As asas das borboletas são vivíssimas e regulam a temperatura dos insetos: estudo

Uma pesquisa da Universidade de Harvard e Universidade Columbia utilizou uma nova técnica de imagem infravermelha para determinar que as asas das borboletas são vivíssimas – contêm uma rede de células com o propósito de regular sua temperatura.

Antes, parecia que as belas asas coloridas desses insetos atingiam seu esplendor por meio de células mortas.

Agora, os pesquisadores sabem que esse não é o caso, e que elas possuem na verdade até mesmo um “coração”, que bate algumas dezenas de vezes por minuto para controlar o fluxo sanguíneo.

Para entender melhor essas estruturas complexas nas asas das borboletas, a equipe teve que desenvolver uma tecnologia de infravermelho e utilizá-la para analisar amostras de asas de mais de 50 espécies.

Para recriar o ambiente natural das borboletas, os pesquisadores simularam a luz do sol usando uma lâmpada. Eles descobriram que as células vivas nas asas dos insetos podem identificar a direção e intensidade da luz, reagindo de acordo para manter uma temperatura ideal – por exemplo, fechando-se ou inclinando-se.

Uma câmera térmica customizada registrou esse processo de resfriamento das asas, destacando os locais pelos quais o calor era dissipado. A câmera não invasiva foi fundamental para observar as estruturas frágeis das asas sem perturbá-las.

“Isso tem sido difícil de fazer até agora por causa da fineza e delicadeza das asas das borboletas”, disse uma das autoras do estudo, a entomologista Naomi E. Pierce da Universidade de Harvard.

No final do estudo, os cientistas haviam produzido mapas coloridos da distribuição de temperatura nos insetos. Os mapas de calor mostram a faixa estreita de temperatura na qual as borboletas sobrevivem melhor – suas asas ficam rapidamente superaquecidas no sol, enquanto o frio pode diminuir o fluxo sanguíneo e limitar seus movimentos.

De acordo com Adriana Briscoe, bióloga evolucionária da Universidade da Califórnia em Irvine (EUA) que também estuda a termorregulação em borboletas, a elevação das temperaturas no mundo todo pode impor dificuldades de adaptação a esses animais.

Segundo os pesquisadores, as técnicas de regulação da temperatura nas asas das borboletas podem nos ajudar a desenvolver melhores aeronaves resistentes ao calor.

Isso seria muito útil, uma vez que aviões comerciais já foram forçados a pousar devido a altas temperaturas. Um artigo detalhando as descobertas foi publicado na prestigiada revista científica Nature.

“Esta é uma inspiração para projetar as asas de máquinas voadoras. Talvez o design das asas não deva basear-se apenas em considerações da dinâmica de voo”, disse Nanfang Yu, físico da Universidade de Columbia e outro autor do estudo, em um comunicado à imprensa.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e aposentar as baterias no futuro

O mundo já conhece os benefícios da tecnologia 5G como a alta velocidade na transmissão de dados e baixa latência. Agora, os cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos EUA, descobriram que essas redes …

Covid: como evitar a trágica marca de 5 mil mortes por dia no Brasil?

No dia 19 de maio de 2020, o Brasil atingiu pela primeira vez a marca das mil mortes diárias por covid-19. Esse número permaneceu relativamente estável, em um patamar considerado alto, durante todo o segundo semestre …

Físicos afirmam que o universo é um computador de aprendizado de máquina

Físicos teóricos que trabalham com a Microsoft lançaram um artigo na sexta-feira afirmando que o universo é essencialmente um computador de aprendizagem de máquina (machine learning, em inglês). Os pesquisadores, vários afiliados à Microsoft, pré-publicaram um …

Mundo ainda tem países sem uma única dose de vacina

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 600 milhões de doses de vacina contra a covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo. Mas a discrepância entre países é alta: enquanto, …

Covid: site calcula quando você será vacinado. Resultados não animam

Um grupo de voluntários chamado CoronavirusBra desenvolveu uma plataforma para calcular quando você será vacinado contra a covid-19. O ‘Quando vou ser vacinado?’ utiliza dados públicos como a média de imunizados com o número de pessoas …

Rússia inicia desenvolvimento de mais uma vacina contra COVID-19

Sendo o primeiro país a registrar uma vacina contra a COVID-19, a Rússia anunciou o início do desenvolvimento de mais uma vacina contra o coronavírus. A criação do novo medicamento estará a cargo do Instituto Smorodintsev …

Especialista chinês: ascensão da China faz EUA entrarem em pânico e ficarem nervosos

O desenvolvimento econômico e a ascensão do país asiático fazem os EUA ficarem nervosos e entrarem em pânico, mas este medo se origina em seus preconceitos, disse em entrevista à Sputnik um especialista chinês. Li Junru, …

Interação de múons, a nova força da natureza que cientistas acreditam ter descoberto

Desde colar um ímã na porta de uma geladeira até jogar uma bola em uma cesta de basquete, as forças da física funcionam em todos os momentos de nossas vidas. Todas as forças que experimentamos todos …

Receita afirma que "só rico lê" e reforça preconceito de classe brasileiro

A Receita Federal deseja manter o projeto que cobra impostos sobre livros. Através da mesclagem entre PIS e Cofins, a nova CBS (Contribuição sobre bens e serviços), uma espécie de imposto sobre valor agregado, o …

Tribunal europeu dá aval a vacinação obrigatória

Corte de direitos humanos diz que medida pode ser necessária em sociedades democráticas e abre precedente no combate à covid-19. Tribunal julgava ação de famílias tchecas que se recusaram a vacinar os filhos. O Tribunal Europeu …