Chinesa que cobriu covid-19 em Wuhan recebe prêmio da RSF

Roman Pilipey / EPA

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) distinguiu nesta quinta-feira (18/11) com o seu prêmio de liberdade de imprensa a chinesa Zhang Zhan, a palestina Majdoleen Hassona e o projeto internacional Pegasus, um consórcio de jornalistas de vários países que investigam espionagem ilegal.

Os três prêmios, que são concedidos anualmente pela ONG internacional com sede em Paris, reconhecem o valor, a independência e o impacto dos diferentes trabalhos jornalísticos que têm contribuído para a defesa ou promoção da liberdade de imprensa no mundo.

Nesta 29ª edição do prêmio, a RSF reconheceu, na categoria Valor, o trabalho de Zhang Zhan, advogada e jornalista que cobriu a pandemia de covid-19 na cidade chinesa de Wuhan em fevereiro de 2020.

Zhan, que foi detida em maio de 2020, divulgou nas redes sociais as imagens de ruas, hospitais e famílias infectadas, tornando-se uma das principais fontes de informação independentes sobre a situação de saúde na região. Sua detenção foi mantida em segredo durante vários meses e em dezembro do ano passado ela foi condenada a quatro anos de prisão por perturbar a ordem pública.

A jornalista iniciou uma greve de fome para protestar contra a decisão e, segundo os seus familiares, sua saúde piorou nas últimas semanas.

Espelho da situação do jornalismo hoje

Na categoria Independência, a RSF escolheu a repórter palestina Majdoleen Hassona, que é frequentemente perseguida pelas autoridades israelenses e palestinas pelas suas publicações críticas. Ela está detida em Israel desde agosto de 2019, quando viajava da Cisjordânia com o noivo e foi informada que foi proibida de sair do território por motivos de segurança.

O terceiro prêmio, que reconhece o impacto de um trabalho jornalístico, foi para o projeto internacional Pegasus, um consórcio formado por mais de 80 jornalistas de 17 meios de comunicação de 11 países, com o apoio da Anistia Internacional.

O nome do projeto é inspirado no programa de software de vigilância “Pegasus”, de propriedade da empresa de tecnologia israelense NSO Group, e é usado para ajudar países e suas agências de segurança a combater o terrorismo.

O software foi vendido a vários governos desde 2011 e, segundo revelaram os pesquisadores do consórcio Projeto Pegasus, também é utilizado por pelo menos 11 governos – autocráticos ou democráticos – para espionar jornalistas, ativistas de direitos humanos e figuras da oposição. Os países incluem México, Arábia Saudita, Azerbaijão e Hungria.

Em 2017, a DW revelou que o governo mexicano da época estava usando o software para espionar jornalistas.

“Este é, infelizmente, um resumo da situação do jornalismo hoje. Os vencedores do prêmio da Repórteres sem Fronteiras incorporam as mais nobres qualidades do jornalismo. Eles merecem não só a nossa admiração, mas também todo o nosso apoio”, afirmou em comunicado o secretário-geral da RSF, Christophe Deloire.

O júri desta edição foi presidido pelo presidente da RSF, Pierre Haski, e por importantes repórteres internacionais, como a francesa Raphaëlle Bacqué, a indiana Rana Ayyub, o advogado sírio Mazen Darwish e o editor paquistanês Hamid Mir.

Ciberia // SW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …