Cientistas armazenam GIF no código genético de uma bactéria

Um grupo de cientistas da Universidade de Harvard, nos EUA, conseguiu armazenar um GIF dentro de bactérias vivas do gênero E. Coli. Para tal, foi utilizada a técnica CRISPR, que permite que os cientistas “cortem, editem e colem” segmentos do DNA das bactérias.

Os especialistas inseriram a famosa sequência de imagens The Horse in Motion, do pioneiro da fotografia Eadweard Muybridge, dentro das bactérias e conseguiram remover o GIF com 90% de precisão.

Mas, segundo o principal autor do estudo, Seth Shipman, a ideia não é criar um dispositivo USB biológico para guardar filmes e arquivos, mas desenvolver uma espécie de gravador biológico para monitorizar células ou modificações no ambiente, para que um cientista não tenha de “alterar” o sistema quando pretende recolher dados.

As bactérias já utilizam as proteínas “Cas” associadas ao CRISPR para reunir pedaços de DNA de vírus e inseri-los nos seus genomas como um mecanismo de defesa contra futuros ataques. Assim, os cientistas aproveitaram o fato de as proteínas já inserirem novos materiais genéticos contra o material genético antigo.

O sistema tem o potencial de escrever informações no genoma. Aqui, usamos o sistema CRISPR-Cas para codificar os valores de pixels de imagens em preto e branco e um filme curto nos genomas de bactérias vivas”, destacou Shipman.

Inicialmente, os cientistas testaram o armazenamento de uma imagem de uma mão utilizando o DNA para converter informações de cores e pixels em conjuntos de pares de bases – A, T, C e G.

A situação é semelhante à maneira como os genes codificam proteínas no DNA, mas, no código genético criado pelos especialistas, as sequências A, C, T e G determinam as cores que um determinado pixel deve ter.

Os cientistas introduziram a sequência necessária em uma população de bactérias E. coli, criando poros temporários nas membranas das células com impulsos elétricos. Os dados traduzidos entram na bactéria, que os integra no seu genoma utilizando proteínas Cas.

Mas, codificar o GIF The Horse in Motion dentro da bactéria foi um processo mais complicado – apesar de a bactéria armazenar os dados por ordem cronológica, a informação fica espalhada entre muitas células. Deste modo, os cientistas só conseguem recuperar a informação das células únicas.

“Observamos literalmente o mesmo registro físico das sequências que foram colocadas na bactéria e na mesma ordem”, disse Shipman, destacando que, mesmo com a modificação, a bactéria conseguiu se multiplicar normalmente e o filme permaneceu intacto nas gerações seguintes.

De acordo com os especialistas, este novo processo poderá fazer com que as células vivas consigam guardar informações sobre a sua própria vida, permitindo que esse conhecimento seja utilizado para analisar o comportamento e interação das bactérias.

Até hoje, já foi possível guardar em DNA todos os sonetos de Shakespeare. Aliás, o geneticista de Harvard e um dos autores do novo estudo, George Church, armazenou o seu próprio livro “Regenesis” no DNA de uma bactéria e fez 90 bilhões de cópias.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Astrônomos mapeiam 1 milhão de galáxias previamente desconhecidas

Cerca de um milhão de galáxias previamente desconhecidas para além da Via Láctea foram adicionadas a um mapa detalhado de seção de espaço. Pesquisas sobre o espaço normalmente demoram anos para serem completas, mas um novo …

Brasil recebe vacina de Oxford em janeiro, promete Pazuello

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que o primeiro lote das vacinas de Oxford chega ao Brasil em janeiro. Serão 15 milhões de doses entre janeiro e fevereiro, totalizando 260 milhões ao longo do …

Cingapura é primeiro país a aprovar venda de carne de laboratório

Empresa californiana obteve autorização da cidade-Estado para usar sua carne de frango produzida a partir de cultura celular em chicken nuggets e garante que preço será competitivo. Cingapura é o primeiro país do mundo a aprovar …

Relatório da ONU aponta que 2020 deve ser um dos 3 anos mais quentes já registrados

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) publicou um relatório que aponta que o ano de 2020 deve ser um dos três anos mais quentes desde o início dos registros de temperatura. O secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, …

Documentos oficiais mostram que a China escondeu informações sobre a Covid-19

Relatórios oficiais chineses teriam sido transmitidos à rede de TV americana CNN por meio de um informador anônimo. A investigação se chama “Wuhan files” e tem como foco o começo da pandemia de Covid-19, em …

Jovem que filmou morte de George Floyd por policiais brancos ganha prêmio por bravura

A mulher que filmou o assasinato de George Floyd pelo policial Derek Chauvin vai ser condecorada com um prêmio por sua coragem. Darnella Frazier, de 17 anos, fez o registro enquanto ia com o primo …

Remédio experimental reverteu o declínio mental da idade avançada em dias

Apenas algumas doses de um medicamento experimental podem reverter o declínio relacionados à idade na memória e flexibilidade mental em ratos, de acordo com um novo estudo realizado por cientistas da UC San Francisco. A droga, …

Bebê nasce de embrião congelado há 27 anos: quase a idade da mãe

A pequena Molly Everette Gibson, de um mês, estabeleceu um novo recorde no mundo. A garotinha, filha de Tina e Ben Gibson, nasceu de um embrião que foi congelado há 27 anos e gerado por …

Covid-19: exame pioneiro mostra danos em pulmões 3 meses depois de infecção por coronavírus

A covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, pode estar causando anormalidades pulmonares ainda detectáveis mais de três meses após os pacientes serem infectados, revela um novo estudo. Cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, …

"Hyperloop de levitação": a próxima revolução nas viagens?

Imagine viajar para o trabalho a quase 1.000 km/h, pairando um pouco acima do solo, sem barulho de motor. Pode soar como um filme de ficção científica, mas este cenário se aproximou da realidade quando o …