Bolsonaro indica pastor e diretora de festival cristão para Ancine

Tânia Rêgo / Agência Brasil

 

O presidente Jair Bolsonaro indicou nesta sexta-feira (21/02) dois nomes ligados à igreja evangélica para a direção da Agência Nacional do Cinema (Ancine): o pastor Edilásio Barra, conhecido como Tutuca, e a produtora Veronica Brendler, diretora de um festival de cinema cristão.

As indicações foram publicadas no Diário Oficial da União e encaminhadas ao Senado. Tutuca e Brendler serão sabatinados pelos parlamentares e, se forem aprovados pela Casa, ocuparão dois dos quatro assentos na direção do órgão.

A Ancine é uma agência reguladora que tem como funções o fomento, a regulação e a fiscalização do mercado audiovisual no Brasil. No passado, a agência esteve sob a alçada do Ministério da Cultura, até a extinção da pasta por parte de Bolsonaro, e agora responde ao Ministério do Turismo.

Tutuca é formado em jornalismo, mas sua carreira acumula vários trabalhos na televisão, como ator, apresentador e diretor. Ele atuou em novelas, entre elas Roque Santeiro, da TV Globo, e apresentou o programa Vip, na RedeTV!, com foco em coluna social. Também dirigiu outros programas na mesma emissora e na Record. Na década de 1980, ele gravou discos como cantor.

Em 2011, Tutuca foi um dos fundadores da Igreja Continental do Amor de Jesus, no Rio de Janeiro, da qual é pastor. Foi quando se aproximou de grupos conservadores. Em 2012, ele foi candidato a vereador do Rio de Janeiro pelo PSD, mas não se elegeu. Seu primo delegado Éder Mauro é deputado federal pelo Pará pelo mesmo partido desde 2015, e integra a base aliada de Bolsonaro.

O pastor está na Ancine desde o ano passado, quando assumiu o cargo de superintendente de Desenvolvimento Econômico, responsável pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). O fundo é o principal instrumento de fomento direto à indústria audiovisual no país, e em 2018 investiu cerca de 800 milhões de reais no mercado brasileiro.

No início de fevereiro, Tutuca foi indicado para o posto de diretor substituto da Ancine, cargo para o qual busca ser efetivado agora, se for aprovado pelo Senado.

Veronica Brendler, por sua vez, não ocupa nenhum cargo na Ancine. Ela se apresenta nas redes sociais como cineasta e gestora cultural e é diretora do Festival Internacional de Cinema Cristão (FICC), que “promove filmes que fomentam os valores da família, responsabilidade social, cidadania, acessibilidade, inclusão social e digital, sustentabilidade”, segundo a descrição do evento.

O currículo de Brendler diz que ela teve 80 projetos aprovados na Lei Rouanet, legislação criada em 1991 que permite a captação de recursos para projetos e ações culturais em troca de incentivos fiscais a cidadãos e empresas que tenham interesse em patrociná-los. Ela diz ser palestrante sobre o programa – que inclusive é alvo de críticas de Bolsonaro.

Brendler é ainda roteirista do curta-metragem O reencontro do amor, sobre um casal que está prestes a se divorciar porque o marido tem uma amante, mas que acaba se reencontrando através da “busca por Deus”.

Em rede social, Brendler agradeceu a Bolsonaro pela indicação e afirmou que seus “27 anos de atuação no setor artístico” podem “somar muito para o cinema brasileiro”.

A diretoria colegiada da Ancine é formada por quatro integrantes, incluindo o diretor-presidente, cargo ocupado interinamente pelo advogado Alex Braga. Além de Braga e Tutuca, que atua como diretor substituto, Vinicius Clay Araújo Gomes e Luana Rufino são os demais diretores, também provisoriamente.

Indústria cinematográfica sob fogo

Desde que Bolsonaro assumiu o cargo, a Ancine tem sido alvo constante de ataques do governo. No ano passado, o Planalto já havia adiantado sua intenção de colocar nomes com um perfil mais conservador, “tal como o atual governo”, à frente do órgão.

Em agosto de 2019, Bolsonaro disse que queria um nome “terrivelmente evangélico” para comandar a agência. Em tom de ironia, afirmou ainda que o indicado precisava saber “recitar 200 versículos, ter uma Bíblia embaixo do braço e o joelho ralado de ajoelhar no milho”.

Em julho, ele também afirmou que pretende limitar a produção cinematográfica de filmes como Bruna Surfistinha, um longa-metragem de 2011 que retrata a vida de uma prostituta. O presidente deixou claro que é favorável à implementação de “filtros” para impedir o financiamento desse tipo de filme; caso contrário, poderia extinguir a Ancine.

Vai ter um filtro, sim. Já que é um órgão federal, se não puder ter filtros, nós iremos extinguir a Ancine. Privatizaremos […] ou extinguiremos”, ameaçou. A atitude repercutiu mal entre cineastas, que classificaram os planos do presidente como uma tentativa de impor uma censura na agência.

Ainda em julho, Bolsonaro assinou a transferência do Conselho Superior de Cinema (CSC), responsável pela política nacional de audiovisual, do Ministério da Cidadania para a pasta da Casa Civil com o objetivo de que a Presidência tenha mais influência sobre o colegiado.

Em 2016, o setor audiovisual superou a contribuição da indústria farmacêutica ao PIB brasileiro, com uma fatia de 0,46% correspondente a uma cifra de 25 bilhões de reais. O setor emprega mais de 330 mil pessoas e movimenta impostos diretos e indiretos. A participação na economia supera também as indústrias têxtil e de eletrônicos.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Enorme monolito misterioso descoberto no deserto de Utah

Uma ocorrência totalmente comum. Você está em um helicóptero sobrevoando uma região remota do sul de Utah contanto cabras e bodes selvagens, quando de repente avista um monolito inexplicável saindo do solo. A KSL TV, relatou …

Funcionário de funerária é demitido após tirar selfie com corpo de Maradona

Foi demitido o funcionário da funerária responsável pelo velório do ex-jogador Diego Armando Maradona que tirou uma foto ao lado do caixão com o corpo do astro, enterrado nesta quinta-feira, dia 26, na Grande Buenos …

Museu de Londres reunirá relatos de sonhos de britânicos na pandemia

Projeto visa documentar mudanças no sono causadas pelo confinamento e pela crise gerada com a covid-19, além de coletar narrativas sobre o período para gerações futuras. Mudanças no sono aparentemente têm sido comuns durante a pandemia …

'O Gambito da Rainha': série da Netflix ignora sexismo no xadrez, diz ex-campeã

Existem várias cenas comoventes em O Gambito da Rainha, a série da Netflix que conta a história fictícia de Beth Harman, uma jovem prodígio do xadrez da década de 1960. Em uma delas, um jogador experiente …

Detectada "partícula fantasma" no Sol que confirma teoria da década de 1930

Uma equipe internacional de cientistas conseguiu, pela primeira vez, detectar diretamente a presença do ciclo carbono-nitrogênio-oxigênio (CNO) na fusão nuclear do Sol. Este ciclo representa uma das reações de fusão pelas quais as estrelas convertem hidrogênio …

Musk acertou? Tesla se aproxima dos US$ 500 bilhões de valor de mercado

Nesta segunda-feira (23), a Tesla atingiu o valor de mercado de US$ 498 bilhões. E isso em um momento em que não se sabe se a empresa vai conseguir atingir a sua meta de entregar …

Papai Noel é considerado 'trabalhador essencial' na Irlanda

Na mesma semana em que novas restrições de viagem foram colocadas em prática no Reino Unido e na Irlanda diante dos estragos causados pela segunda onda da pandemia de covid-19 na Europa, a Irlanda fez …

Especialistas da ONU advertem sobre viés racista em algoritmos

Os países devem fazer mais para combater o racismo, principalmente nos algoritmos de inteligência artificial utilizados para reconhecimento facial e controles policiais. Essas ferramentas podem reforçar discriminações, alertam especialistas da ONU. Segundo a especialista jamaicana …

Estudo de dentes de megalodonte revela segredos do tubarão de 18 metros

Especialistas em tubarões revelaram mais informações sobre um dos maiores predadores dos mares – o megalodonte. Nova pesquisa de dentes fossilizados da espécie Odotus megalodons, chamada também de megalodonte, sugere que os tubarões fêmeas desta espécie …

Escritor é alvo de censura e terá conta no Twitter suspensa por críticas contra Igreja Universal

O escritor J. P. Cuenca foi censurado por uma decisão judicial e terá sua conta do Twitter suspensa após o juiz da comarca de Campos dos Goytacazes (RJ), Ralph Machado Manhães Junior, acatar um pedido …