Camelos são apontados como possível vetor da próxima pandemia

A falta de práticas preventivas nas diversas frentes que determinam a gravidade da atual pandemia revela-se hoje como um agravante fundamental para se compreender a terrível realidade atual imposta pela Covid-19.

Enquanto ainda tentamos começar a realmente resolver o problema da pandemia do novo coronavírus, por isso é tão importante o trabalho de cientistas que hoje trabalham para antever o quadro que pode nos levar à próxima pandemia: e um dos maiores temores de tais especialistas é o camelo, animal criado aos milhões entre seres humanos em regiões da África, Ásia e Oriente Médio, e que carrega um outro coronavírus que até aqui se mostrou 10 vezes mais letal que a Covid-19.

Estima-se que 75% das doenças que podem provocar uma pandemia tem sua origem em animais, e mais de 1,2 mil novas doenças do tipo já foram identificadas – o quadro, porém, é abismal: pesquisas sugerem que existem 700 mil doenças desconhecidas.

É nesse cenário que o camelo se impõe como especial ameaça, por conta da imensa quantidade de animais que convivem diretamente com populações humanas, e também por seu próprio comportamento: o temperamento arredio da espécie dificulta as pesquisas científicas e expõe ainda mais as pessoas ao redor – segundo pesquisadores, o camelo tem por hábito agredir, cuspir e urinar em quem tenta, por exemplo, coletar material com uma agulha.

O medo dos cientistas se refere ao Mers, a tal variante especialmente letal do coronavírus, que foi descoberta na Arábia Saudita em 2012 e que até 2016 havia registrou mais de 1.700 casos e mais de 600 mortes na região.

O quadro se torna ainda mais ameaçador diante das secas cada vez mais frequentes por lá, que obrigam os pastores a trocarem as vacas por camelos, únicos animais capazes de sobreviver sem água por semanas a fio – ampliando ainda mais o perigoso convívio.

E como prevenir é mais eficaz do que buscar a vacina ou a cura, como tão bem vem nos ensinando a pandemia atual, agora cientistas vem trabalhando para tentar evitar que a Mers se espalhe entre os seres humanos da região.

Só no Quênia, por exemplo, residem mais de 3 milhões de camelos, cerca de 10% da população da espécie de todo o mundo, e na cidade de Marsabit os mais de 224 mil animais praticamente superam a população humana no local. Para piorar o quadro, na cidade existem somente cinco médicos para toda a cidade, em uma média de um médico para cada 64 mil pessoas, muito abaixo do recomendado pela OMS.

Os camelos são usados como transporte e moeda de troca, mas também fornecem leite e carne para a população local.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Opositor belarusso é achado morto na Ucrânia

Ativista Vitaly Shishov ajudava compatriotas a fugir da perseguição do regime de Alexander Lukashenko, considerado o último ditador da Europa. Polícia investiga possível assassinato encenado como suicídio. Um ativista de Belarus foi encontrado morto nesta terça-feira …

Polônia concede visto humanitário a atleta olímpica e alimenta tensões com Belarus

A Polônia concedeu nesta segunda-feira (2) um visto humanitário para a atleta olímpica bielorrussa Krystsina Tsimanuskaya. A jovem afirma que estava sendo obrigada a deixar o Japão após ter criticado sua equipe e temia …

EUA e Reino Unido teriam dado 'luz verde' a Israel para retaliar Irã após ataque a petroleiro

Irã rejeitou o envolvimento do país no ataque contra o petroleiro Mercer Street no mar Arábico que ocorreu na quinta-feira (29), condenando as acusações lançadas pelo governo israelense. Tel Aviv teria recebido "luz verde" de Washington …

Incêndios causam mortes e devastação no sul da Europa

A União Europeia EU) enviou ajuda para a Turquia nesta segunda-feira (02/08), e voluntários se juntaram a bombeiros na luta contra fortes incêndios que já duram seis dias e mataram oito pessoas no país. Em …

Golpe militar em Mianmar completa seis meses e já resultou em quase mil mortes de civis

Aterrorizados pela repressão da junta militar e pela propagação do coronavírus, poucos birmaneses se atreviam a ir às ruas para protestar neste domingo (1º), quando completam-se seis meses do golpe de Estado que mergulhou …

Governo italiano vende casas a 2 euros na região da Sicília

Mais uma vez o governo italiano está vendendo casas em áreas rurais da Itália, após o sucesso da campanha para repovoamento de áreas abandonadas. Além de promover a ocupação por meio de incentivos para jovens e …

Bolsonaro admite não ter provas de fraudes eleitorais

Em live para a qual convocou veículos de imprensa, Bolsonaro exibiu uma série de teorias falsas, cálculos equivocados e vídeos antigos, já verificados e desmentidos, mas que ainda circulam na internet, como supostas evidências de …

A incrível civilização antiga que mumificava os mortos 2 mil anos antes dos egípcios

"As mais antigas evidências arqueológicas conhecidas de mumificação artificial de corpos", segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão presentes na América do Sul, na costa árida …

Delta pode causar covid-19 mais grave, alerta agência americana

Documento interno do órgão de prevenção de doenças dos EUA indica que a variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora e pode ser transmitida mesmo por indivíduos vacinados. "A guerra mudou", diz …

Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente …