“Blob”: o que é a misteriosa criatura com 720 sexos e sem cérebro

Benoit Tessier

Ele não tem boca, estômago, olhos, tampouco pode detectar ou digerir alimentos. Também não tem braços ou pernas, mas consegue se locomover — e, em um único dia, dobrar de tamanho.

É capaz de aprender e transmitir conhecimento, apesar de não ter cérebro. Se for cortado ao meio, tem a capacidade de se regenerar em dois minutos.

Os cientistas sabem que não se trata de uma planta, tampouco de um animal ou fungo — embora aja como uma mistura destes dois últimos. E, no seu mundo, não existem machos ou fêmeas, mas 720 sexos diferentes.

Nota: Em termos científicos, a quantidade de sexos de um organismo refere-se ao número de células sexuais que este organismo produz, sem nenhuma relação com o conceito cultural normalmente usado, muitas vezes confundido com o gênero de cada indivíduo. As células sexuais são produzidas pelos organismos para serem combinadas com as de outros indivíduos da mesma espécie com objetivo de reprodução.

É o Physarum polycephalum, que literalmente quer dizer “bolor de várias cabeças”. Conhecido como “Blob”, o curioso organismo será exibido no zoológico de Paris, na França, a partir deste fim de semana.

“O ‘Blob’ é realmente uma das coisas mais extraordinárias que existem hoje na Terra”, afirmou o diretor do zoológico de Paris, Bruno David, que considera a criatura “um dos mistérios da natureza”.

Existe há milhões de anos e ainda não sabemos muito bem o que é. Não se sabe muito bem se é um animal, se é um fungo ou se é algo entre os dois”, acrescentou.

O apelido “Blob” vem de um filme de ficção científica de 1958, A Bolha Assassina (The Blob, em inglês), estrelado por Steve McQueen, no qual uma forma de vida alienígena, a “Bolha” (ou “Blob”), consome tudo que vê pela frente em uma pequena cidade da Pensilvânia, nos EUA.

Como é essa criatura?

O Physarum polycephalumvivia na Terra 500 anos antes dos seres humanos. Durante muito tempo, foi considerado um fungo, mas, na década de 1990, um estudo o reclassificou no grupo dos mixomicetos, ou bolor limoso, uma subcategoria da família das amebas.

Sua aparência se assemelha a uma esponja escorregadia e geralmente tem coloração amarela, mas também existem variedades em rosa, branco e vermelho.

Consiste em uma única célula — às vezes, com muitos núcleos, que podem replicar seu DNA e se dividir. É frequentemente encontrado em locais onde há decomposição de folhas e em troncos de árvores, locais frescos e úmidos.

Parece que não se movimenta, mas se locomove a um centímetro por hora em busca de presas, como esporos de fungos, bactérias e micróbios.

É capaz de pensar

Para os cientistas, uma das características mais fascinantes do “Blob” é sua capacidade de raciocinar.

Ele é capaz de memorizar, é capaz de adaptar seu comportamento, é capaz de resolver problemas, de se movimentar por um labirinto, procurar soluções de otimização, de se comportar um pouco como um animal”, explica David.

A análise deste organismo chegou, inclusive, a redefinir o entendimento de como a inteligência — de qualquer tipo — funciona, após a publicação de um estudo em 2016.

Os pesquisadores concluíram que essa criatura, apesar de não ter um sistema nervoso central, é capaz de “aprender” com suas experiências e mudar seu comportamento de acordo com elas.

Em experimentos de laboratório, os cientistas observaram como o bolor se adaptava ao longo do caminho até uma fonte de alimentação. E, quando se funde com outro, pode transmitir conhecimento.

“Quase imortal”

Se os espectadores do zoológico de Paris esperam uma atração com movimentos espetaculares, podem ficar desapontados com um ser vivo cujo movimento dificilmente é percebido.

Por isso, o zoológico terá uma tela interativa que inclui um vídeo acelerado da locomoção de “Blob”, que se move por meio da extensão de saliências, chamados pseudópodes. Mas as características do Physarum polycephalum são espetaculares por si só.

Ele se reproduz mediante a produção e liberação de esporos, que se tornam novos “Blobs”. “Não há dois sexos diferentes, mas sim cerca de 720, portanto a reprodução não é um problema”, explica David.

Mas, como na maioria das outras espécies, a sobrevivência é impulsionada pela diversidade genética, que no caso do “Blob” acontece quando dois organismos geneticamente diferentes se encontram e se fundem em um novo “Blob”.

Também se deve a seu mecanismo de defesa — quando se vê ameaçado, ele entra em estado de hibernação e “seca”. Esse modo vegetativo está “próximo da imortalidade“, informou à AFP Audrey Dussutour, especialista em “Blob”, do Centro Nacional de Pesquisa Científica da França.

“Você pode, inclusive, colocá-lo no micro-ondas por alguns minutos” — e com algumas gotas de água, voilà!, ele volta à vida, disposto a se alimentar e procriar

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …

Putin: Rússia reagirá de maneira devida às ameaças perto de suas fronteiras

Durante reunião com membros do Conselho de Segurança da Rússia nesta sexta-feira (14), o presidente da Rússia pediu que lhe fosse reportado sobre o agravamento do conflito israelo-palestino, que toca diretamente os interesses de segurança …

Covid: 16 mil pessoas foram imunizadas com doses de vacina trocadas no Brasil

Um levantamento de dados da Folha de São Paulo com informações do DataSUS, base de dados do Ministério da Saúde, mostrou que pelo menos 16 mil pessoas receberam doses de vacinas diferentes em seu processo …

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro no Brasil

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica. E essa necessidade se …

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos já fez mais de 100 mortos

O conflito entre israelitas e palestinianos subiu de tom na madrugada de hoje, com o Exército israelita a bombardear a faixa de Gaza. Desde segunda-feira já morreram 119 palestinianos nestes ataques, entre eles 31 …

Maduro diz estar disposto a negociar com oposição

Declaração é feita após líder oposicionista Juan Guaidó propor diálogo mediado por comunidade internacional. Noruega já estaria em contato com regime e oposição. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira (12/05) que está disposto …

CPI da Covid ouve Pfizer para entender como Brasil foi para o 'fim da fila' das vacinas

O depoimento do comando da farmacêutica Pfizer na sessão desta quinta-feira (13/5) da CPI da Covid tem o objetivo de esclarecer as circunstâncias da recusa do governo Bolsonaro à compra de vacinas da empresa, ainda …

Google é multado pela Itália em mais de € 100 milhões

A Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado da Itália multou a Google por abuso de posição dominante no mercado, acusando-a de restrições do aplicativo Enel X no sistema Android Auto. A Autoridade Garantidora da Concorrência …