Alemanha vai receber 1.550 refugiados que tiveram pedidos de asilo aceitos na Grécia

A Alemanha vai receber cerca de 1.550 migrantes que estão espalhados em várias ilhas gregas. A chanceler Angela Merkel costurou um acordo com seu ministro do Interior, Horst Seehofer, que era reticente à proposta, uma semana após o incêndio que destruiu o acampamento de refugiados de Moria, na ilha de Lesbos, deixando mais de 12 mil desabrigados. O vice-chanceler Olaf Scholz confirmou a decisão.

Ao todo, cerca de 30 mil migrantes vivem atualmente em ilhas da Grécia. A Alemanha decidiu acolher 1.553 refugiados que já tiveram seus pedidos de asilo examinados e aceitos pelas autoridades gregas, sem necessariamente virem do acampamento incendiado em Lesbos. A maioria são famílias, segundo o vice-chanceler Scholz.

Autoridades locais e regionais na Alemanha tinham demonstrado disposição para acolher migrantes que perderam tudo no incêndio, mas para isso necessitavam de permissão do governo federal. Porém, membros da ala mais conservadora do governo alemão, como o ministro do Interior, Horst Seehofer, relutavam em aceitar novos refugiados no país.

Berlim já havia anunciado que pretendia receber entre 100 e 150 menores isolados do acampamento de Moria, em uma iniciativa conjunta com a França. Após o incêndio ocorrido na madrugada de 8 para 9 setembro, a pressão aumentou sobre o governo de Merkel para receber também adultos que ficaram sem refúgio na ilha do Mar Egeu.

Ao mesmo tempo, as autoridades alemãs insistem na necessidade de uma solução europeia para a questão, que divide os 27 membros da União Europeia (UE) há cinco anos.

Desde o auge da crise migratória, em 2015, a Alemanha recebeu mais 1,2 milhão de refugiados, mas enfrentou nos anos seguintes incidentes de violência protagonizados por estrangeiros acolhidos no país. Esses casos, que incluíram ataques terroristas, deram novo fôlego à extrema direita e grupos neonazistas xenófobos.

O partido de extrema direita Alternativa para a Alemanha (AfD) fez uma entrada triunfal no Parlamento alemão, tornando-se uma força política de peso, o que acabou reduzindo a margem de manobra da chanceler Angela Merkel em política de imigração.

Grécia construirá novo campo em Lesbos com apoio europeu

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, insistiu nesta terça-feira (15) que a União Europeia deve demonstrar solidariedade com a Grécia por meio de ações concretas, depois de participar de uma reunião com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel. O acampamento de Moria “é coisa do passado”, frisou o grego.

Ele confirmou que um novo campo será construído em Lesbos, desta vez com maior apoio da União Europeia, mas ponderou que somente uma resposta conjunta do bloco e uma nova política de asilo poderão resolver o problema migratório.

Uma semana após o incêndio, milhares de migrantes, incluindo crianças, continuam dormindo nas ruas da ilha. Segundo Luciano Calestini, diretor do escritório grego do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), apenas mil vagas nas novas instalações temporárias foram ocupadas até o momento, em sua maioria por famílias. Existem milhares de outras disponíveis, além de novas que serão criadas.

Migrantes detidos

Os habitantes de Lesbos convocaram manifestações nesta terça-feira para para exigir a “saída dos migrantes”. O prefeito de Egeu do Norte, Kostas Mountzouris, um dos maiores opositores ao plano do governo de estabelecer um campo fechado para substituir Moria, pediu a empresários e trabalhadores que protestem para pedir “a retirada dos migrantes da ilha a bordo de barcos”.

No fim de semana, desesperados com a situação de precariedade em que se encontram, passando fome e dormindo ao relento, centenas de migrantes fizeram protestos e atiraram pedras em policiais.

A polícia de Lesbos anunciou a detenção de cinco suspeitos pelo incêndio de Moria. “Cinco jovens estrangeiros foram detidos e um sexto foi identificado e é procurado”, afirmou o ministro grego da Proteção Civil, Michalis Chrysohoidis.

Agentes gregos tentavam desde a manhã atrair mais migrantes para as instalações temporárias. Os desabrigados recebem um documento em cinco idiomas – inglês, francês, farsi, urdu e árabe – que tenta convencê-los a aderir ao dispositivo.

“A entrada dos solicitantes de asilo no novo campo não é negociável”, afirmou o ministro grego da Proteção Cidadã, Michalis Chryssohoidis. O texto distribuído afirma que a estadia nessa nova área é obrigatória, para garantir condições de vida decentes, por razões de saúde pública e pessoal, e para reiniciar o procedimento de asilo.

Os incidentes entre solicitantes de asilo e residentes, incluindo partidários da extrema direita, são frequentes desde o ano passado. Muitos moradores não aceitam a permanência dos migrantes. Na estrada próxima ao mar em Mitilene, a capital da ilha, postos de gasolina, supermercados e outras lojas permanecem fechados.

Vany Bikembo, um mecânico de 25 anos da República Democrática do Congo, afirma que o novo acampamento temporário “é um segundo inferno”. As barracas foram instaladas pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), em coordenação com o ministério grego da Migração.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …