Britânicos querem criar uma “fazenda de cadáveres” a céu aberto – e não, isso não é um filme de terror

Nos Estados Unidos já existem alguns destes campos de cadáveres, que são agora pedidos no Reino Unido também. E é tudo em nome da ciência. Este podia perfeitamente ser o cenário do próximo filme de terror: cadáveres enterrados a menos de um metro de profundidade, outros pendurados em árvores, e outros ainda submersos em água.

A verdade é que tudo o que acontece neste espaço é em nome da ciência: nos Estados Unidos, estes campos a céu aberto, que “substituem” os tradicionais cemitérios, foram criados com o propósito de estudar a decomposição dos corpos.

Os cadáveres foram “doados” – ainda em vida – pelos seus proprietários. E até existe uma lista de espera de corpos humanos para entrar nos campos de estudo. E agora o Reino Unido quer um campo igual.

O primeiro centro de tafonomia – é o nome dado ao campo de investigação forense ao ar livre – foi criado pela Universidade do Tennessee e, neste momento, o país já conta com outros cinco. A Austrália também já tem o seu.

Agora, os cientistas forenses britânicos discutem as condições climáticas do país para observar a importância da criação de um centro de tafonomia no Reino Unido.

Os cientistas consideram que tanto o clima como o solo são diferentes, por isso o impacto sobre o processo de decomposição do corpo não será igual aos outros países, o que justifica a necessidade de se criar um desses centros em vez de serem aproveitadas as investigações realizadas por outros países.

Anna Williams é antropóloga forense na Universidade de Huddersfield, na Inglaterra, e acredita que casos criminais que ficaram sem solução viriam a beneficiar (e muito) com as informações obtidas com a instalação destes campos de cadáveres a céu aberto.

“Isso iria nos permitir desenvolver técnicas aperfeiçoadas de busca e localização de corpos de pessoas que estão desaparecidas há muito tempo. Existe agora uma necessidade urgente de estabelecer um desses centros no país”, justifica ao The Guardian.

Enquanto isso, os cientistas forenses têm usado porcos – devido às semelhanças fisiológicas com o ser humano – para entender melhor tudo o que acontece com o corpo depois da morte.

No entanto, os cientistas defendem que utilizar corpos de porcos para estudar a decomposição do corpo não é igual nem tão eficaz como utilizar cadáveres humanos.

Williams estima que um centro de tafonomia possa custar mais de 500 mil euros (cerca de R$ 1,8 milhão). “A investigação forense recebe muito pouco financiamento do Conselho de Investigação por isso esperamos que uma instituição acadêmica inserida em uma universidade possa ajudar”, conclui.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Portugal isola Lisboa para conter disseminação de variante

Em meio a alta de casos e difusão da variante delta do coronavírus, detectada inicialmente na Índia, governo português restringe circulação para dentro e para fora da região metropolitana da capital no fim de semana. Em …

Astrônomos descobrem as maiores estruturas giratórias conhecidas no universo

Tentáculos de galáxias com centenas de milhões de anos-luz de comprimento podem ser os maiores objetos giratórios do universo, um novo estudo descobriu. Corpos celestes muitas vezes giram, planetas, estrelas e galáxias. No entanto, aglomerados gigantes …

Facebook implementa software de IA capaz de detectar fotos e vídeos falsos

Os deepfakes são arquivos de mídia, incluindo fotos, vídeos e áudio, editados através de inteligência artificial (IA), que fornecem alto realismo e muitas vezes causam confusão após serem compartilhados nas redes sociais. Na quarta-feira (16), os …

China envia três astronautas para sua estação espacial

Grupo deverá ficar três meses no espaço e colocar em funcionamento o módulo central da estação espacial Tiangong. China não participa da ISS por decisão dos EUA. A primeira missão tripulada enviada pela China para a …

Putin “não quer Guerra Fria com EUA”, diz Biden após encontro com presidente russo

Os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da Rússia, Vladimir Putin, participaram nesta quarta-feira (16) de uma esperada reunião bilateral. O encontro realizado em Genebra acontece em um contexto de forte tensão entre …

Variante lambda do coronavírus: o que se sabe sobre mutação que se espalha pela América do Sul e preocupa OMS

Os vírus usam técnicas diferentes para continuar infectando as pessoas. E o caso da covid-19 não é exceção. As versões atuais da doença estão se espalhando muito mais facilmente do que a original, que surgiu na …

Embaixadores da Rússia e dos EUA "regressam ao trabalho", diz Putin após cúpula com Biden

A Rússia e os EUA acordaram o regresso de seus embaixadores, informou Vladimir Putin. Vladimir Putin, presidente da Rússia, disse, após conversas com seu homólogo americano Joe Biden, que os embaixadores russo e norte-americano voltam …

Cientistas desvendam segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo

Biólogos descobriram os segredos genéticos dos menores mamíferos mergulhadores do mundo: os musaranhos aquáticos. Usando amostras de DNA para construir uma árvore evolutiva, cientistas revelaram em um estudo recente que o comportamento destes mamíferos comedores de …

Pandemia, tufões e inundações agravaram crise alimentar na Coreia do Norte

O líder norte-coreano Kim Jong-Un admitiu que o país enfrenta uma "situação alimentar crítica", informou a mídia estatal nesta quarta-feira (16). A Coreia do Norte, cuja economia sofre com os reflexos de várias sanções …

Israel ataca Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários

Bombardeios israelenses miram alvos do Hamas, testando cessar-fogo acertado em maio após 11 dias de conflito com militantes palestinos. Marcha de nacionalistas judeus em Jerusalém elevou tensão. Israel bombardeou alvos do Hamas na Faixa de Gaza …