Mítica criatura marinha encontrada viva quando já se pensava que não existia

MBARI

Larváceo gigante Bathochordaeus charon rodeado pela sua "casa de muco" com que apanha a comida

Larváceo gigante Bathochordaeus charon rodeado pela sua “casa de muco” com que apanha a comida

Mais de um século depois de ter sido identificado pela primeira vez, uma equipe de cientistas conseguiu finalmente apanhar um larváceo gigante da mítica espécie Bathochordaeus charon.

Esta criatura marinha invertebrada e translúcida foi detectada pela primeira vez, em 1899, pelo professor Carl Chun, pesquisador da Universidade de Leipzig, na Alemanha, durante uma expedição pelo Oceano Atlântico, conta o Live Science.

Em 1936, o biólogo britânico Walter Garstang recolheu uma série de larváceos gigantes que foram classificados como uma nova espécie – Bathochordaeus stygius.

Mas, como nunca mais houve quem tivesse avistado um espécimen com as características descritas por Chun, já se começava a duvidar que o B. charon existisse mesmo.

Porém, graças a um veículo operado remotamente pela equipe do cientista Rob Sherlock, do MBARI – Instituto de Pesquisa do Aquário da Baía de Monterey, foi agora possível finalmente obter um exemplar vivo desta espécie de larváceos gigantes.

A descoberta aconteceu na costa de Monterey, na Califórnia.

“Como o veículo foi recuperado algumas dezenas de minutos depois, o animal estava vivo, em estado fantástico, e o preservamos logo”, explica Rob Sherlock.

“Não fazíamos ideia, até termos olhado com mais atenção para o espécimen, que tínhamos encontrado de fato o B. charon, a espécie inicialmente descrita há mais de 100 anos”, diz ainda o cientista.

Girinos “gigantes” psicadélicos

MBARI

Bathochordaeus charon sem a sua "casa de muco"

Bathochordaeus charon sem a sua “casa de muco”

Este é um animal que parece um girino, com uma cabeça redonda num extremo e uma cauda longa no outro, e que utiliza uma “casa de muco”, semelhante a um pára-quedas, que pode atingir um metro de comprimento, para caçar sua comida.

A maioria dos larváceos conhecidos são criaturas minúsculas, com menos de um centímetro de comprimento, enquanto que estas versões “gigantescas” podem atingir quase 10 centímetros e são muito menos comuns.

Os larváceos constroem estas “casas de muco” para servirem de filtro para a comida, sacudindo a cauda e criando uma corrente que mantém a pegajosa rede aberta, atraindo até ela as iguarias do oceano.

Só as partículas mais pequenas passam através da rede para um tubo de alimentação que segue para a boca dos larváceos.

“Se uma lula ou um peixe a passar atravessam pela casa, ou grandes partículas ficam presas no tubo de alimentação, os larváceos simplesmente continuam e constroem outra casa”, explica Rob Sherlock ao Live Science.

A descoberta deste exemplar único do Bathochordaeus charon foi descrita num artigo publicado na Marine Biodiversity Records, no qual os autores realçam a sua raridade – especialmente face aos seus parentes próximos, o Bathochordaeus stygius, que são mais comuns.

SV, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fumar aumenta o risco de depressão e esquizofrenia?

De acordo com um novo estudo da Universidade de Bristol (Reino Unido), fumar pode aumentar o seu risco de desenvolver depressão ou esquizofrenia. Os pesquisadores queriam estudar a relação conhecida entre tabagismo e doenças mentais. Muitas …

Prisões não vão abrir as portas após decisão do STF, dizem especialistas

Segundo especialistas ouvidos pela Sputnik Brasil, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o momento da execução da pena não vai fazer com que as "portas dos presídios sejam abertas para criminosos perigosos". Na quinta-feira …

EUA acusam China de exportar drones autônomos letais para o Oriente Médio

O exército hi-tech de autômatos letais, antes uma visão do futuro, já é uma realidade e está em pleno curso, inclusive com comércio dessa nova tecnologia em andamento. Isso é o que diz o secretário de …

Um simples exame de sangue já pode prever câncer de mama 5 anos antes de se manifestar

O câncer de mama é o segundo mais comum no mundo, e também o que mais mata mulheres. No entanto, o grande paradoxo é que, enquanto a doença é a responsável por uma das principais …

Evo Morales renuncia à presidência da Bolívia

Após convocar novas eleições, líder esquerdista cede à pressão das Forças Armadas e da polícia, entregando o cargo "para que meus irmãos não sejam ameaçados". Vice e outras autoridades também se demitem. O presidente da Bolívia, …

Pesquisadores descobrem a primeira nova cepa de HIV em quase duas décadas

Um estudo dos Laboratórios Abbott e da Universidade do Missouri (EUA) detectou a primeira nova cepa de HIV em 19 anos, desde que as diretrizes para classificação de subtipos foram estabelecidas em 2000. A cepa faz …

Google, Facebook e Microsoft propõem que Pentágono controle inteligência artificial

Microsoft, Google e Facebook estão pedindo para que Washington assuma controle sobre o desenvolvimento da inteligência artificial. Dois gigantes do Vale do Silício do GAFAM, Google e Facebook, juntos com a Microsoft, exortam, através de seu …

Georg Elser, o lobo solitário que quase matou Hitler

Em 8 de novembro de 1939, um carpinteiro alemão por pouco não mudou o rumo da história. Mas ditador nazista escapou do atentado preparado por ele em Munique. Passaram-se décadas até Elser ser reconhecido. Consta que …

Pela primeira vez, Brasil apoia embargo dos EUA a Cuba na ONU

Pelo 28º ano consecutivo, o embargo dos EUA imposto a Cuba há quase seis décadas foi condenado nesta quinta-feira (7) por uma esmagadora maioria na Assembleia Geral da ONU, onde a resolução cubana obteve 187 …

Inteligência artificial resolveria problema de Isaac Newton do século XVII

Um algoritmo astronômico descoberto por pesquisadores no Reino Unido resolveu um dos problemas que ninguém conseguiu solucionar desde Newton. A inteligência artificial (IA) poderia permitir que cientistas britânicos encontrassem uma solução em menos de um segundo …