Para economizar gasolina, brasileiros criam gerador de hidrogênio

Alguns brasileiros estão construindo o próprio gerador de hidrogênio, capaz de nos ajudar a economizar gasolina. Um chaveiro de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, Vitor de Moura, 31 anos, começou a pesquisar formas de economizar.

Moura percorre cerca de 200 quilômetros por dia prestando atendimento a clientes e encontrou grupos de discussão e vídeos sobre o que é conhecido como “gerador de hidrogênio”, que promete economia de até 40%.

O sistema se baseia na geração de oxigênio e hidrogênio contidos na água, por meio de eletrólise. O gás resultante, uma mistura desses dois elementos, chamado de HHO, é injetado na entrada de ar da câmara de combustão do motor para servir como aditivo na queima do combustível.

Com ajuda que obteve na web, Moura construiu o seu próprio gerador, instalado em janeiro. Sem conhecimento avançado de mecânica, ele afirma ter conseguido 29% de economia de gasolina na estrada em seu Ford Focus 1.6.

O contrabaixista e permacultor paulista Vinícius Pereira converteu sua Kombi em híbrido de hidrogênio e gasolina em 2015. Ele batizou o combustível como “Zeolina” e foi com ele que percorreu quatro cidades entre Minas Gerais e Espírito Santo, levando informações aos moradores sobre coleta da água da chuva após o desastre de Mariana, que poluiu o Rio Doce.

Eles fazem parte de um movimento nos últimos dez anos que criou uma indústria paralela de autopeças, sem parâmetros técnicos nem qualquer certificação de órgãos reguladores.

Denício Coelho, engenheiro eletricista que em 2013 concluiu seu mestrado em Engenharia de Energia na Universidade Federal de Itajubá (MG) estudando os gases resultantes de eletrólise em motores de combustão, diz que existem 15 empresas do setor no Brasil.

Essas companhias vendem, em sites de compras, kits com geradores completos, peças sobressalentes e eletrólitos — soluções de água misturada com um tipo de sal, como o hidróxido de potássio, usadas para acelerar a separação das moléculas da água ao receber a carga elétrica.

Coelho explica que o gás resultante da eletrólise é poderoso, uma vez que são liberados, além de hidrogênio e oxigênio, também hidroxila e elétrons livres. Segundo ele, os motores a combustão possuem apenas 30% de eficiência.

Quando o gás entra no motor, eleva o poder de explosão fazendo uma queima completa do combustível. Há até quem tenha realizado experiências usando apenas o gás da eletrólise para movimentar o veículo, algo que o engenheiro desaconselha, uma vez que o motor não está preparado para isso.

Em busca de dicas, os adeptos se reúnem em grupos de WhatsApp como o HHO Experts, com 119 membros, administrado por Paulo Salgado, analista de sistemas de Vitória (ES), que há um ano transformou seu Peugeot 206 e diz ter conseguido economia de 30%.

Coelho, que participa de vários grupos, estima em 500 o número de pessoas que discutem o tema nesses espaços. No país, ele calcula que haja ao menos 5 mil pessoas aplicando a técnica. Pelo crescimento, o engenheiro defende a criação de uma associação do setor e de um selo de qualidade do Inmetro.

O advogado Lamberto de Lavor fabrica em sua casa, em Olinda (PE), desde 2008, geradores HHO para veículos, caminhonetes e até caminhões. Chega a produzir 80 por mês, enviando o produto por correio para todo o país.

Os kits custam R$ 600 para veículos 1.0 e R$ 1 mil para caminhonetes. “Não tem homologação, nem nunca vai ter, porque tudo que é acessório para dar economia é barrado”, disse à Galileu.

“É estranho que um kit tão reduzido possa gerar tanta energia que separe a molécula da água a ponto de ser utilizada na combustão do motor. Vai mais vapor de água para o motor que hidrogênio”, contesta Edson Orikassa, presidente da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), que diz conhecer a tecnologia.

Ele afirma que a entidade nunca foi demandada para estudar esse processo, que não é uma tecnologia nova, tendo a primeira patente sido criada em 1918, por Charles H. Frazer, nos EUA.  E funciona da seguinte forma:

Em um recipiente com água destilada, instalado próximo ao motor, é adicionado um reagente composto, geralmente, por hidróxido de potássio. A água é enviada para uma célula eletrolítica alimentada na bateria e no alternador do veículo.

Essa célula energiza a água, cuja reação é liberar hidrogênio e oxigênio. Esses gases são injetados na câmara de combustão do motor pela admissão de ar. Os gases funcionam como aditivo da queima do combustível fóssil.

Riscos

Há também riscos mais graves, alerta a pesquisadora Monique Santos, do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares da USP.

“O composto salino pode prejudicar o motor do carro, além de haver risco de explosão”, diz ela, que estuda células de combustíveis de hidrogênio, tecnologia completamente diferente do gerador de HHO e, essa sim, crescente na indústria formal.

O sistema é uma alternativa aos veículos elétricos que funcionam com bateria que tem de ser carregada na rede elétrica, como os carros da Tesla. Com essa técnica, o hidrogênio é que alimenta a bateria.

Na Europa, EUA e Ásia já estão sendo vendidos pelas grandes montadoras modelos elétricos alimentados dessa maneira. A consultoria Research and Markets estima que 2018 vai terminar com produção de 7,8 mil veículos movidos a células de combustível, número que deverá chegar a 269 mil em 2025.

O grande problema é como conseguir, de forma sustentável, o hidrogênio para esse tipo de carro elétrico. Quando obtido por uma reação utilizando gás natural, há poluição ao meio ambiente.

Já a eletrólise, com energia do Sol, poderia ser uma alternativa mais verde, conta Zetian Mi, professor da Universidade de Michigan (EUA). Em abril, Mi e outros cientistas publicaram estudo sobre um dispositivo capaz de realizar a tarefa.

Alerta

A equipe do Ciberia foi alertada por utilizadores que o sistema, que foi divulgado pela Revista Galileu, poderia ser contra a lei.

No entanto, mais importante que isto, o leitor Horário Rodrigues disponibilizou um estudo, assinado por António Pedro Meixedo dos Santos Silvano, do Instituto Superior de Engenharia do Porto (Portugal), que defende: o sistema “não promove uma melhora o
desempenho dos motores no que respeita à redução dos consumos de combustível fóssil.”

Por isso, fica o alerta.

Ciberia // Só Notícia Boa

COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Banir os veículos a gasolina e usar energia limpa é uma ótima idéia sim! Mas não para 2.030 e sim para ontem para 2.030 pode ser tarde demais pois estamos sofrendo com poluição a muito tempo, na verdade todos temos que nos conscientizar e mudar isso já alguns encontros de países Para mudar a situação da poluição só fica na conversa, e nada se resolve falta de vontade sim , e não financeiramente pois temos como resolver isso é rápido.

  2. Esses sistemas HHO para veículos automotores não passam de Golpe, Artigo 171, Engana Bobos… Misturam informações sérias sobre tecnologia para o uso do gás hidrogênio com matéria de um produto que não passam de golpe? Francamente, um site que se diz sério endossado esse tipo de informação? A minha dúvida agora recai sobre todo o conteúdo disponibilizado… Quem quiser argumentar, estudem antes o trabalho no link: http://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/9949/1/DM_AntonioSilva_2016_MEM.pdf

  3. Desculpe desinformação é um caso sério,o então trabalha com o lado contrário que usufruem. De lucros imorais que sem medo da justiça divina , não se importando com o resultado dos combustíveis fósseis que acabam com a camada de ozônio é deverão aumentar a temperatura do planeta e outras várias anomalias como derretimento das camadas de gelo da Antártica etc…….o hho gás de hidrogênio e patenteado com pelo menos 04 patentes sendo uma delas da NASA americana o primeiro estudo do hidrogênio como combustível data de 1710 o gás de hidrogênio como combustível foi amplamente aprovado quando usado pela NASA americana em foguetes como os de cabo Canaveral e outros ou seja foguetes movidos a água ,claro H2O com suas moléculas separadas por um processo simples chamado de eletrólise,isto feito dentro do capô do veículo que não passa mais que 04 kilos e produz o gás que vai direto p/o motor entrando no sistema de entrada de ar da combustão,sem necessidade de tanques de armazenamento do gás de hidrogênio hho. Eng.mecanico Op. H Clevert. Hclevert@gmail.com

  4. HHO não é mentira nem golpe. Não sejam idiotas.
    É baixo o rendimento, mas a economia vem das propriedades do hidrogênio dentro dos cilindros.
    Principalmente do maior aproveitamento da gasolina.
    Acho também muito positivo as pessoas estudando, botando a mão na massa e construindo inovações nessa área.
    CONTINUEM E NÃO LIGUEM PARA OS INVEJOSOS.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Primeiro-ministro renuncia e coloca fim a governo na Itália

Em discurso no Senado, Giuseppe Conte anuncia que vai deixar o cargo e acusa seu vice, Matteo Salvini, por crise na coalizão de governo. Presidente deve decidir sobre convocação de novas eleições. O primeiro-ministro italiano, Giuseppe …

Governo de Hong Kong espera "volta à calma" sem ceder a demandas de manifestantes

A chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, disse esperar que "uma volta à calma" esteja a caminho no território, depois que a grande manifestação do último domingo (18) acabou sem violência. Depois de …

Cientista americana diz ter certeza que a Terra será atingida por um asteroide

Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após a quase colisão da …

Justiça de El Salvador absolve acusada de homicídio por suspeita de aborto

Promotoria pedia pena de 40 anos de prisão para vítima de estupro que dizia não saber da gravidez até o momento do parto. País da América Central possui uma das legislações mais rigorosas do mundo …

EUA testam míssil após deixarem tratado nuclear

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira (19/08) que realizaram um teste com um míssil de cruzeiro. Esse é o primeiro teste feito pelo país desde que deixou oficialmente o Tratado de Forças Nucleares de Alcance …

Astrônomos descobrem 39 galáxias antigas movendo-se tão rápido que nem mesmo o Hubble consegue vê-las

Astrônomos da Universidade de Tóquio (Japão) conseguiram detectar 39 galáxias muito antigas, do início do nosso universo, utilizando dados do espectro infravermelho de telescópios submilimétricos. A luz destas estrelas viajou nada menos que 11 bilhões de …

Trump confirma ter interesse em comprar Groenlândia

O presidente dos EUA, Donald Trump, confirmou em entrevista com jornalistas que tem interesse na compra da Groenlândia. O cientista político Vladimir Shapovalov comenta a declaração do líder norte-americano em entrevista ao serviço russo da …

Brexit sem acordo: tempos duros para britânicos, confirma relatório vazado

Segundo documento do governo vazado para imprensa, Reino Unido estará sujeito a meses de caos de transportes e carência de artigos básicos, caso se separe da UE sem um acordo de transição, como propõe o …

Pesquisadores criam adesivos corporais que verificam a saúde

A universidade de Stanford anunciou um novo experimento: adesivos corporais que leem informações a respeito da saúde da pessoa. Basicamente, os adesivos captam os sinais fisiológicos que emanam da pele, e então transmitem essas leituras de …

Bolsonaro se engana e critica Noruega com vídeo dinamarquês

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar a Noruega, que anunciou na semana passada a suspensão de repasses ao Fundo Amazônia. O mandatário, cujas políticas ambientais têm sido alvo de críticas internacionais, publicou um vídeo …