Trump eleva tarifas em novo round da guerra comercial com a China

Gage Skidmore / Flickr

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Em meio a negociações para encerrar disputa, taxas alfandegárias sobem de 10% para 25% em importações do país asiático equivalentes a 200 bilhões de dólares. China ameaça retaliar.

Uma nova elevação das taxas alfandegárias sobre o equivalente a 200 bilhões de dólares de bens importados da China entrou em vigor nesta sexta-feira nos Estados Unidos, agravando a guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo, que tem reflexos sobre toda a economia mundial.

O aumento das taxas alfandegárias entrou em vigor no momento em que uma delegação chinesa de alto escalão negocia, em Washington, um acordo comercial para pôr fim às disputas.

A partir da meia-noite, no horário da costa leste dos EUA, as alfândegas americanas passaram a cobrar 25% de impostos sobre mais 5 mil itens produzidos na China, incluindo modems e outros produtos de informática e também material de construção.

A medida não afeta produtos que deixaram os portos chineses antes desse horário e se encontram em trânsito. Como mercadorias enviadas por navio demoram cerca de três semanas para chegar aos Estados Unidos, na prática as tarifas somente começarão a valer ao fim desse período.

“Durante dez meses, a China pagou taxas alfandegárias aos Estados Unidos de 25% sobre 50 bilhões de dólares de [bens] tecnológicos, e 10% sobre 200 bilhões de dólares de outros bens”, escreveu o presidente Donald Trump na rede social Twitter. “Os 10% vão ser aumentados para 25% na sexta-feira“, acrescentou.

A China garantiu que vai retaliar, sem detalhar como, o que deve agravar a guerra comercial entre os dois países caso não se chegue a um acordo nos próximos dias. Pequim tem uma série de cartas na manga, incluindo um novo aumento de taxas sobre bens americanos e investigações antitruste que podem dificultar as operações das empresas americanas no seu mercado.

Os governos das duas maiores economias do mundo já impuseram taxas alfandegárias sobre centenas de bilhões de dólares às exportações de cada um. Os chineses impuseram taxas sobre importações americanas no valor de 110 bilhões de dólares.

Representantes dos dois países voltaram a negociar nesta quinta-feira, mas não chegaram a qualquer acordo. As negociações deverão continuar nesta sexta-feira. Na semana passada, uma outra rodada de negociações havia sido realizada em Pequim.

A delegação chinesa é liderada pelo vice-premiê Liu He, e do lado americano negociam o representante de Comércio, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

Um dos pontos de discórdia é a política de Pequim para o setor tecnológico, que visa transformar as empresas estatais do país em importantes atores globais em setores de alto valor agregado, como inteligência artificial, energias renováveis, robótica e carros elétricos.

Os EUA consideraram que essa estratégia, impulsionada pelo Estado chinês, viola os compromissos da China em abrir o seu mercado, nomeadamente ao forçar empresas estrangeiras a transferirem tecnologia e ao dar subsídios às empresas domésticas, enquanto as protege da competição externa.

Em dezembro passado, Washington e Pequim acordaram um período de tréguas, mais tarde prolongado. No domingo, Trump quebrou a trégua e anunciou que os EUA iriam aumentar as taxas alfandegárias, acusando os chineses de voltarem atrás em compromissos feitos anteriormente.

Trump criticou duramente o deficit comercial dos Estados Unidos com a China, que atingiu 419 bilhões de dólares em 2018, afirmando que essa situação elimina empregos na indústria dos Estados Unidos. Ele já ameaçou impor tarifas de 25% a outros 325 bilhões de dólares em importações da China, o que cobriria o valor total dos produtos chineses importados anualmente pelos EUA.

Esse discurso é bem recebido pela base de apoiadores de Trump nos Estados Unidos. O presidente busca a reeleição em 2020.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …