Joe Biden confirma fim da presença militar dos EUA no Afeganistão

Gage Skidmore / Wikimedia

Joe Biden, Presidente dos EUA

Presidente confirma fim da presença militar dos EUA no Afeganistão após duas décadas. OTAN segue Washington e diz que também vai começar a retirar suas tropas em 1.º de maio.

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, confirmou nesta quarta-feira (14/04) que o país dará início à retirada de todas as suas tropas do Afeganistão em 1.º de maio, após duas décadas de uma batalha sangrenta e infrutífera contra o Talibã.

Está na hora de encerrar a mais longa guerra americana. É hora de os soldados americanos voltarem para casa”, disse o chefe de Estado em pronunciamento na Casa Branca.

A investida militar dos EUA no Afeganistão começou em resposta aos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Agora, 20 anos depois, Biden escolheu o dia 11 de setembro de 2021 como prazo final para a partida de seus últimos soldados no país.

Em discurso transmitido em rede nacional, o Presidente afirmou que os Estados Unidos haviam “cumprido” sua limitada missão de derrotar os grupos jihadistas internacionais por trás dos ataques de 11 de setembro. Segundo ele, a cada ano que passava a justificativa para manter os soldados no Afeganistão ficava “mais obscura”.

“Um ataque terrível há 20 anos […] não pode explicar por que deveríamos permanecer ali em 2021”, disse Biden. “Não podemos continuar o ciclo de estender ou expandir nossa presença militar no Afeganistão na esperança de criar as condições ideais para nossa retirada, esperando um resultado diferente.”

“Agora sou o quarto Presidente americano a presidir em meio à presença de tropas americanas no Afeganistão. Dois republicanos. Dois democratas. Não vou passar essa responsabilidade para um quinto”, concluiu o mandatário.

Impasse no Afeganistão

O anúncio de Biden não foi recebido com surpresa. A guerra no Afeganistão é extremamente impopular entre os eleitores americanos, e o antecessor do democrata, o ex-presidente Donald Trump, já havia se comprometido a retirar as tropas no início de maio.

A decisão foi aplaudida por vários políticos do país, mas também houve críticas de que os Estados Unidos estariam abandonando o governo afegão e incentivando insurgências jihadistas.

A situação do conflito no Afeganistão está, na melhor das hipóteses, num impasse. O governo em Cabul, apoiado internacionalmente, tem apenas um controle tênue em partes do país, enquanto o Talibã cresce em força, com muitos prevendo que a insurgência tentará recuperar o poder total assim que a proteção militar do governo americano for removida.

O Presidente afegão, Ashraf Ghani, por sua vez, insistiu nesta quarta-feira, após um telefonema com Biden, que suas forças são “totalmente capazes” de controlar o país. O Presidente americano disse ainda que Washington continuará a apoiar o governo afegão, mas não “militarmente”.

OTAN segue os EUA

Ainda nesta quarta-feira, os aliados da OTAN comunicaram que acompanharão os Estados Unidos e também começarão a retirar suas tropas do Afeganistão em 1º de maio. A mesma medida já havia sido anunciada pela Alemanha mais cedo.

“Essa retirada será ordenada, coordenada e deliberada”, diz um comunicado da aliança, emitido após conversas envolvendo ministros da Defesa e do Exterior dos países-membros.

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, afirmou que os aliados “foram para o Afeganistão juntos, ajustamos nossa postura juntos, e estamos unidos para partirmos juntos”. Ele reconheceu, contudo, que essa “não é uma decisão fácil e envolve riscos”.

A missão da OTAN no Afeganistão conta um total de 9600 soldados, entre eles cerca de 2500 norte-americanos, e inclui pessoal de 36 países-membros da aliança e parceiros.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …