Caso Skripal já atinge mais de 300 funcionários diplomáticos

Na série de medidas e retaliações em torno da tentativa de assassinato de ex-espião russo, centenas de diplomatas devem ser mandados para casa.

O governo russo endurece suas sanções diplomáticas contra o Reino Unido: a embaixada britânica em Moscou terá que reduzir seu pessoal em mais de 50 funcionários, comunicou neste sábado (31/03) o Ministério russo do Exterior.

Segundo a porta-voz Maria Sakhrova, a medida visa que as despensas sejam reciprocamente equiparadas, e no momento “o lado britânico tem mais de 50 pessoas a mais”.

Os funcionários excedentes terão um mês para deixar a Rússia. Londres é quem decide quais representantes de seu serviço diplomático ou técnico vai retirar. Pouco antes, Moscou declarara 23 britânicos personae non gratae em seu território.

Em 14 de março, o Reino Unido anunciou a expulsão de 23 diplomatas russos. Desde então, a manobra diplomática foi seguida nos últimos dias por diversos países e pela Otan, afetando mais de 150 membros de representações diplomáticas da Rússia em dezenas de países.

Na última sexta-feira, o Ministério do Exterior da Rússia chamou os embaixadores de 23 países para anunciar que receberiam retaliação idêntica à decretada por seus governos.

A crise diplomática em torno do envenenamento do ex-espião Sergei Skripal e de sua filha Yulia, já acarretou ao todo a ordem de expulsão para cerca de 300 diplomatas, segundo cálculos da agência de notícias francesa AFP.

Esta é considerada a maior onda de expulsões diplomáticas da história.

Só nos Estados Unidos, 60 funcionários russos terão de abandonar o país, anunciou a Casa Branca, na “maior expulsão” do gênero, segundo um alto funcionário do governo Donald Trump.

O consulado russo em Seattle também será fechado. Em resposta, a Rússia declarou 60 diplomatas e funcionários americanos personae non gratae e fechou o consulado dos EUA em São Petersburgo.

Na União Europeia, 18 países seguiram os procedimentos de Londres: Alemanha, França, Polônia, com quatro expulsões, cada uma; Lituânia, República Tcheca, com três; Dinamarca, Espanha, Holanda, Itália, com duas; Bélgica, Croácia, Estônia, Finlândia, Hungria, Letônia, Romênia, Suécia, com uma expulsão, respectivamente.

Portugal foi um dos países que, juntamente com a Bulgária, Eslováquia, Luxemburgo e Malta, chamaram embaixadores para conversações, mas não expulsaram diplomatas russos.

“A resposta internacional extraordinária dos nossos aliados é a maior expulsão coletiva de agentes dos serviços de informações russos da história e vai contribuir para defender a nossa segurança comum”, escreveu Boris Johnson, ministro das Relações Exteriores britânico, no Twitter.

Ciberia // Deutsche Welle

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Opositor belarusso é achado morto na Ucrânia

Ativista Vitaly Shishov ajudava compatriotas a fugir da perseguição do regime de Alexander Lukashenko, considerado o último ditador da Europa. Polícia investiga possível assassinato encenado como suicídio. Um ativista de Belarus foi encontrado morto nesta terça-feira …

Polônia concede visto humanitário a atleta olímpica e alimenta tensões com Belarus

A Polônia concedeu nesta segunda-feira (2) um visto humanitário para a atleta olímpica bielorrussa Krystsina Tsimanuskaya. A jovem afirma que estava sendo obrigada a deixar o Japão após ter criticado sua equipe e temia …

EUA e Reino Unido teriam dado 'luz verde' a Israel para retaliar Irã após ataque a petroleiro

Irã rejeitou o envolvimento do país no ataque contra o petroleiro Mercer Street no mar Arábico que ocorreu na quinta-feira (29), condenando as acusações lançadas pelo governo israelense. Tel Aviv teria recebido "luz verde" de Washington …

Incêndios causam mortes e devastação no sul da Europa

A União Europeia EU) enviou ajuda para a Turquia nesta segunda-feira (02/08), e voluntários se juntaram a bombeiros na luta contra fortes incêndios que já duram seis dias e mataram oito pessoas no país. Em …

Golpe militar em Mianmar completa seis meses e já resultou em quase mil mortes de civis

Aterrorizados pela repressão da junta militar e pela propagação do coronavírus, poucos birmaneses se atreviam a ir às ruas para protestar neste domingo (1º), quando completam-se seis meses do golpe de Estado que mergulhou …

Governo italiano vende casas a 2 euros na região da Sicília

Mais uma vez o governo italiano está vendendo casas em áreas rurais da Itália, após o sucesso da campanha para repovoamento de áreas abandonadas. Além de promover a ocupação por meio de incentivos para jovens e …

Bolsonaro admite não ter provas de fraudes eleitorais

Em live para a qual convocou veículos de imprensa, Bolsonaro exibiu uma série de teorias falsas, cálculos equivocados e vídeos antigos, já verificados e desmentidos, mas que ainda circulam na internet, como supostas evidências de …

A incrível civilização antiga que mumificava os mortos 2 mil anos antes dos egípcios

"As mais antigas evidências arqueológicas conhecidas de mumificação artificial de corpos", segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão presentes na América do Sul, na costa árida …

Delta pode causar covid-19 mais grave, alerta agência americana

Documento interno do órgão de prevenção de doenças dos EUA indica que a variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora e pode ser transmitida mesmo por indivíduos vacinados. "A guerra mudou", diz …

Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente …