Exaustos com o Brexit, britânicos vão às urnas pela quarta vez em quatro anos

O Reino Unido está indo às urnas nesta quinta-feira (12) para o que está sendo chamada de a eleição mais importante desta era.

Os britânicos estão diante de duas escolhas: apoiar o primeiro-ministro conservador Boris Johnson e seus planos de sair da União Europeia a qualquer custo, ou eleger uma esquerda que quer dar ao país a chance de voltar atrás e colocar um fim ao Brexit. Pesquisas de opinião apontam uma vantagem para o partido do premiê, mas não se sabe se ele vai conseguir a maioria necessária para continuar governando.

Esta é a quarta vez que o Reino Unido vai às urnas nos últimos quatro anos – três delas para eleger membros do Parlamento, além do referendo que decidiu pela saída do país da União Europeia.

Os britânicos, de maneira geral, estão exaustos com o assunto Brexit. Foi devido a um impasse no Parlamento diante da questão, mais de três anos depois do referendo, que Boris Johnson convocou estas eleições antecipadas, seis semanas atrás.

Por isso, muitos eleitores, apesar de um certo desânimo, veem a votação desta quinta-feira como a última chance de resolver o Brexit de uma vez por todas. Os que apoiam o Partido Conservador esperam obter a maioria parlamentar necessária para que o país saia de vez da União Europeia. Já os que gostariam de parar o Brexit e permanecer no bloco europeu esperam que a oposição consiga vencer para poder realizar um segundo referendo.

Estratégia trabalhista

Desde que a eleição foi convocada, as pesquisas de opinião vêm indicando que o partido de Boris Johnson deve ganhar. Os conservadores têm uma média de 43% das intenções de voto, enquanto os trabalhistas alcançam 33%.

A principal estratégia dos trabalhistas foi tentar fazer com que os conservadores não consigam a maioria ampla no Parlamento. O líder Jeremy Corbyn evitou falar de Brexit e preferiu se concentrar em chamar a atenção dos eleitores para outros grandes problemas do país, depois de nove anos de governo conservador. Por exemplo, a crise do sistema público de saúde e os níveis recordes de pobreza e desigualdade social.

Corbyn tentou manter a popularidade que tem com os jovens, mas não conseguiu o mesmo arranque que na campanha de 2017. Tanto ele como Boris Johnson sofrem grandes índices de rejeição.

Campanha conturbada

Como primeiro-ministro, Boris Johnson teve que lidar com enchentes e desabrigados no norte do país, em outubro, e com um ataque terrorista no centro de Londres, que deixou dois mortos, há quase duas semanas. Na semana passada, ele encarou a visita do presidente americano, Donald Trump, e a complicada cúpula da Otan. Em todos os casos, ele foi bastante criticado.

Na última segunda-feira (9), num dos momentos mais marcantes da campanha, Johnson se recusou a olhar a fotografia de um menino de quatro anos deitado no chão de um pronto-socorro enquanto aguardava um leito, uma prova da atual crise do sistema de saúde. O incidente repercutiu muito mal na imprensa e nas redes sociais, mas não o suficiente para abalar as intenções de voto nas últimas pesquisas.

Voto útil

Uma novidade nesta campanha foram os grupos de ativistas que tentaram promover o voto útil contra Boris Johnson e seu partido. Os defensores desta estratégia argumentam que os eleitores deveriam votar naquele candidato que tivesse mais chance de derrotar os conservadores na sua região.

Em alguns casos, trabalhistas teriam de votar em liberais-democratas e vice-versa. Mas nenhum dos dois partidos se mostrou muito interessado em juntar forças abertamente para tentar conter os conservadores. Coube a grupos de ativistas promover o voto útil nas redes sociais e nas ruas, inclusive com ferramentas mostrando em qual candidato votar.

O fato de as pesquisas mostrarem que os conservadores ainda podem ter dificuldade em conseguir uma maioria no Parlamento é um indício do resultado desse esforço. Mas isso só será possível saber mesmo na noite desta quinta-feira, quando começar a contagem dos votos e sair a pesquisa de boca de urna, que costuma acertar. A votação se encerra às 22h do horário local (19h em Brasília). O resultado definitivo deve ser conhecido nas primeiras horas de sexta-feira (13).

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Japão lembra 75 anos de bomba de Hiroshima e pede união contra armas nucleares

Esta quinta-feira (6) marca o 75º aniversário do primeiro ataque com bomba atômica do mundo. Cerca de 140 mil pessoas morreram no bombardeio à cidade japonesa, realizado pelo Estados Unidos no fim da Segunda Guerra …

Donald Trump determina bloqueio do TikTok e WeChat nos EUA em 45 dias

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump assinou na noite de ontem (6) uma ordem executiva determinando o fim de relações com as empresas responsáveis pelos apps TikTok e WeChat no país norte-americano. Em comunicado emitido …

Brasil caminha para ter 200 mil mortes pelo coronavírus até outubro, diz especialista

Na semana em que o Brasil deverá registrar 100 mil mortes pelo novo coronavírus, um especialista brasileiro indica que o país caminha para dobrar esse número em dois meses, atingindo 200 mil óbitos pela pandemia …

Petição defende que França assuma controle do Líbano

Suspeita de que desastre em Beirute foi causado por negligência eleva indignação dos libaneses, que pedem mandato francês pelos próximos dez anos no país. Apelo recebe mais de 50 mil assinaturas após visita de Macron. Quase …

Macron visita Beirute devastada e cobra reformas no Líbano

Presidente francês visita local da explosão e ouve apelos por mudanças por parte da população, para quem o desastre é consequência de anos de corrupção, caos público e má gestão. O presidente da França, Emmanuel Macron, …

Após ser engolido, besouro consegue escapar do intestino dos sapos

Uma pesquisa mostrou que o besouro aquático Regimbartia attenuata tem a capacidade de sobreviver ser engolido por um sapo. Todos já ingerimos coisas que parecem querer sair correndo de dentro de nós, mas deve ser muito …

Disney+ chegará à América Latina em novembro

Ao divulgar que ultrapassou a marca de 60 milhões de assinantes, a Disney também reforçou uma informação que traz esperança a muita gente: o Disney+ deve mesmo chegar à América Latina em novembro. A informação foi …

China exorta Trump a não abrir 'caixa de Pandora' com aquisição do TikTok

China apela aos EUA que não abram a caixa de Pandora, exigindo vender a companhia TikTok, eles serão os próprios culpados pelas consequências, declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin. O presidente …

Twitter bloqueia conta oficial de campanha de Trump

O Twitter anunciou nesta quarta-feira (5) ter bloqueado temporariamente a conta oficial da campanha de reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por conta de um tuíte que continha informação equivocada sobre a …

Líbano inicia luto nacional e recebe ajuda internacional

Diversos países enviam suprimentos médicos a Beirute. Presidente da França chega ao Líbano para avaliar situação. Megaexplosão deixou ao menos 137 mortos, incluindo diplomata alemão, e mais de 5 mil feridos. Beirute amanheceu nesta quinta-feira (06/08) …