Relatório lista mais de uma dezena de crimes atribuídos a Bolsonaro

Marcelo Camargo / Agência Brasil

Jair Bolsonaro

Um grupo de juristas liderados pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior entregou nesta terça-feira (14/09) à CPI da Pandemia um relatório de 226 páginas com possíveis crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro durante a crise sanitária.

O documento deverá ser utilizado pelo senador Renan Calheiros, que é o relator da comissão, para elaborar o relatório final da CPI, no qual deverão constar sugestões à Procuradoria-Geral da República e à Câmara dos Deputados de medidas a serem adotadas contra Bolsonaro.

O relatório dos juristas, que vazou para a imprensa brasileira, acusa Bolsonaro de cometer crimes de responsabilidade (pré-requisito para um processo de impeachment), crimes comuns e também crimes contra a humanidade.

Na conclusão, os especialistas afirmam que há “fartos elementos probatórios” para demonstrar a existência de crime de responsabilidade, de crimes contra saúde pública, como os crimes de epidemia e de infração de medida sanitária preventiva, além de charlatanismo; de crime contra a paz pública, na modalidade de incitação ao crime; e de crimes contra a administração pública, neles incluídos, entre outros, estelionato e prevaricação.

O documento lista possíveis crimes contra a administração pública nas tratativas de compras de vacinas por meio de empresas intermediárias, como a Precisa Medicamentos e a Davati, e sugere aprofundar as investigações.

Os juristas também destacam possíveis crimes contra a humanidade, previstos no Estatuto de Roma do Tribunal Penal Internacional, mencionando a falta de oxigênio hospitalar em Manaus e a falta de assistência a povos indígenas durante a pandemia.

“O comportamento do sr. presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, ao longo da pandemia constitui clara afronta aos direitos à vida e à saúde”, afirmam.

Economia acima da vida

Os especialistas afirmam que a política de Bolsonaro para o combate à pandemia se baseou na ideia da imunidade de rebanho, “colocando a preservação da economia acima da preservação da vida”, teve a assessoria de “um ministério sombra” e resultou num “desastre na saúde pública brasileira”, feito de “forma coerente e estruturada”.

O texto destaca que o presidente da República manifestou “insensível indiferença às mortes que ocorreriam, ‘pois todos vamos mesmo morrer um dia'”, e tomou “decisões planejadas de minimizar a prevenção obstaculizando o uso de máscaras; ampliando o rol de atividades essenciais não sujeitas à limitação de trabalho; participando de aglomeração em espaços fechados ou abertos e autorizando atividades em templos e escolas; propagando todos os dias a adoção de tratamento precoce não cientificamente constatado e, por vezes, prejudicial à saúde. Por fim, conspirando contra as vacinas, seja ao não adquiri-las, seja instalando no espírito da população desconfiança acerca de sua eficácia e mesmo sugerindo serem prejudiciais”.

Os juristas listam várias declarações públicas do presidente, em que ele defende o uso de cloroquina e hidroxicloroquina e o chamado “tratamento precoce”. A crise da falta de oxigênio hospitalar em Manaus, no início de 2021, é apontada como um “caso exemplar de desprezo pela vida”.

Afirmam ainda que Bolsonaro conspirou contra as medidas sanitárias adotadas pelo Ministério da Saúde, já na gestão do ministro Luiz Henrique Mandetta.

Ciberia // DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …