América Latina sofre com guerra comercial EUA-China

Jonas Oliveira / ANPr

A região está crescendo bem menos que o esperado, e muito se deve à disputa tarifária entre americanos e chineses. Perspectivas políticas incertas deixam ainda mais inseguros os investidores.

Foi grande a alegria entre os agricultores da Argentina e do Brasil no fim de 2018, quando a China impôs taxas aduaneiras de 25% às importações de soja e milho dos Estados Unidos, em represália às sobretarifas de Donald Trump contra os produtos chineses.

Era previsível que os chineses passariam a cobrir sua demanda de soja com a produção da América do Sul, em vez dos EUA. E no curto prazo a coisa funcionou: as exportações brasileiras do produto dobraram, enquanto as dos fazendeiros americanos ficaram em zero.

Mas a alegria pouco durou. De lá para cá, os preços da soja caíram, sobretudo devido à baixa demanda da China. E não só: também cobre, minério ferro e outras matérias-primas estão em baixa. Em consequência, as mais importantes economias da América Latina minguaram no primeiro trimestre de 2019, em vez de crescer.

Isso se aplica não só a países em permanente crise, como Brasil ou Argentina, ou à naufragada Venezuela. As bem dirigidas economias na costa do Pacífico, como Chile, Peru, Colômbia e México, também não foram poupadas. O crescimento das sete maiores economias da região caiu no primeiro trimestre de 2019 em relação ao anterior. Segundo a JP Morgan, o PIB da América Latina só aumentará 1% neste ano.

Um ano atrás, o analista Bill Ramsey ainda contava com 2,7%. “As turbulências da guerra comercial têm efeito negativo sobre o ânimo na região“, explica. Pelo sexto ano consecutivo, a América ao sul do Texas terá crescimento abaixo de seu potencial.

Na cúpula do G20 que se realiza atualmente em Osaka, reunindo as principais economias mundiais, o desempenho dos latino-americanos é especialmente ruim: só na África do Sul e na Coreia do Sul o crescimento caiu mais do que no Brasil, México e Argentina.

A causa dessa debilidade é a região ter sido uma das primeiras vítimas das disputas sino-americanas e de seus efeitos sobre o comércio mundial. A região é fornecedora de matérias-primas e, portanto, mais dependente da conjuntura na China e nos EUA do que países mais integrados às cadeias globais de valor.

Em 2018, um estudo da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad) já acusava uma queda de 6% nos investimentos estrangeiros diretos, pois as empresas concentravam suas aplicações sobretudo nos setores de matérias-primas e menos na indústria. Com a desvalorização do cobre, ferro e soja, ficou menos interessante investir nesses setores.

“Tensões entre os principais parceiros comerciais e uma desaceleração da economia mundial apresentaram um risco considerável para as exportações centradas nas matérias-primas da região”, explica James Zhan, diretor de investimento e empreendimento da Unctad. A agência teme que os investimentos diretos possam minguar ainda mais em 2019.

As perspectivas políticas instáveis deixam ainda mais inseguros os investidores da região. No Brasil não está claro até que ponto o presidente Jair Bolsonaro quer ou pode apoiar o curso liberal de reforma de seu ministro da Economia, Paulo Guedes.

No México, Andrés Manuel López Obrador igualmente causou insegurança entre os investidores com suas intervenções estatais no setor de energia e suspensão de investimentos públicos. Na Argentina, é possível que o presidente pró-empresariado Mauricio Macri não se reeleja mais para o fim do ano e que, com isso, seu curso de economia de mercado seja interrompido.

O alívio para os latino-americanos poderia vir justamente dos EUA. Lá o presidente Donald Trump vem fazendo grande pressão para que o Federal Reserve (o banco centra americano) baixe suas taxas de juros, o que poderá proporcionar nova liquidez às economias da América Latina.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …