Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias.

A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada nesta segunda-feira (06/12) por um tribunal especial a quatro anos de prisão por acusações de incitação à agitação popular e violação de regras sanitárias na pandemia de covid-19, disse um porta-voz da junta militar que governa o país.

A sentença foi criticada pela organização de direitos humanos Anistia Internacional, que afirmou que as acusações são falsas. “As pesadas penas infligidas a Aung San Suu Kyi, com base em acusações falsas, são o mais recente exemplo da determinação dos militares em eliminar toda a oposição e sufocar as liberdades”, afirmou a Anistia.

“A decisão absurda e corrupta do tribunal faz parte de um padrão devastador de sanções arbitrárias”, acrescentou o diretor-adjunto regional da organização, Ming Yu Hah.

Novos julgamentos

A sentença é a primeira numa série de processos que San Suu Kyi, de 76 anos e Prêmio Nobel da Paz de 1991, enfrenta depois que os militares retomaram o poder, em 1 de fevereiro, por meio de um golpe militar.

Um novo veredicto deve sair na semana que vem. Se for considerada culpada de todas as acusações que enfrenta, ela poderá receber uma pena somada de mais de cem anos de prisão. Entre as acusações estão importação ilegal de walkie-talkies, incitamento à corrupção, sedição e fraude eleitoral.

O antigo presidente Win Myint foi condenado à mesma pena, acrescentou o porta-voz.

Ambos aguardam os novos julgamentos antes de iniciarem suas penas. O tribunal especial que a julgou não deixou claro se San Suu Kyi terá de ir para a cadeia ou se poderá ficar em prisão domiciliar. A ativista pela democracia já cumpriu penas anteriores de prisão domiciliar, somando 15 anos desde 1989.

Militares alegaram fraude na eleição

Jornalistas não podem assistir aos julgamentos do tribunal especial, e os advogados de Suu Kyi estão proibidos de falar à imprensa.

Desde o golpe de Estado que depôs San Suu Kyi, o Exército tem reprimido violentamente as manifestações contra o regime, em ações que levaram à detenção de cerca de 10 mil pessoas e à morte de pelo menos 1.300 civis, de acordo com ONGs.

Os militares justificaram o golpe com uma alegada fraude eleitoral nas eleições de novembro de 2020, vencidas por ampla maioria pelo partido liderado por Aung San Suu Kyi, a Liga Nacional para a Democracia (NLD), apesar de o escrutínio ter sido considerado legítimo por observadores internacionais.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …