Astrônomo descobre a verdadeira origem da estrela de Belém

À medida que as celebrações natalinas se aproximam, o tema da origem da estrela de Belém começa a preocupar as mentes dos historiadores, teólogos e astrônomos.

O diretor do Observatório da Universidade de St Andrews, na Escócia, Aleks Scholz, afirmou em artigo que a estrela de Belém pode ter sido uma conjunção planetária.

Tradicionalmente, nas imagens natalinas a estrela de Belém é representada como um cometa com uma cauda longa e luminosa. Porém, o astrônomo escocês opina que a estrela que, segundo a Bíblia, avisou os Reis Magos sobre o nascimento de Jesus e os guiou até ele, não era um cometa.

Um dos “candidatos” a ser a estrela de Belém é o cometa Halley. Mas Scholz informa que ele tinha sido visto no céu no ano 12 a.C., isto é, antes da data convencional do nascimento de Jesus.

Além disso, na época os cometas eram considerados como mensageiros da perdição, algo contrário ao nascimento do menino Jesus. Além disso, “os cometas não parecem estrelas e aquelas pessoas não eram burras” e saberiam distingui-los, afirmou o cientista, referindo-se aos Reis Magos, citado pelo RT.

O astrônomo também não considera verdadeira outra teoria segundo a qual a estrela de Belém seria uma nova ou supernova.

Scholz não descarta a possibilidade de naquele período ter ocorrido esse evento espacial, mas acredita que “as pessoas não saberiam como interpretá-lo“.

Para o cientista escocês, a teoria mais credível é que a luz da estrela de Belém tivesse sido formada por vários planetas que se encontravam perto: uma conjunção planetária.

O cientista indica que a data de nascimento de Jesus coincide com vários encontros raros de grandes planetas. Tudo começou no ano de 7 a.C. com o encontro entre Júpiter e Saturno. Marte “juntou-se” aos dois um ano mais tarde.

Depois, entre os anos 3 e 2 a.C., foi registrada uma excepcional cadeia de conjunções: “Saturno com Mercúrio, Saturno com Vênus, Júpiter e Vênus com Mercúrio. Logo, de novo Júpiter com Vênus, e desta vez se aproximaram tanto que, à olho nu, pareciam um planeta só“, explica o especialista.

“Naquela época, Júpiter parou na constelação de Virgem, visível de Jerusalém, diretamente sobre Belém”, acrescentou.

Segundo o cientista, trata-se de “um espetáculo de planetas com uma grande importância astrológica que ocorre em determinado momento”. Ele também especificou que a data exata de nascimento de Jesus ainda é muito discutida.

Por fim, destacou que talvez não haja uma resposta definitiva quanto à origem da estrela de Belém.

Ciberia // Sputnik News / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Índia vê casos explodirem e vira um dos epicentros da pandemia

Com quase 700 mil casos de covid-19, a Índia ultrapassou a Rússia e se tornou nesta segunda-feira (07/07) o terceiro país mais atingido pela pandemia de covid-19 em todo o mundo. O Ministério da Saúde indiano …

Filho interrompe ao vivo de repórter para pedir biscoitos

Em mais uma das patacoadas do home-office, a jornalista Deborah Haynes da Sky News acabou sendo interrompida por seu filho, que fez um pedido bastante singelo para a mãe: ele queria alguns biscoitos. O vídeo foi …

Encontrados metais em crateras da Lua que podem dar pistas sobre sua formação

A hipótese mais aceita sobre a formação da Lua diz que ela surgiu após a colisão entre a Terra e um planeta do tamanho de Marte, chamado Theia. O suposto evento é chamado de “hipótese …

Coronavírus empurra Cuba de volta à crise

Apesar de a covid-19 estar sob controle no país, os problemas econômicos têm se agravado, e a já difícil situação de abastecimento se torna mais crítica. Segundo semestre deve ser ainda pior na ilha caribenha. Cuba …

Boicote ao Facebook: como a debandada de grandes anunciantes pode afetar sobrevivência da rede social

Boicotes podem ser extremamente eficazes: é o que o Facebook está descobrindo. No final do século 18, o movimento abolicionista encorajou o povo britânico a ficar longe de bens produzidos pelos escravos. Funcionou. Cerca de 300 …

Cientista conta quais formas de vida os humanos podem encontrar em Marte

A humanidade tem cada vez mais chances de conhecer outras formas de vida, conforme desenvolve suas capacidades de exploração espacial. Em Marte, poderemos encontrar organismos introduzidos por veículos espaciais e modificados sob influência das condições no …

O coronavírus do ocidente é uma versão mais perigosa do que a original

Esforços são realizados para identificar se o vírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, passou por mutações em relação ao primeiro identificado em Wuhan, na China, em dezembro do ano passado. Em abril, um estudo não revisado pelos …

Missão indiana levará sonda para investigar efeitos do vento solar em Vênus

Em 2005, o Instituto Sueco de Física Espacial (IRF) enviou à órbita de Vênus a sonda ASPERA-4, através da missão Venus Express, da agência espacial europeia ESA. A sonda estudou o planeta até 2014, medindo …

O mistério das centenas de elefantes encontrados mortos em Botsuana

A morte “totalmente sem precedentes” de centenas de elefantes em Botsuana nos últimos meses está cercada de mistério. O biólogo e ativista Niall McCann afirmou que colegas no país do sul da África identificaram mais de …

Coronavírus na Coreia do Norte: Kim Jong-un declara 'sucesso brilhante' no combate à pandemia e zero casos

O líder norte-coreano Kim Jong-un elogiou o "sucesso brilhante" de seu país ao enfrentar a pandemia de covid-19, segundo a agência de notícias estatal KCNA. Falando em uma reunião do Politburo, Kim disse que o …