Bolsonaro pode enfrentar um tribunal internacional por crimes contra a humanidade

Tânia Rêgo / Agência Brasil

Jair Bolsonaro pode enfrentar acusações no Tribunal Penal Internacional (TPI) depois de ser acusado de crimes contra a humanidade.

Líderes indígenas no Brasil e grupos de direitos humanos estão pedindo ao tribunal que investigue o presidente por seu desmantelamento de políticas ambientais e violações de direitos indígenas, que eles dizem ser ecocídio.

William Bourdon, advogado com base em Paris, apresentou um pedido de exame preliminar ao tribunal em Haia, Holanda, na sexta-feira. O promotor-chefe, Fatou Bensouda, determinará então se há motivos para uma investigação contra o Bolsonaro, reportou o The Guardian.

Não há prazo para uma decisão, mas “é uma questão de grande urgência”, disse Bourdon. “Estamos correndo contra o relógio, considerando a devastação da Amazônia.”

Desde que Bolsonaro assumiu o cargo em 2019, vastas extensões de floresta tropical foram destruídas e comunidades tradicionais ameaçadas. O desmatamento aumentou quase 50% em dois anos e atingiu seu nível mais alto desde 2008. Invasões de territórios indígenas aumentaram 135% em 2019, e pelo menos 18 pessoas foram assassinadas em conflitos de terra no ano passado.

Apesar disso, as multas por crimes ambientais caíram 42% na bacia do Amazonas em 2019, e o governo federal cortou o orçamento para fiscalização em 27,4% este ano, revelou um relatório.

“Enquanto o cenário está ficando cada vez pior, o governo está reduzindo a fiscalização”, disse Marcio Astrini, diretor executivo do Observatório do Clima, a ONGs por trás do relatório. “É assustador ver que há um ataque coordenado ao clima, à floresta e às suas pessoas.”

O tribunal apoiado pela ONU tem decidido principalmente sobre casos de genocídio e crimes de guerra desde que foi criado em 2002. No entanto, depois de enfrentar críticas, decidiu em 2016 avaliar os crimes em um contexto mais amplo, que poderia incluir grandes crimes ambientais e culturais.

Bourdon acredita que este caso pode levar Bolsonaro a ser julgado por ecocídio, um termo definido como causador de danos graves e duradouros ao meio ambiente e às pessoas. O advogado ajuizou a ação em nome dos chefes indígenas Almir Suruí e Raoni Metuktire.

Vários membros de ONGs e advogados dos Estados Unidos, Brasil e França também trabalharam no relatório de 68 páginas que descreve o que eles afirmam ser crimes contra a humanidade. Inclui casos de assassinato, transferência forçada e perseguição de indígenas no Brasil.

Raoni é conhecido por sua luta pela preservação da floresta amazônica e da cultura indígena. O chefe do povo Kayapó, de 91 anos, está isolado em sua aldeia na Terra Indígena do Xingu devido à pandemia do coronavírus.

Patxon Metuktire, seu neto de 35 anos, acompanhou-o em sua busca por ajuda na comunidade internacional no ano passado: “Meu avô achou que era importante fazer a reclamação porque o chefe da nação deveria proteger as comunidades, mas ele não está fazendo isso.

“As pessoas se sentem endossadas a cometer crimes, pois o presidente as apóia”, acrescentou Patxon. “Meu avô acredita que a população brasileira não pode fazer o presidente parar de agir contra os indígenas. Ele continua violando nossos direitos, então este é nosso último recurso. Meu avô está pronto para testemunhar e esclarecer qualquer coisa para os promotores, se necessário.”

Cientistas alertaram que as políticas destrutivas de Bolsonaro podem levar a floresta amazônica a um ponto de inflexão irreversível, transformando trechos da floresta tropical em savana. Isso tornaria impossível controlar as mudanças climáticas.

“O Bolsonaro não é um risco só para os povos indígenas, ele se transformou em um problema global, porque o que ele faz aqui tem impacto no planeta”, disse Sônia Guajajara, líder da Associação dos Povos Indígenas do Brasil. “Ele comete um crime após o outro contra os povos da floresta e contra o meio ambiente.”

Em novembro de 2019, ativistas entregaram uma “nota informativa” no TPI argumentando que Bolsonaro encorajou o genocídio contra os povos indígenas. Mais de um ano depois, a promotoria disse que estava analisando o caso para determinar se o examinariam.

A advogada Eloísa Machado, que trabalhou na ação judicial, acolheu o caso apresentado por Bourdon. “Bolsonaro tem suas ações sob análise agora, ainda que preliminarmente”, disse ela.

Embora o processo ainda esteja em um estágio inicial, Elosísa disse que foi um sinal importante de Haia: “É um indício de que os fatos denunciados são graves e que [o tribulal] é sensível ao assunto”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …