Covid-19: EUA pretendem lançar campanha de vacinação em dezembro

USACE Europe District / Flickr

O país, o mais atingido pela epidemia no mundo, espera vacinar sua população 24 horas após a concessão da autorização de emergência pelo FDA, a agência americana reguladora de medicamentos. A reunião pública de seu comitê de vacinas, para analisar o pedido, será realizada em 10 de dezembro.

O laboratório americano Pfizer e a parceira alemã BioNTech pediram a aprovação da vacina na sexta-feira (20). Diante do avanço da Covid-19, que contaminou mais de 12 milhões de pessoas no país, os Estados Unidos devem iniciar um programa de vacinação no início de dezembro. A expectativa é que a imunidade coletiva seja alcançada em maio.

O pedido da Pfizer/BioNTech foi feito há vários dias, após a divulgação dos resultados do teste clínico iniciado em julho com 44.000 voluntários em vários países. Os resultados mostraram que a vacina teria uma eficácia de 95% contra a covid-19, sem efeitos colaterais graves.

A decisão de autorizar ou não a vacina, porém, dependerá dos cientistas da FDA e o aval poderá ser dado na primeira quinzena de dezembro. “Nosso plano é poder enviar as vacinas aos locais de vacinação dentro das 24 horas posteriores à aprovação” pela FDA, disse Moncef Slaoui, chefe da agência, à CNN.

O alto funcionário também disse que espera que, assim que lançada a campanha de vacinação em massa, o país possa alcançar a “imunidade coletiva” em maio.

“Normalmente, com o nível de eficácia que temos (95%), imunizar aproximadamente 70% da população geraria uma verdadeira imunidade coletiva. Provavelmente acontecerá em maio, ou perto disso, dependendo de nossos planos”, disse.

Os Estados Unidos são o país mais afetado pelo vírus em termos absolutos, com 255.800 mortes por Covid-19. A epidemia está fora de controle e o número de novos casos diários está disparando (quase 164.000 no sábado). O número total de contágios supera os 12 milhões, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Tratamentos

Outro motivo esperançoso para os americanos é a autorização de um tratamento da empresa Regeneron, usado pelo presidente Donald Trump. “Autorizar esses tratamentos com anticorpos monoclonais pode ajudar os pacientes ambulatoriais a evitar a hospitalização e aliviar a carga de nosso sistema de saúde”, afirmou no sábado Stephen Hahn, comissário da FDA.

O presidente da Regeneron, Leonard Schleifer, acredita que a decisão representa “um importante passo na luta contra a Covid-19, já que os pacientes de alto risco nos Estados Unidos terão acesso a um tratamento promissor durante o estado inicial da infecção”.

De acordo com a FDA, o tratamento com REGEN-CoV2, uma combinação de dois anticorpos fabricados em laboratório, reduz as hospitalizações ou visitas às salas de emergência de pacientes infectados pela Covid-19 com doenças secundárias ou “comorbidades”.

Esses anticorpos imitam a maneira de agir do sistema imunológico depois de contrair a Covid-19, bloqueando a ponta do vírus, a proteína Spike, que o permite penetrar nas células.

A Regeneron recebeu mais de US$ 450 milhões em investimento do governo americano para o desenvolvimento de tratamentos para lutar contra a Covid-19 como parte da operação “Warp Speed”, criada por Donald Trump para imunizar a população americana o quanto antes.

Itália lança campanha em janeiro

A Itália, onde a pandemia matou mais de 48.000 pessoas, lançará uma “campanha de vacinação sem precedentes” no final de janeiro, começando com os cidadãos mais expostos à pandemia, anunciou o ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza, no sábado.

A Covid-19 já matou pelo menos 1.381.000 pessoas em todo o mundo desde dezembro de 2019. Mais de 58 milhões de casos foram oficialmente registrados em todo o mundo.

Na Europa, as restrições impostas à população em muitos países para lidar com a segunda onda da epidemia estão começando a surtir efeito. Na França, onde o número de novos casos, mortes e internações em terapia intensiva está diminuindo, as autoridades acreditam que o pico da segunda onda foi ultrapassado. Em Paris, a campanha de vacinação pode começar em janeiro.

O governo britânico confirmou no sábado que o isolamento de quatro semanas na Inglaterra não se estenderá além de 2 de dezembro, quando voltará a um sistema de restrições locais. Já Portugal decidiu no sábado “reforçar” as restrições para conter a epidemia, principalmente com o fechamento de escolas e repartições públicas na segunda-feira 30 de novembro e em 7 de dezembro, ambas datas vésperas de feriados.

A pandemia também esteve no centro das discussões da cúpula virtual do G20, que começou no sábado em Riade. Os líderes mundiais prometeram no domingo “não poupar esforços” para garantir o acesso equitativo às vacinas covid-19, embora tenham anunciado poucas medidas concretas.

“Apoiamos totalmente todos os esforços de colaboração”, afirmaram na declaração final da cúpula, referindo-se aos mecanismos de combate ao vírus coordenados pela OMS. Eles também se comprometeram a “atender às necessidades financeiras globais restantes”, como as dos países pobres cujas economias foram devastadas pela crise sanitária.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …