Por inclusão de aluno especial, professora de São Paulo adapta suas aulas

(dv)

A maior parte das crianças matriculadas no 3º ano do ensino fundamental está na fase final do processo de alfabetização. Mas não podemos generalizar e esperar isso de um aluno com necessidades especiais. Como então promover a inclusão dessa criança e permitir que ela se desenvolva respeitando suas limitações?

A professora Joana D’Arc Manente não tem uma fórmula mágica, mas faz o que está ao seu alcance para que Stevão, 9 anos, dê o seu melhor.

Joana dá aula para o menino, diagnosticado com Retardo Mental (RM) e Transtorno Invasivo do Desenvolvimento (TID), na Escola Municipal Nilza Maria Carbonari Fagoti, em Vinhedo, a 68 quilômetros de São Paulo.

Não é a primeira vez que ela leciona para crianças com múltiplas necessidades, mas é a primeira vez numa escola pública. Além de Stevão, a escola tem mais quatro crianças com quadros clínicos que precisam de uma atenção especial dos professores, estudantes e demais servidores da comunidade escolar.

“Pude ver de perto o quanto a inclusão é difícil. Pois é quase impossível fazer um bom trabalho de inclusão sem um auxiliar em sala, já que na maioria das vezes essas crianças demandam uma atenção maior. O Stevão ainda usa fraldas, então é preciso de alguém para os cuidados com a higiene”, disse Joana, em entrevista ao Razões para Acreditar.

Na escola privada ou pública, o desafio é o mesmo: encontrar maneiras de fazer a criança aprender. “Não podemos exigir que ele acompanhe o conteúdo, portanto proponho atividades específicas para ele, que possam ajudá-lo a melhorar seu desenvolvimento”, afirma a professora.

Joana conta com o suporte de um cuidador em sala de aula que a prefeitura de Vinhedo disponibiliza para as escolas que têm alunos especiais. Ela e Murilo oferecem materiais adaptados para que Stevão possa se desenvolver. Como a coordenação motora do garoto é comprometida, eles estimulam Stevão com brinquedos sensoriais.

“Nos momentos de atividade pedagógica eu acompanho o Stevão segurando suas mãos e explicando calmamente o que estamos fazendo. Ele ainda é uma criança não verbal, mas podemos entender como ele se sente por meio de suas expressões. Ele é muito sorridente! Há momentos também em que o Stevão deixa nossa sala para ser atendido por uma professora de educação especial”, explica Joana.

Os coleguinhas de classe também fazem sua parte. Apesar de novos, eles compreendem as limitações de Stevão e o ajudam como podem. Depois de terminarem as atividades do dia, eles correm para a mesa de Stevão e interagem com ele.

“Normalmente, quando eles percebem que eu estou fazendo algo de pintura com o Stevão, eles elogiam e ficam felizes de ver o amigo produzindo e aprendendo”, destaca Joana.

A professora ressalta também o apoio da direção e principalmente da equipe de Atendimento Educacional Especializado (AEE) dentro da escola. Segundo ela, sem o direcionamento dos professores de educação especial o trabalho de inclusão seria muito mais difícil. “Este apoio e direcionamento é essencial para um bom trabalho”, finaliza.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

'TikTok foi feito para ser viciante': o homem que investigou as entranhas do aplicativo

Uma tela de celular, um vídeo vertical e um minuto da sua vida. Esses três elementos são a essência do Tik Tok, a rede social de vídeos curtos que está viciando os jovens e que já …

Vacinação contra COVID-19 será facultativa em Portugal; especialistas divergem sobre o tema

Portugal anunciou seu plano nacional de vacinação contra COVID-19 nesta quinta-feira (3). As vacinas serão distribuídas em 1.200 centros de saúde pública a partir de janeiro, de forma gratuita e facultativa. Especialistas ouvidos pela Sputnik Brasil …

Nosso sistema solar será destruído antes do que pensávamos

Embora o solo sob nossos pés pareça sólido e reconfortante (na maioria das vezes), nada neste Universo dura para sempre. Um dia, nosso sol morrerá, ejetando uma grande proporção de sua massa antes que seu núcleo …

Mãe em Estocolmo não é mais suspeita de aprisionar filho

Promotores suecos estão retirando seu caso contra uma mulher acusada de prender o filho por vários anos. De acordo com as últimas informações, não há provas suficientes de que ele havia sido detido contra sua …

Mistério de galáxia desprovida de matéria escura é revelado

As observações astronômicas apontam para forças de "maré" e comportamento "canibal" de uma galáxia vizinha, que explicariam a escassez deste componente invisível. Se alguma galáxia é pobre em matéria escura, pode ser devido a uma interação …

Maioria das vacinas da Moderna será reservada no início para os Estados Unidos

A Moderna espera disponibilizar entre 100 e 125 milhões de doses de sua vacina contra a Covid-19 no primeiro trimestre de 2021. A empresa anunciou, nesta quinta-feira que, no início, entre 85 e 100 …

Amazonas é 3º estado com mais queimadas, emissões e desmatamento

Pela primeira vez, o Amazonas assume a terceira posição nos três principais rankings que indicam o avanço da degradação florestal na Amazônia brasileira, incluindo indicadores de queimadas, emissões de gases de efeito estufa e desmatamento …

Sudão bane casamento infantil e mutilação genital feminina, mas prática apresenta desafios

Depois de derrubar o ditador Omar al-Bashir no ano passado, o Sudão deu importante passo para reverter alguns dos tantos horrores cometidos contra a população feminina no país – e tornou ilegal tanto o casamento …

Namíbia elege deputado chamado Adolf Hitler

O nome de um recém-eleito político da Namíbia, vem chamando atenção na mídia nacionais e internacionais. "Adolf Hitler teve uma vitória esmagadora nas eleições regionais na Namíbia", relatou o portal de notícias alemão Spiegel Online nesta …

Astrônomos mapeiam 1 milhão de galáxias previamente desconhecidas

Cerca de um milhão de galáxias previamente desconhecidas para além da Via Láctea foram adicionadas a um mapa detalhado de seção de espaço. Pesquisas sobre o espaço normalmente demoram anos para serem completas, mas um novo …