Trump eleva tarifas em novo round da guerra comercial com a China

Gage Skidmore / Flickr

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Em meio a negociações para encerrar disputa, taxas alfandegárias sobem de 10% para 25% em importações do país asiático equivalentes a 200 bilhões de dólares. China ameaça retaliar.

Uma nova elevação das taxas alfandegárias sobre o equivalente a 200 bilhões de dólares de bens importados da China entrou em vigor nesta sexta-feira nos Estados Unidos, agravando a guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo, que tem reflexos sobre toda a economia mundial.

O aumento das taxas alfandegárias entrou em vigor no momento em que uma delegação chinesa de alto escalão negocia, em Washington, um acordo comercial para pôr fim às disputas.

A partir da meia-noite, no horário da costa leste dos EUA, as alfândegas americanas passaram a cobrar 25% de impostos sobre mais 5 mil itens produzidos na China, incluindo modems e outros produtos de informática e também material de construção.

A medida não afeta produtos que deixaram os portos chineses antes desse horário e se encontram em trânsito. Como mercadorias enviadas por navio demoram cerca de três semanas para chegar aos Estados Unidos, na prática as tarifas somente começarão a valer ao fim desse período.

“Durante dez meses, a China pagou taxas alfandegárias aos Estados Unidos de 25% sobre 50 bilhões de dólares de [bens] tecnológicos, e 10% sobre 200 bilhões de dólares de outros bens”, escreveu o presidente Donald Trump na rede social Twitter. “Os 10% vão ser aumentados para 25% na sexta-feira“, acrescentou.

A China garantiu que vai retaliar, sem detalhar como, o que deve agravar a guerra comercial entre os dois países caso não se chegue a um acordo nos próximos dias. Pequim tem uma série de cartas na manga, incluindo um novo aumento de taxas sobre bens americanos e investigações antitruste que podem dificultar as operações das empresas americanas no seu mercado.

Os governos das duas maiores economias do mundo já impuseram taxas alfandegárias sobre centenas de bilhões de dólares às exportações de cada um. Os chineses impuseram taxas sobre importações americanas no valor de 110 bilhões de dólares.

Representantes dos dois países voltaram a negociar nesta quinta-feira, mas não chegaram a qualquer acordo. As negociações deverão continuar nesta sexta-feira. Na semana passada, uma outra rodada de negociações havia sido realizada em Pequim.

A delegação chinesa é liderada pelo vice-premiê Liu He, e do lado americano negociam o representante de Comércio, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

Um dos pontos de discórdia é a política de Pequim para o setor tecnológico, que visa transformar as empresas estatais do país em importantes atores globais em setores de alto valor agregado, como inteligência artificial, energias renováveis, robótica e carros elétricos.

Os EUA consideraram que essa estratégia, impulsionada pelo Estado chinês, viola os compromissos da China em abrir o seu mercado, nomeadamente ao forçar empresas estrangeiras a transferirem tecnologia e ao dar subsídios às empresas domésticas, enquanto as protege da competição externa.

Em dezembro passado, Washington e Pequim acordaram um período de tréguas, mais tarde prolongado. No domingo, Trump quebrou a trégua e anunciou que os EUA iriam aumentar as taxas alfandegárias, acusando os chineses de voltarem atrás em compromissos feitos anteriormente.

Trump criticou duramente o deficit comercial dos Estados Unidos com a China, que atingiu 419 bilhões de dólares em 2018, afirmando que essa situação elimina empregos na indústria dos Estados Unidos. Ele já ameaçou impor tarifas de 25% a outros 325 bilhões de dólares em importações da China, o que cobriria o valor total dos produtos chineses importados anualmente pelos EUA.

Esse discurso é bem recebido pela base de apoiadores de Trump nos Estados Unidos. O presidente busca a reeleição em 2020.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estudos corroboram correlação entre tipo sanguíneo e risco de covid-19

A suscetibilidade ao contágio com o vírus Sars-Cov-2 pode variar segundo o grupo sanguíneo: os indivíduos do grupo O tendem a um menor risco, enquanto os demais estão também potencialmente mais expostos a quadros clínicos …

Bolsonaro reforça que brasileiro não será obrigado a tomar vacina contra a COVID-19

Declaração do presidente acontece três dias depois de o governador João Doria informar que vacinação será obrigatória no estado de São Paulo. O presidente Jair Bolsonaro reforçou hoje (19) na saída do Palácio da Alvorada o …

Engenheiros criam sabre de luz real de plasma retrátil de 2.200°C que corta aço

Os engenheiros por trás do canal do YouTube “The Hacksmith” criaram o sabre de luz de “Star Wars” no mundo real que é quente o suficiente para derreter aço e até titânio em segundos. James Hobson, …

Evo Morales comemora vitória de seu candidato, Luis Arce, à presidência na Bolívia

De La Paz, na Bolívia, o candidato a presidente Luis Arce e, de Buenos Aires, na Argentina, o ex-presidente Evo Morales comemoram vitória nas eleições tanto para presidente quanto para o Congresso, realizadas neste …

Síndrome provoca mudança na coloração dos olhos em população nativa da Indonésia

Em um país cujo a vasta maioria da população possui cabelos e olhos escuros, uma rara síndrome genética ofereceu aos membros de uma tribo nativa da Indonésia uma impressionante condição: os mais impactantes e profundos …

Aula de spinning em academia no Canadá contaminou 61 pessoas com a COVID-19

Academias não são locais recomendados neste momento de pandemia, mesmo que alguns estabelecimentos estejam reabrindo com todas as medidas de segurança adequadas. Prova disso aconteceu recentemente em Hamilton, na província de Ontario, no Canadá, quando uma …

Estrela supergigante vermelha Betelgeuse é menor e está mais próxima da Terra

A estrela supergigante vermelha Betelgeuse, uma das mais brilhantes, é menor e está mais próxima da Terra do que se acreditava. "Estudos anteriores sugeriram que poderia ser maior que a órbita de Júpiter. Nossos resultados dizem …

Ao tentar desativar uma bomba imensa a Marinha da Polônia acidentalmente a explode

Uma enorme bomba da Segunda Guerra Mundial explodiu durante uma delicada operação na terça-feira para desativar o dispositivo de cinco toneladas em um canal perto do Mar Báltico, mas ninguém foi ferido, afirmaram autoridades polonesas. O …

Candidato a vereador vai plantar uma árvore para cada voto que receber em Dourados

O combate às mudanças climáticas e ao desmatamento para Franklin Schmalz, candidato pelo PSOL a vereador na cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, é um compromisso direto e concreto, a ser posto em …

Líder nacionalista manobra para chegar ao poder após renúncia de presidente do Quirguistão

O presidente do Quirguistão, Sooronbai Jeenbekov, cedeu à pressão de manifestantes nacionalistas e anunciou sua renúncia nesta quinta-feira (15), após dez dias de uma crise política aberta pela vitória de dois partidos governistas nas …