sendo que, em 2016, Facebook, Twitter e YouTube já haviam fechado um acordo para retirar do ar dentro de 24 horas publicações com esse teor, desde que infringissem o Código Penal da Alemanha.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Reino Unido aprova vacina da Pfizer para uso já na semana que vem

O governo do Reino Unido anunciou nesta quarta-feira (02/11) a aprovação da vacina para covid-19 produzida em parceria pela Pfizer e pela Biontech e adiantou que ela estará disponível já na próxima semana. O governo comunicou …

Com 14 prêmios no Oscar do turismo, Portugal tenta se reinventar na pandemia de COVID-19

Portugal conquistou 14 prêmios no World Travel Awards 2020, considerado o Oscar do turismo mundial, na noite de sexta-feira (27). Lisboa, Madeira e Algarve foram os destaques como melhores destinos do mundo na premiação, feita …

Um traumatizado veterano SEAL da Marinha dos EUA disse que uma viagem "mágica" de cogumelo pôs fim à sua depressão

Antes de sua primeira viagem guiada de cogumelos “mágicos”, Chad Kuske era prisioneiro de sua própria raiva no trânsito. Se um carro parasse na frente dele, ele ficava consumido pela raiva, ultrapassando todos os veículos em …

Esta espécie rara de uva é maior que um ovo de galinha

Não, as fotos de uvas gigantes (do tamanho de ovos de galinha) não são falsas. Se você passa um tempo considerável na internet, deve ter visto imagens dessas frutas atípicas por aqui. Para a surpresa …

Reino Unido anuncia novas restrições após fim do lockdown para tentar conter segunda onda de covid-19

O Reino Unido sai na próxima semana de um novo lockdown, mas, diante do aumento de casos de covid-19 no país, não entra em um período de flexibilização das medidas de distanciamento social. Nesta quinta-feira (26/11), …

Neandertais podem ter usado as mãos de maneira diferente à dos humanos modernos

Os neandertais podem ter feito um uso diferente das mãos em comparação à forma como os humanos modernos as usam, para eles seria difícil repetir muitos gestos normais para nós hoje em dia. Os dedos do …

Catarro? Som da tosse? Conheça métodos alternativos para detectar a covid-19

Desde o início da pandemia, a realização de testes para detectar a covid-19 fez-se extremamente necessária. No entanto, com o passar dos meses, instituições e empresas privadas ao redor do mundo deram início ao desenvolvimento …

Ativistas preparam protesto global contra a Amazon

Um grupo internacional de ativistas climáticos, aliados a trabalhadores de armazéns da Amazon, lançou uma campanha online global, cujo objetivo é pressionar a gigante do e-commerce a oferecer melhores condições de trabalho para seus funcionários …

Pesquisadores descobrem em cometa elemento essencial para vida na Terra

A descoberta indica que os elementos imprescindíveis para o surgimento da vida podem ter chegado à Terra por meio de cometas. Pesquisadores identificaram fósforo e flúor em partículas de poeira sólida coletadas no interior do cometa …

Consumo de plásticos explode na pandemia e Brasil recicla menos de 2% do material

Com o avanço do delivery de alimentos e do comércio eletrônico, além do maior uso de material hospitalar descartável como máscaras e luvas, o consumo de plásticos explodiu durante a pandemia do coronavírus. O aumento do …