Filha de Skripal quebra o silêncio depois de ter sido envenenada

Yulia Skripal / Facebook

Yulia Skripal, filha do ex-espião russo envenenado

A filha do ex-espião russo, que acordou na semana passada, quebrou o silêncio. Yulia pede respeito pela sua privacidade neste momento de recuperação e diz que está cada vez mais forte.

Yulia Skripal, a filha do ex-espião russo Sergei Skripal, fez a primeira declaração desde que foi vítima do envenenamento com uma substância neurotóxica, no dia 4 de março, que a deixou em estado crítico. Os dois foram encontrados desmaiados num banco em Salisbury, no Reino Unido.

A russa de 33 anos, que acordou na semana passada, diz que foi alvo de um incidente “desconcertante”, mas que sua “força aumenta dia após dia” e pede respeito à sua privacidade neste momento de recuperação.

“Tenho que agradecer a muitas pessoas a minha recuperação e gostaria de mencionar especialmente o povo de Salisbury que me socorreu e me ajudou quando eu e meu pai estávamos incapacitados”, cita o RT. Yulia agradeceu ainda à “equipe do Hospital Distrital de Salisbury pelo cuidado e profissionalismo”.

O comunicado foi publicado pela polícia britânica e não contém nenhuma informação sobre o estado de saúde de seu pai. Segundo o Diário de Notícias, a declaração surge horas depois de a televisão pública russa difundir um registro de áudio de uma suposta conversa telefônica entre Yulia e uma prima, à qual supostamente diz que “a saúde de todos está normal, não existe nada de irreversível” e garante que “tudo vai correr bem”.

O ataque gerou uma crise diplomática entre a Rússia e o Reino Unido, depois de o governo britânico ter acusado os russos de estarem envolvidos na tentativa de homicídio e ter anunciado a expulsão de diplomatas russos. A posição foi tomada também pelos EUA e por outros países europeus.

Rússia acusa serviços secretos estrangeiros

Vassily Nebenzia, embaixador da Rússia na ONU, disse nesta quinta-feira (5), numa reunião convocada pela Rússia, que “tudo confirma que essa é uma campanha coordenada e muito bem planejada”, com o objetivo de “desacreditar e até deslegitimar a Rússia”.

Embora não tenha especificado, o embaixador afirmou que Moscou assume, “com alto grau de probabilidade”, que os serviços de inteligência de outros países estejam por trás do envenenamento do ex-espião russo e de sua filha, na Grã-Bretanha, com o grande objetivo de usar “uma arma horrível e desumana e de esconder o arsenal dessa substância”.

Segundo o Jornal de Notícias, Nebenzia defendeu que a situação coloca em causa o papel da Rússia tanto na procura de uma solução para a Síria, “como em qualquer outro lugar”.

Além disso, o embaixador Vassily Nebenzia afirmou que a Grã-Bretanha é obrigada a permitir que a Rússia participe na investigação do ataque.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fábrica russa eliminará deficiências na produção da Sputnik V de acordo com recomendações da OMS

Em resultado de inspeções efetuadas na Rússia, o grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde fez várias observações sobre a fabricação da vacina Sputnik V. Estas são ligadas principalmente à proteção do meio ambiente …

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …