Aung San Suu Kyi vai defender Mianmar na ONU de acusações de genocídio

A prêmio Nobel da Paz defenderá seu país das acusações de genocídio da minoria muçulmana rohingya no tribunal internacional da ONU, em Haia.

A Corte Penal Internacional (CPI) autorizou em novembro que Mianmar, antiga Birmânia, seja investigada pela crise que levou aproximadamente 740 mil muçulmanos a se refugiarem em Bangladesh em 2017.

A líder birmanesa, vai liderar uma delegação oficial de seu país diante do tribunal de Haia. As primeiras audiências do processo de Aung San Suu Kyi começam nessa terça-feira (10) e continuam até quinta-feira (12), e constituem um exame preliminar aprofundado das acusações de limpeza étnica, mortes e violações realizado pelas forças de segurança civis e militares birmanesas.

A Gambia, um país de maioria muçulmana, fez uma queixa em nome de 57 países membros da Organização de cooperação islâmica em novembro desse ano, acusando Mianmar de violar a Convenção de 1948 sobre o genocídio. No mesmo mês, outra queixa foi depositada por organizações de defesa dos direitos humanos em um tribunal da Argentina. Dessa vez, visando não somente os responsáveis militares, mas também a prêmio Nobel.

Em 14 de novembro, os juízes da CPI deram permissão para que uma investigação fosse feita sobre as alegações de crimes contra a humanidade cometidos durante as operações do exército birmanês. Essa investigação poderia levar a ordens de prisão de generais. Mas o processo pode ser longo e necessitaria a cooperação de Bangladesh e da Birmânia para entregar os acusados.

Investigadores de uma missão da ONU para estabelecimento de fatos na Birmânia, criada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU em março de 2017, pediram em setembro de 2018 que seis responsáveis do exército do país fossem acusados de genocídio.

Reputação em baixa

Contra as acusações de violações de direitos humanos, a Birmânia se defendeu afirmando que eram operações antiterroristas, realizadas em represália a ataques de rebeldes rohingyas a postos de fronteira. Suu Kyi foi muito criticada na época por minimizar a situação denunciada por vítimas e testemunhas no país.

Partidos políticos e grupos armados rebeldes apoiam Suu Kyi. Em Mianmar, os rohingyas são considerados imigrantes ilegais.

Símbolo da democracia na Ásia, a líder birmanesa, antes colocada ao lado de figuras como Mahatma Gandhi e Nelson Mandela, agora é vista como responsável por uma ofensiva militar que deixou milhares de vítimas e refugiados, com o objetivo de eliminar uma minoria étnica.

Sua história de luta contra a ditadura militar em seu país comoveu o ocidente e a fez ganhar vários prêmios, entre eles o Nobel da Paz em 1991. Após a polêmica em torno da líder, a Anistia Internacional retirou o prêmio de “embaixadora de consciência” concedido em 2009. O Canadá também retirou a nacionalidade canadense da líder birmanesa.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas desvendam mistério de 'apagamento' de estrela gigante Betelgeuse

Astrônomos dizem que solucionaram o mistério sobre por que uma das mais conhecidas estrelas que iluminava o céu à noite começou a perder o brilho há cerca de um ano. Betelgeuse, uma supergigante vermelha da …

Portugal isola Lisboa para conter disseminação de variante

Em meio a alta de casos e difusão da variante delta do coronavírus, detectada inicialmente na Índia, governo português restringe circulação para dentro e para fora da região metropolitana da capital no fim de semana. Em …

Astrônomos descobrem as maiores estruturas giratórias conhecidas no universo

Tentáculos de galáxias com centenas de milhões de anos-luz de comprimento podem ser os maiores objetos giratórios do universo, um novo estudo descobriu. Corpos celestes muitas vezes giram, planetas, estrelas e galáxias. No entanto, aglomerados gigantes …

Facebook implementa software de IA capaz de detectar fotos e vídeos falsos

Os deepfakes são arquivos de mídia, incluindo fotos, vídeos e áudio, editados através de inteligência artificial (IA), que fornecem alto realismo e muitas vezes causam confusão após serem compartilhados nas redes sociais. Na quarta-feira (16), os …

China envia três astronautas para sua estação espacial

Grupo deverá ficar três meses no espaço e colocar em funcionamento o módulo central da estação espacial Tiangong. China não participa da ISS por decisão dos EUA. A primeira missão tripulada enviada pela China para a …

Putin “não quer Guerra Fria com EUA”, diz Biden após encontro com presidente russo

Os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da Rússia, Vladimir Putin, participaram nesta quarta-feira (16) de uma esperada reunião bilateral. O encontro realizado em Genebra acontece em um contexto de forte tensão entre …

Variante lambda do coronavírus: o que se sabe sobre mutação que se espalha pela América do Sul e preocupa OMS

Os vírus usam técnicas diferentes para continuar infectando as pessoas. E o caso da covid-19 não é exceção. As versões atuais da doença estão se espalhando muito mais facilmente do que a original, que surgiu na …

Embaixadores da Rússia e dos EUA "regressam ao trabalho", diz Putin após cúpula com Biden

A Rússia e os EUA acordaram o regresso de seus embaixadores, informou Vladimir Putin. Vladimir Putin, presidente da Rússia, disse, após conversas com seu homólogo americano Joe Biden, que os embaixadores russo e norte-americano voltam …

Cientistas desvendam segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo

Biólogos descobriram os segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo: os musaranhos aquáticos. Usando amostras de DNA para construir uma árvore evolutiva, cientistas revelaram em um estudo recente que o comportamento destes mamíferos comedores de …

Pandemia, tufões e inundações agravaram crise alimentar na Coreia do Norte

O líder norte-coreano Kim Jong-Un admitiu que o país enfrenta uma "situação alimentar crítica", informou a mídia estatal nesta quarta-feira (16). A Coreia do Norte, cuja economia sofre com os reflexos de várias sanções …