Biden promete “esforço de guerra” contra covid-19

Joe Biden

O novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, divulgou nesta quinta-feira (21/01) o plano de resposta de seu governo à pandemia de covid-19, que inclui dez decretos.

A estratégia amplia iniciativas que já haviam sido antecipadas e detalha as medidas elaboradas para controlar a pandemia e ajudar na recuperação do país, o mais afetado do mundo pela covid-19, com mais de 24 milhões de casos confirmados e 410 mil mortes por complicações da doença.

De acordo com a emissora CNN, ao chegar à Casa Branca, a equipe de Biden soube que o governo do ex-presidente Donald Trump não havia elaborado nenhum plano de distribuição de vacinas contra a covid-19, motivo pelo qual a equipe do governante recém-empossado precisou projetar um a partir do zero.

A iniciativa tem entre suas metas a aceleração do ritmo de vacinação dos americanos, proporcionando mais recursos aos governos estaduais e locais, criando mais pontos de vacinação e uma campanha nacional de educação para restaurar a confiança da população.

“A Estratégia Nacional proporciona um roteiro para guiar os EUA a sair da pior crise de saúde pública em um século”, afirma o plano, de 200 páginas.

“As coisas vão piorar antes de melhorar”, avisou Biden, referindo-se à pandemia, alertando também que o número de mortes relacionadas ao coronavírus nos Estados Unidos provavelmente ultrapassará a marca de 500 mil em fevereiro.

Biden descreveu sua abordagem como um “esforço de guerra”, ressaltando que mais americanos já morreram em consequência da covid-19 do que na Segunda Guerra Mundial.

O conselheiro de Biden para assuntos de saúde, Anthony Fauci, no entanto, deixou claro quão difícil será tal esforço. Ele afirmou que tratamentos poderosos usando anticorpos fabricados, que foram usados em Trump, não são eficazes contra variantes mais infecciosas do vírus que circulam na África do Sul e no Brasil, que ainda não foram detectadas nos Estados Unidos.

Lei de guerra

O governo de Biden também prevê recorrer à Lei de Produção de Defesa, adotada em 1950 em resposta à Guerra da Coreia e que permite mobilizar o setor industrial para priorizar questões de segurança nacional, acelerando o fornecimento de insumos para a fabricação de máscaras, respiradores e outros equipamentos contra a pandemia.

O plano do democrata também visa aumentar a realização de testes de coronavírus. Trump se opunha a isso por considerar que apenas aumentava as estatísticas negativas da incidência da doença.

A estratégia tem como metas a reabertura de escolas, negócios e retomada de viagens de maneira segura, assim como frear a propagação do vírus, que atualmente causa cerca de 3 mil mortes por dia no país, com recordes de até 4 mil em alguns dos últimos dias.

Além disso, o presidente estipulou a meta de aplicar 100 milhões de doses de vacinas nos primeiros 100 dias de mandato.

Apoio a esforços internacionais

Para financiar as medidas, ele pretende lançar um novo pacote de estímulo econômico no valor de 1,9 trilhão de dólares (mais de R$ 10 trilhões). O Congresso ainda não aprovou os fundos.

A estratégia prevê ainda que os Estados Unidos apoiem um plano global para combater a covid-19 e obter vacinas para os países mais pobres. O plano inclui pressionar o Congresso americano para obter mais financiamento para esforços internacionais. O retorno dos EUA a órgãos e acordos internacionais está entre as prioridades de Biden.

Uma de suas primeiras ações no cargo foi rescindir o plano de retirada dos EUA da Organização Mundial da Saúde (OMS), anunciado por Trump.

Quarentena para viajantes

“Quem vier de outro país para os EUA terá que ser testado antes de embarcar no avião”, afirmou Biden. “E terá que entrar em quarentena quando chegar aos EUA.” O presidente americano não deu detalhes sobre a duração da quarentena.

Um dos decretos prevê que viajantes estrangeiros sejam obrigados a aderir às diretrizes do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) sobre viagens internacionais, incluindo “autoquarentena ou autoisolamento”.

O CDC já havia anunciado na semana passada que um teste negativo de coronavírus será necessário antes da viagem aérea para os EUA. A medida entrará em vigor no dia 26 de janeiro. Ao mesmo tempo, as autoridades recomendaram ficar em casa pelos sete dias após a entrada – mas se trata apenas de uma recomendação.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …