Aung San Suu Kyi vai defender Mianmar na ONU de acusações de genocídio

A prêmio Nobel da Paz defenderá seu país das acusações de genocídio da minoria muçulmana rohingya no tribunal internacional da ONU, em Haia.

A Corte Penal Internacional (CPI) autorizou em novembro que Mianmar, antiga Birmânia, seja investigada pela crise que levou aproximadamente 740 mil muçulmanos a se refugiarem em Bangladesh em 2017.

A líder birmanesa, vai liderar uma delegação oficial de seu país diante do tribunal de Haia. As primeiras audiências do processo de Aung San Suu Kyi começam nessa terça-feira (10) e continuam até quinta-feira (12), e constituem um exame preliminar aprofundado das acusações de limpeza étnica, mortes e violações realizado pelas forças de segurança civis e militares birmanesas.

A Gambia, um país de maioria muçulmana, fez uma queixa em nome de 57 países membros da Organização de cooperação islâmica em novembro desse ano, acusando Mianmar de violar a Convenção de 1948 sobre o genocídio. No mesmo mês, outra queixa foi depositada por organizações de defesa dos direitos humanos em um tribunal da Argentina. Dessa vez, visando não somente os responsáveis militares, mas também a prêmio Nobel.

Em 14 de novembro, os juízes da CPI deram permissão para que uma investigação fosse feita sobre as alegações de crimes contra a humanidade cometidos durante as operações do exército birmanês. Essa investigação poderia levar a ordens de prisão de generais. Mas o processo pode ser longo e necessitaria a cooperação de Bangladesh e da Birmânia para entregar os acusados.

Investigadores de uma missão da ONU para estabelecimento de fatos na Birmânia, criada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU em março de 2017, pediram em setembro de 2018 que seis responsáveis do exército do país fossem acusados de genocídio.

Reputação em baixa

Contra as acusações de violações de direitos humanos, a Birmânia se defendeu afirmando que eram operações antiterroristas, realizadas em represália a ataques de rebeldes rohingyas a postos de fronteira. Suu Kyi foi muito criticada na época por minimizar a situação denunciada por vítimas e testemunhas no país.

Partidos políticos e grupos armados rebeldes apoiam Suu Kyi. Em Mianmar, os rohingyas são considerados imigrantes ilegais.

Símbolo da democracia na Ásia, a líder birmanesa, antes colocada ao lado de figuras como Mahatma Gandhi e Nelson Mandela, agora é vista como responsável por uma ofensiva militar que deixou milhares de vítimas e refugiados, com o objetivo de eliminar uma minoria étnica.

Sua história de luta contra a ditadura militar em seu país comoveu o ocidente e a fez ganhar vários prêmios, entre eles o Nobel da Paz em 1991. Após a polêmica em torno da líder, a Anistia Internacional retirou o prêmio de “embaixadora de consciência” concedido em 2009. O Canadá também retirou a nacionalidade canadense da líder birmanesa.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

A descoberta sobre o sistema imunológico que pode ajudar a combater todos os tipos de câncer

Uma recente descoberta sobre o nosso sistema imunológico pode se tornar uma arma para tratar todos os tipos de câncer. Uma equipe de cientistas da Universidade de Cardiff, no País de Gales, desenvolveu um método em …

Holanda apresenta primeira usina de energia solar flutuante do planeta

A partir de 2022, a Holanda deverá ter a primeira usina de energia solar flutuante em funcionamento no mundo. Construída na água, a estação de energia limpa deverá se chamar Zon-op-Zee (“Sol no Mar”, em …

Novo vírus infecto-contagioso explode na China e outros países já estão em alerta

O misterioso vírus que surgiu na China nos últimos dias de 2019 acaba de chegar aos Estados Unidos. As autoridades americanas confirmaram que um homem vindo da China está infectado com o vírus, que é …

Davos assiste choque entre Greta Thunberg e Trump sobre o clima

A 50ª edição do Fórum Econômico Mundial de Davos começou nesta terça-feira (21) na Suíça dominada pelos debates sobre as mudanças climáticas. Pelo segundo ano consecutivo, a jovem ativista sueca Greta Thunberg foi convidada a …

China proibirá plástico não biodegradável

País asiático quer reduzir o uso de produtos como talheres e sacolas descartáveis em 30% até 2025. Plano prevê proibições escalonadas em hotéis, restaurantes e serviços de entrega do comércio eletrônico em áreas urbanas. As autoridades …

Inteligência artificial está sendo usada para combater extinção de pinguins

Uma tecnologia de inteligência artificial está sendo determinante no combate à extinção de pinguins no mundo. A ferramenta está sendo utilizada pela Gramener, empresa membro Intel AI Builder, que, a partir de imagens de regiões …

Criaram um escape room baseado em La Casa de Papel

As empresas Fever Originals, Atresmedia e Enigma Exprés criaram um escape room na Espanha baseado em “La Casa de Papel“. Mais de 80 mil pessoas participaram da primeira temporada do desafio. Vestidos com os uniformes e …

Guaidó desafia proibição de deixar Venezuela e inicia giro internacional em busca de apoio

O opositor venezuelano Juan Guaidó voltou a desafiar a proibição de deixar o país. O autoproclamado presidente interino viajou para a Colômbia, antes de seguir para Bélgica e Suíça. Ele pretende participar do Fórum …

FMI prevê melhora para economia brasileira, apesar da redução do crescimento mundial

O Fundo Monetário Internacional reduziu nesta segunda-feira (20) sua expectativa de crescimento global para este ano. A instituição é mais otimista sobre a situação do Brasil, que deve crescer nos próximos anos. O FMI disse …

Harry diz estar triste por deixar deveres reais

O príncipe Harry falou neste domingo (19/01) de sua tristeza por ser obrigado a desistir de seus deveres reais em um acordo com a família real britânica, dizendo não haver outra opção se ele e …