Desigualdade cria ambiente propício para extrema direita no Brasil, diz Dilma

A ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff

A ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff

Personificada no presidente eleito Jair Bolsonaro, a extrema direita estava latente no Brasil e aproveitou-se da desigualdade para pavimentar seu crescimento. A avaliação foi feita pela ex-presidente Dilma Rousseff, derrotada nas eleições de outubro ao disputar uma vaga no Senado por Minas Gerais, em entrevista à EFE.

“Acredito que o que levou a criar um ambiente propício para que a extrema direita crescesse foi a desigualdade, que é engendrada por uma forma de desenvolvimento econômico que tem como aspecto prioritário o lado financeiro”, afirmou a ex-presidente pouco depois de participar de um evento da Fundação Perseu Ábramo, ligada ao PT.

Para a ex-presidente, a extrema direita estava escondida no Brasil após quase duas décadas do fim da ditadura militar (1964-1985). Outro elemento que contribuiu para essa irrupção, na avaliação de Dilma, é o fato de país ainda ter “todo um rastro de escravidão“.

No entanto, segundo a petista, o impeachment sofrido por ela em 2016 e a prisão em abril do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por corrupção, foram fatores definitivos para o movimento.

“O processo de impeachment e a prisão de Lula limparam o ‘centro ideológico’ e a extrema direita se apropriou dessa base do centro e da direita (não radical)”, analisou.

A partir disso, Dilma considera que foi criado um ambiente no qual a corrupção deixou em segundo plano outros problemas do país, como a concentração de riqueza na mão da camada mais rica da população.

“Dizem que a Petrobras quebrou porque houve corrupção dentro da Petrobras. A corrupção não quebrou a Petrobras. A Petrobras continua tendo grandes lucros. O problema do Brasil não é a corrupção, mas sim como a crise nos afetou”, disse a ex-presidente.

Depois de quatro anos de prejuízos, a Petrobras dá sinais de que voltará a lucrar apenas neste ano, de acordo com os resultados trimestrais publicados até o momento.

Perguntada sobre suas maiores preocupações no futuro governo de Bolsonaro, Dilma afirmou que, do ponto de vista político, teme a “destruição do adversário”. Na economia, o medo é a agenda neoliberal do presidente eleito, que pretende vender estatais e tem outros projetos considerados pela petista como “nocivos” ao país.

“Uma coisa é derrotar o adversário, outra é querer destruí-lo fisicamente. Ele em vários momentos falou isso, não?”, questionou.

Dilma afirmou que não serão os militares indicados para compor o futuro ministério de Bolsonaro que darão a “nota grave” do governo. Para ela, que considera “extremamente preocupante” a quantidade de integrantes das Forças Armadas exercendo a atividade política, eles podem ter até um papel mais desenvolvimentista que o eleito.

“O que é uma nota preocupante do governo de Bolsonaro é o caráter neofacista, certos vínculos que ele tem, não somente com os militares, mas sobretudo com a pauta das milícias ou do combate antipetista, que se tornou uma espécie de anticomunismo”, analisou.

Na opinião de Dilma, o antipetismo de hoje tem “componentes fantasmagóricos” que não se viam no Brasil desde a ditadura. “Mas o caráter fundamental do governo de Bolsonaro é ser um governo neoliberal de desmonte, combinado com um governo autoritário”, disse a ex-presidente.

Bolsonaro, segundo Dilma, ainda terá que lidar com certas “contradições” de sua equipe, já que, para ela, há integrantes do futuro governo que não concordam com o “neoliberalismo radical”.

Para enfrentar os problemas que surgem a partir da aplicação de uma política neoliberal, a ex-presidente avalia ser fundamental a “radicalização da democracia” para combater o aumento da desigualdade e retrocessos nos direitos, como habitação digna, educação de qualidade e aposentadoria decente.

“Para nós, no Brasil, é fundamental radicalizar a democracia, ou seja, nós somos aqueles que defendem a democracia, que defendem as liberdades e os direitos civis fundamentais. É uma luta que não pode se esgotar só nos partidos, tem que envolver também os movimentos sociais”, concluiu Dilma.

Ciberia // EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estudo que desencoraja uso de hidroxicloroquina é alvo de investigações

Nesta quarta-feira (3), a Organização Mundial da Saúde anunciou que vai retomar os testes com o medicamento hidroxicloroquina, um dos mais cotados atualmente como possível auxiliar na luta contra a COVID-19. A notícia pegou muita gente …

Donald Trump diz por que estava em bunker subterrâneo em meio a protestos

Em meio aos protestos violentos e pacíficos que têm varrido os EUA após a morte do afro-americano George Floyd, surgiram relatos de que Trump se escondeu dos manifestantes em um bunker. Donald Trump atacou como "falsa" …

EUA: 4 policiais são acusados pela morte de George Floyd

O policial de Minneapolis que se ajoelhou sobre o pescoço de George Floyd provocando sua morte será acusado de assassinato em segundo grau. Seus três colegas também serão julgados, disse a senadora americana Amy …

Governo destina verba publicitária a canais de conteúdo inadequado

Em apenas 38 dias, o governo de Jair Bolsonaro publicou mais de 2 milhões de anúncios em canais na internet com "conteúdos inadequados", segundo mostrou um relatório da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das …

Cientistas encontram maior e mais antigo monumento da civilização maia no México

Pesquisadores da Universidade do Arizona (EUA) descobriram a mais antiga construção monumental da civilização maia já encontrada até agora e a maior de toda a história pré-hispânica da região. O estudo, publicado na revista Nature, foi …

Herdeiro da Samsung pode voltar a ser preso

O herdeiro da Samsung, Lee Jae-yong, pode ter de voltar à prisão. Procuradores de justiça da Coreia do Sul pediram nesta quinta-feira (4) uma nova detenção do antigo diretor da gigante como parte de uma …

Escolas ao ar livre criadas para combater a tuberculose no início do século 20

Em 1904, surgia nas proximidades de Berlim a primeira escola ao ar livre do mundo. A Waldschule für kränkliche Kinder havia sido criada por Walter Spickendorff em conjunto com o pediatra Bernhard Bendix e o …

Fígados humanos foram criados em laboratórios e transplantados em ratos com sucesso

Uma equipe internacional liderada por pesquisadores do Departamento de Patologia da Universidade de Pittsburgh (EUA) criou pequenos fígados através de engenharia genética utilizando células da pele humanas, e em seguida os transplantaram com sucesso em …

Governo alemão anuncia pacote de estímulo de 130 bilhões de euros

Merkel afirma que resposta "corajosa" é necessária para impulsionar a economia do país, abalada pela pandemia de covid-19. Medidas anunciadas incluem auxílios à indústria e às famílias e incentivos ao consumo. Os partidos que integram a …

Mark Zuckberg abre guerra contra seus funcionários ao não banir posts de Trump

E eis que Mark Zuckerberg terá semanas agitadas pela frente no que se refere à administração de seus funcionários. Isso porque o CEO e co-fundador do Facebook afirmou na última terça-feira que não fará nada …